domingo, 18 de maio de 2014

Ninguém vos domine ao seu bel-prazer


De acordo com o dicionário eletrônico Houaiss da língua portuguesa, "bel-prazer" significa "vontade ou prazer pessoal; escolha, capricho". Estes conceitos exprimem bem o que se passa no coração de quem sempre deseja "dominar" no meio do povo de Deus. Digo assim, porque a vontade de Deus é que a liderança sirva de bom exemplo, exemplo de serviço resignado ao Senhor, e não como dona e dominadora do rebanho do Sumo Pastor (1 Pedro 5.1-4).

Por graça de Deus, neste ano, alcancei meu nono ano servindo ao Senhor. Durante esse tempo, pude observar, no meio do povo de Deus, algumas atitudes estranhas por parte de certas pessoas. Geralmente, ações maquiadas de falsa santidade e ilegítima humildade. 

À medida em que vamos amadurecendo na fé, por meio de leituras diárias da Bíblia, orações, vigilâncias e práticas condizentes com a vida cristã - mais também com erros, pois não somos perfeitos -, deparamo-nos com situações, no mínimo, intrigantes. Para ser mais claro, refiro-me às relações de autoridade (ou poder para alguns, geralmente para os déspotas de plantão) na igreja. Nesse ponto devemos ter muito cuidado, senão acabamos obedecendo mais aos homens do que as Escrituras Sagradas.

Para nossa tristeza, conhecemos pessoas que preferem obedecer mais a homens do que a Deus. Para esses sectários, existem duas Bíblias: uma que é a Palavra de Deus e a outra a palavra do seu guru eclesiástico. Não quero aqui minimizar a importância dos dons ministérios na Igreja (Efésios 4.11), mas alertar que devemos ter muito cuidado para não deixar que palavras de homens suplantem a vontade de Deus para nossas vidas.

Sinto pesar por aqueles e aquelas que seguem à risca os "mandamentos" humanos, dogmas, beirando ao cúmulo de pensarem e agirem pela cabeça dos seus "perfeitos" mestres. Ter conselheiros é importante (Provérbios 19.20; 20.18), porém, tudo o que ouvimos devemos confrontar com o que a Bíblia diz. Foi o que fez a igreja que estava em Bereia: 

E logo, durante a noite, os irmãos enviaram Paulo e Silas para Bereia; ali chegados, dirigiram-se à sinagoga dos judeus. Ora, estes de Bereia eram mais nobres que os de Tessalônica; pois receberam a palavra com toda avidez, examinando as Escrituras todos os dias para ver se as coisas eram, de fato, assim (Atos 17.10-11).

Amado (a) leitor (a), notou que, quem havia ministrado para os bereianos foram Paulo e Silas, dois grandes homens de Deus? Observou também que, ao ouvir a pregação e o ensino desses homens, os de Bereia examinavam as Escrituras, com vistas a saber se, realmente, o que os missionários diziam era verdade?

Encerro minhas palavras, transcrevendo Jeremias 9.23-24:

Assim diz o SENHOR: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem o forte, na sua força, nem o rico, nas suas riquezas; mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em me conhecer e saber que eu sou o SENHOR e faço misericórdia, juízo e justiça na terra; porque destas coisas me agrado, diz o SENHOR.

João Paulo M. de Souza

Nenhum comentário: