domingo, 18 de janeiro de 2015

Por que Jesus foi traído com um beijo na face?


Leitor (a), talvez você esteja pensando na "ingenuidade" da pergunta do título desta postagem. "Quem não já sabe que o beijo que Jesus recebeu da parte de Judas Iscariotes foi um ato de traição?", possivelmente alguém argumentará. Tudo bem que isso é verdade. Mas essa atitude pérfida revela-nos algo mais, bem mais profundo.

Após realizar a ceia junto com os seus discípulos, Jesus disse: Esta noite, todos vós vos escandalizareis comigo" (Mateus 26.31). Nesse momento, o Senhor estava alertando-os sobre a forma com que seria preso pelos seus opositores. Depois, chegando no Getsêmani, o Mestre orava incessantemente ao Pai: "Meu Pai, se possível, passe de mim este cálice! Todavia, não seja como eu quero, e sim como tu queres" (v.39). Porém, enquanto orava, seus pupilos dormiam (v.40).

Chegada a hora de ser entregue nas mãos dos seus adversários, disse Jesus aos seus: "Levantai-vos, vamos! Eis que o traidor se aproxima" (v.46). Durante estas palavras, apareceu Judas com a turba aliciada pelos religiosos de então. E, por meio de um ato, um beijo na face, o traidor destaca o alvo dos principais sacerdotes.

Retornando à pergunta do título da postagem: "Por que Jesus foi traído com um simples beijo na face?" Este beijo revela bem mais do que alguém que deveria ser preso, demonstra a humildade de quem, até mesmo através da própria aparência, queria ensinar verdades aos seus discípulos.

A leitura de Mateus 26.48 traz à tona a profunda humildade de Jesus, quando Judas afirma que seria necessário dar um beijo no Filho de Deus para denunciá-lo aos seus oponentes. Esse versículo nos ensina a necessidade de buscarmos a simplicidade. Por ser quem era, Jesus poderia muito bem vestir-se regaladamente, destacando-se dentre os discípulos. Porém, não fê-lo. Preferiu uma vestimenta normal, modesta.

Portanto, sejamos simples como Jesus. Não queiramos impressionar os outros, seja por quaisquer meios. Deus não se agrada de superficialidades e de um coração orgulhoso e soberbo, porque este "nada entende" (1 Timóteo 6.4). "Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes" (Tiago 4.6).

João Paulo Souza 

Um comentário:

Ádna Lima disse...

Ótima e verdadeira reflexão.