terça-feira, 11 de março de 2014

Meninos e meninas no entendimento





"Quanto a isso, temos muito que dizer, coisas difíceis de explicar, porque vocês se tornaram lentos para aprender. Embora a essa altura já devessem ser mestres, vocês precisam de alguém que lhes ensine novamente os princípios elementares da palavra de Deus. Estão precisando de leite, e não de alimento sólido! Quem se alimenta de leite ainda é criança, e não tem experiência no ensino da justiça" (Hebreus 5.11-13, NVI).


Podemos fazer algumas constatações a respeito dos versos acima:

1) O escritor fala de pessoas que são "lentas para aprender", ou seja, pessoas que não gostam de aprender no tempo certo;

2) O escrito diz que, pelo tempo de crente, essas pessoas já deveriam ser "mestres"! Isso mesmo, já deveriam ser bem maduras;

3) O escritor afirma a necessidade que essas pessoas têm de voltar a serem cuidadas assim como um adulto cuida de uma criança pequena;

4) O escritor atesta que perdeu o seu tempo, enquanto esteve com esses crentes infantis, necessitando novamente de lhes dar leite espiritual, isto é, ensinar de novo "os princípios elementares da palavra de Deus";

5) O escritor aos Hebreus confirma a verdade de que aqueles irmãos não podiam ouvir palavras mais fortes, símbolo do alimento sólido. Afinal, um recém-nascido não pode comer feijão, macaxeira etc.

6) O escritor diz que, "quem se alimenta de leite ainda é criança, e não tem experiência no ensino da justiça".

Parece-me que essas constatações enquadram-se direitinho no pano de fundo de diversas práticas reprováveis dentro de certas igrejas evangélicas. Diante disso, podemos destacar os puladores, os gritadores e os dançadores que se esbaldam nos ritmos alucinantes.

Mas, para não apenas rotular os "meninos" e "meninas" espirituais que adoram PULAR, GRITAR E DANÇAR em certas igrejas, recomendo-vos a leitura de Hebreus 5.14: "Mas o alimento sólido é para os adultos, os quais, pelo exercício constante, tornaram-se aptos para discernir tanto o bem quanto o mal".

Portanto, "meninos" e "meninas", leiam mais a Bíblia. E cultivem um espírito humilde para aprender, porque espírito contencioso não tem morada no coração de um verdadeiro cristão (Filipenses 4.8).

Em Cristo,

João Paulo M. de Souza

O que a igreja evangélica não é


Infelizmente, apesar de, no Brasil, haver muitos evangélicos, nem todos são verdadeiros, nem todos praticam o que a Bíblia diz. Os que se desviam pelo charco do liberalismo teológico e pelo caminho largo da libertinagem pragmática são aqueles e aquelas que pisam as Sagradas Escrituras, em favor de suas próprias vontades humanas e carnais.

Para melhor compreensão do que a Igreja não é, pontuamos algumas considerações:

A IGREJA EVANGÉLICA NÃO É PICADEIRO DE CIRCO, onde “palhaços” fazem suas cômicas apresentações, ocupando a visão da platéia (em vez de auditório) distraída. Assim como esses palhaços, homens e mulheres adoram entreter o povo com pulos e movimentos exagerados, trejeitos típicos de quem não leva nada a sério. Também esses bufões são esfaimados por piadinhas e gracejos.

A IGREJA EVANGÉLICA NÃO É UM CLUBE, em que pessoas se reúnem simplesmente para satisfazer seus gostos, acalentar seu ego artístico, trocar opiniões sobre algum assunto de seu interesse ou quaisquer outros desejos de relação social. Geralmente, pessoas que agem dessa forma não costumam valorizar o ensino bíblico, a oração, a reverência que, por sinal, convém aos santos.

A IGREJA EVANGÉLICA NÃO É PISTA DE DANÇA. Fico sobremodo estarrecido como algumas igrejas evangélicas trocaram a adoração reverente a Deus pelos pulos e berros estridentes durante os cultos. É preciso que essas congregações entendam que a liturgia cúltica deve ser regida por princípios estabelecidos pela Bíblia. Observe-se quando Paulo orientou aos irmãos coríntios sobre como deveria ser desenvolvido o culto ao Senhor: “Que fazer, pois, irmãos? Quando vos reunis, um tem salmo, outro, doutrina, este traz revelação, aquele, outra língua, e ainda outro, interpretação. Seja tudo feito para edificação. Tudo, porém, seja feito com decência e com ordem” (1 Coríntios 14.26, 40). Portanto, o verdadeiro culto a Deus não tem lugar para danças “espirituais”, gritinhos frenéticos, pulos descontrolados, gesticulações ensadecidas e comportamentos estranhos.

João Paulo M. de Souza


Voe como águia!


A caminhada com Cristo é repleta de surpresas. Às vezes, estamos tão cheios de confiança que, se possível fosse, enfrentaríamos um leão grande e feroz. E, por vezes, sequer achamos um pingo de fé para dirimir nossas angústias e lutas, qual Elias quando entrou numa caverna.

É preciso vivenciarmos, compreendermos e assimilarmos os altos e baixos da vida cristã, senão andaremos sempre cabisbaixos. Lembremo-nos de que somos seres humanos, apesar de termos os nossos espíritos avivados pelo Senhor. Somos homens e mulheres que atravessamos por diferentes circunstâncias: "Em tudo somos atribulados, porém não angustiados; perplexos, porém não desanimados; perseguidos, porém não desamparados; abatidos, porém não destruídos" (2 Co 4.8-9).  

Em Isaías 40.30-31, está escrito que "os jovens se cansam e se fatigam, e os moços de exaustos caem, mas os que esperam no SENHOR renovam as suas forças, sobem com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam". Quem sabe, por algum motivo, você esteja cansado (a) e fatigado (a). Mas, conforme estes versículos, renove-se no Senhor! Receba força de Deus! Voe como águia!

João Paulo M. de Souza

quinta-feira, 6 de março de 2014

Dica de filme: A jornada

A moralidade sem Cristo não é o bastante para alcançarmos as bênçãos celestiais do Evangelho, bem como desfrutarmos da vida eterna com Deus. Assista e tire suas próprias conclusões.