quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Onde você estará na virada de ano?


Não há nada melhor do que, na virada de ano, estarmos num templo, adorando a Deus e agradecendo ao Senhor por 2014, como também rogando o Seu favor para 2015. Portanto, você, evangélico (a), não se esqueça de que, na virada de ano, estar numa igreja é mais importante do que estar numa praia, por mais que seja paradisíaca. Comece o novo ano conversando com Deus!

"Alegrei-me quando me disseram: Vamos à Casa do SENHOR" (Salmo 122.1).

sábado, 27 de dezembro de 2014

Uma abordagem apologética sobre o Adventismo

Abaixo, assista à palestra apologética feita pelo Ev. Luciano Sena sobre o Adventismo. Imperdível!        

                       

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Que glória devemos buscar?


Muitos buscam as glórias dos homens. Porém, a vontade de Deus é que busquemos somente a glória do Senhor.

Disse João Batista: "Convém que ele cresça e que eu diminua" (João 3.30).

Pense nisso.

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Quem disse que a Bíblia não manda celebrar o Natal?



Disse alguém, alhures: “A Bíblia não nos autoriza a comemorarmos o Natal. De acordo com 1 Coríntios 11.26, o verdadeiro cristão deve anunciar a morte do Senhor, e não o seu nascimento. Não existe nenhum mandamento para celebrarmos o Natal”. Vejamos como esse “argumento” se autodestruirá em alguns segundos.

O texto citado, relativo à Ceia do Senhor, não proíbe o cristão de anunciar o nascimento do Senhor. Diz apenas que devemos anunciar a morte do Senhor até que Ele venha. E a obra redentora de Jesus reside em um tripé, isto é, em três fundamentos: a encarnação, a crucificação e a ressurreição. Logo, se Cristo não tivesse nascido, não teria morrido. E, se Ele não tivesse morrido, não teria ressuscitado para a nossa justificação.

De fato, não há nenhum mandamento específico a respeito do Natal nas páginas da Bíblia. Mas eu pergunto ao leitor: 
— Há alguma ordem bíblica para celebrarmos o nosso aniversário, fazendo um culto de ações de graça por mais um ano de vida e oferecendo bolo aos convidados? 
— Existe mandamento específico para as mulheres casarem com vestido de noiva, branco, com véu e grinalda? Há ordem nas Escrituras para o homem casar de terno e gravata? Há ordem bíblica para o casamento ser realizado primeiro no cartório e depois no templo? Aliás, há mandamento específico que indique o local onde o matrimônio deva ser oficializado? Existe ordem nas páginas sagradas para os noivos fazerem uma recepção aos convidados e, depois, viajarem em lua de mel? 
 — Haja vista ser a Ceia do Senhor uma ordenança de Jesus Cristo, onde está o mandamento para a celebrarmos de mês em mês ou a cada semana? 
— Existe ordem bíblica para fazermos a Escola Bíblica Dominical? 
— Há mandamento na Palavra de Deus para começarmos o culto às 19 horas, aos sábados, e às 18, aos domingos, por exemplo? 
— Existe mandamento bíblico para termos uma conta no Facebook, no Twitter ou no Instagram? 
— Há ordem de Deus na sua Palavra para eu escrever este texto ou ter um blog? 

Bem, não existe mandamento específico para celebrarmos o Natal nem para o que citei acima. Mesmo assim, o cristão que se preza tem prazer em anunciar e celebrar o nascimento do Salvador, visto que essa grande festa precede e transcende qualquer tradição pagã. Embora Jesus não tenha vindo ao mundo em 25 de dezembro, Ele nasceu!

E, se há uma data convencionada para essa celebração, por que o cristão não pode usá-la para glorificar ao Senhor por sua gloriosa obra expiatória e apresentar o Evangelho ao mundo? Celebrar o Natal de Cristo é lícito e conveniente ao cristão, visto que a obra redentora abarca a encarnação do Verbo, a sua morte vicária e a sua ressurreição para a nossa justificação.

O Natal é uma festa legitimamente cristã, a qual foi celebrada pela primeira vez por anjos e pastores, naquela sublime noite de Belém (Lc 2.8-20). Essa festa também foi celebrada pela família do Senhor, em uma casa, juntamente com sábios do Oriente, cerca de dois anos após seu nascimento (Mt 2.1-16).


Fonte: Blog do Ciro

Obs.: A foto acima é diferente da que consta do texto original.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

As escolhas de Deus são surpreendentes


As Escrituras dizem que Deus não é como o homem - instável em seus caminhos. Ou seja, "há caminho que ao homem parece direito, mas ao cabo dá em caminhos de morte" (Provérbios 14.12). Ao passo que os pensamentos do Senhor são muito mais profundos e abrangentes do que os nossos (Isaías 55.8). Isso significa que Ele, Deus, sabe o que e quem escolhe. Ele controla todas as coisas, porque nada foge de Sua soberania: "Agindo eu [o Todo-poderoso], quem impedirá?" (Isaías 43.13, grifo nosso).

Ás vezes as escolhas de Deus nos confunde, deixando-nos, por algum tempo, confusos. Porém, depois compreendemos que Ele tinha razão quando escolheu daquela forma. Assim aconteceu na vida de muitos coríntios, pois, naquela igreja, Deus havia escolhido, para a salvação, pessoas menos favorecidas e, por conseguinte, menos influentes na sociedade de então: 

Irmãos, reparai, pois, na vossa vocação; visto que não foram chamados muitos sábios segundo a carne, nem muitos poderosos, nem muitos de nobre nascimento; pelo contrário, Deus escolheu as coisas loucas do mundo para envergonhar os sábios e escolheu as coisas fracas do mundo para envergonhar as fortes; e Deus escolheu as coisas humildes do mundo, e as desprezadas, e aquelas que não são, para reduzir a nada as que são" (1 Coríntios 1.26-28).

Amado (a) leitor (a), talvez você se sinta alguém sem influência em sua família, na igreja que frequenta, em sua vizinhança, em seu trabalho, na escola em que estuda ou em qualquer outro lugar. Entretanto, não desanime! Entenda que a visão de Deus é bem diferente da nossa. O Senhor é especialista em usar o que outros seres humanos não fazem caso, "a fim de que ninguém se vanglorie na presença de Deus" (1 Coríntios 1.29).

Em Cristo,

João Paulo Souza

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

O Reino de Deus não é uma denominação evangélica



Em nossos dias, ainda há crentes confundindo o Reino de Deus com denominação evangélica. Essas pessoas pensam que vão para o Céu se fizerem parte do rol de membros da igreja em que congregam. Contudo, estão redondamente enganadas.

É bem verdade que, atualmente - e isso não é novidade -, há igrejas que só levam o nome de evangélicas, pois os seus ensinos não condizem com o que a Bíblia diz. Porém, também há denominações sérias, que têm compromisso com o Deus da Palavra e com a Palavra de Deus. E estas devem ser respeitadas.

Em certo sentido, as denominações cristãs foram e são criações humanas. Entretanto, isso não significa que Deus não esteja nelas. A institucionalização das igrejas, hoje, é necessária e salutar, desde que não vise glórias terrenas. Contudo, infelizmente, muitos crentes vivem se digladiando só porque não congregam numa mesma igreja institucionalizada. Eles, na verdade, esquecem-se de que estão inseridos numa dimensão infinitamente maior, o Reino de Deus. Paulo disse que "(...) o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo" (Romanos 14.17).

Como se pode depreender de Romanos 14.17, muitos de nós estamos negligenciando as verdades contidas nesse versículo. Será que ainda não entendemos que o Reino se fundamenta na "justiça", na "paz, e na "alegria" oriunda do Espírito?

A despeito de Batistas, Presbiterianos, Assembleianos etc. divergirem acerca de alguns aspectos referentes à vida cristã, há entre essas denominações colunas doutrinárias inamovíveis. Nesse caso, refiro-me a igrejas verdadeiramente sérias, ou seja, as que demonstram temor e compromisso com as Escrituras Sagradas.

Diante disso, penso que a ética cristã e o bom senso seriam a melhor saída para caminharmos juntos em Cristo. O Céu não é só para os assembleianos ou presbiterianos ou batistas etc. Segundo a Bíblia, a eternidade com Deus é de todas as pessoas que crerem e obedecerem aos mandamentos de Deus em Cristo (João 3.16; 15.10, 3).

No Senhor,

João Paulo Souza

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Qual tradução/ versão da Bíblia você mais utiliza?


Curioso de saber qual tradução e/ou versão da Bíblia em Língua Portuguesa, elaborei uma enquete. Na coluna ao lado, você pode votar e confirmar qual "sua" tradução bíblica predileta. Vote na enquete!

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

As glórias humanas são transitórias



Hoje, pela manhã, ao assistir a uma reportagem de um telejornal, deparei-me com uma história de um homem idoso e fragilizado por um câncer. Este homem, em sua vida passada, era rodeado de lindas mulheres - bem mais novas do que ele - e tinha muito mais dinheiro do que tem agora. Apesar de ainda continuar sendo rico, sua aparência destilava tristeza e solidão. Suas glórias passaram... O que restou? O que ele tem guardado para o além-túmulo?

Essa história é inegável, pois os fatos a comprovam. Porém, mas real ainda são as verdades contidas nas Escrituras Sagradas. A Bíblia descreve a história desse homem: "Porque o sol se levanta com seu ardente calor, e a erva seca, e a sua flor cai, e desaparece a formosura do seu aspecto; assim também se murchará o rico em seus caminhos" (Tiago 1.11). Em 1 Pedro 1.24 (grifo meu), a descrição é ainda mais impressionante: "Pois toda carne [humanidade] é como a erva, e toda a sua glória, como a flor da erva; seca-se a erva, e cai a sua flor".

Enfim, o que podemos aprender disso?! Que a nossa vida na Terra é frágil, efêmera e inconstante, e que precisamos de Jesus, pois somente Ele concede-nos a vida eterna (João 3.16).

João Paulo Souza

sábado, 22 de novembro de 2014

Entenda o novo nascimento em Cristo



O novo nascimento é a porta de entrada para desfrutarmos as bênçãos incomparáveis de Deus (Ef 1.3). A nova vida em Cristo é o começo de uma nova história, de uma nova fé, de uma nova caminhada e de uma nova vida (Jo 10.10). Quando nascemos de novo, Cristo passa a viver em nós: “já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim” (Gl 2.20).

Em Romanos 12.2, Paulo deixa-nos um excelente conselho: “E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente”. Esta renovação implica experimentarmos “a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”. Todos aqueles que se convertem verdadeiramente a Deus por meio de Cristo despojam-se do “velho homem, que se corrompe segundo as concupiscências do engano” (Ef 4.22).

O nascimento da vida cristã pode ser explicado através de três fatos importantes que ocorreram na vida de Jesus: sua morte, seu sepultamento e sua ressurreição. Em Romanos 6.4, o apóstolo Paulo atesta: “Fomos, pois, sepultados com ele na morte pelo batismo; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de vida”. Em outras palavras, nós “morremos” para o pecado; “fomos sepultados” com Jesus e “ressuscitamos” com Ele!  

Escrito por João Paulo Souza

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Enfeitar a casa para o Natal significa cometer o pecado da idolatria?



Na Palavra de Deus, encontramos mandamentos claros quanto à idolatria. Em 1 Coríntios 10.7,14 está escrito: “Não vos façais, pois, idólatras [...]; meus amados, fugi da idolatria”. E, em 1 João 5.21, lemos: “Filhinhos, guardai-vos dos ídolos”. Mas, o que é idolatria, de acordo com as Escrituras? O termo “idolatria” é uma transliteração da palavra grega eidololatria, que alude a adoração a ídolos, adoração a imagens como divinas e sagradas. Idolatria é um tipo de iniquidade, posto que denota prestar — conscientemente — honras divinas a qualquer produto de fabricação humana, ou atribuir poderes divinos a operações puramente naturais.


Esse gravíssimo pecado contra Deus consta do Decálogo, mais precisamente do segundo mandamento: “Não farás para ti imagem de escultura” (Êx 20.4). No Novo Testamento, o conceito de idolatria foi ampliado (Gl 5.20; 1 Co 5.11). Para os israelitas, o segundo mandamento restringia-se à adoração aos deuses de ouro, prata, madeira, barro, etc. Hoje, qualquer tipo de idolatria é vedado ao povo de Deus. A avareza, por exemplo, é retratada como uma forma de idolatria (Ef 5.5), um sentimento que impede o ser humano de amar a Deus sobre todas as coisas (Mt 19.24; Lc 12.16-21; 1 Tm 6.10).



À luz das Escrituras, o pecado da idolatria nunca é praticado de modo inconsciente. Quem adora imagens de escultura como se fossem deuses, mesmo fazendo isso por ignorância, fá-lo de maneira intencional, consciente. Quem adora Mamom, da mesma forma, faz isso porque o seu coração está nas riquezas (Mt 6.19-24). Quem idolatra o mundo, como o desviado Demas (2 Tm 4.9), também coloca, de modo consciente, as coisas mundanas no lugar de Deus (1 Jo 2.15-17; Tg 4.4-8).


Se a idolatria é um pecado praticado sempre de modo consciente — ou seja, o idólatra peca objetivamente, pondo o objeto de sua idolatria no lugar de Deus —, por que chamar de idolatria o ato de enfeitar uma casa com um pinheirinho, luzes e bolas coloridas? Afinal, o cristão que faz isso está, consciente e objetivamente, colocando a decoração do Natal secular no lugar de Deus? Ou ele faz isso porque gosta desse período de confraternizações, aprecia o belo e quer externar sua alegria?



Alguém poderá argumentar que a origem de tais enfeites está ligada ao paganismo. Entretanto, se quisermos adotar uma forma de santidade extremada — superior à própria santidade que o Senhor pede de nós, a qual consiste em se apartar de tudo que nos torna objetivamente idólatras —, nos tornaremos legalistas e teremos de reescrever um código de leis contendo uma longa relação de "não toques, não proves, não manuseies" (Cl 2.21).



O Natal secular não é o Natal de Cristo, mas nós, que conhecemos o verdadeiro sentido dessa celebração, não devemos priorizar questiúnculas. O mais importante, nessa época do ano, é nos alegrarmos com as nossas famílias e aproveitarmos para cantar louvores ao protagonista do Natal — Jesus Cristo — e anunciar o seu Evangelho ao mundo. Afinal, se Cristo não tivesse nascido, não teria sido crucificado. E, se Ele não tivesse morrido por nossos pecados, também não teria ressuscitado para a nossa justificação. Feliz Natal a todos!



Ciro Sanches Zibordi

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

A radicalidade de Cristo



Jesus, enquanto andou na Terra, em nenhum momento deixou brecha para que outras pessoas pudessem tomar o seu lugar em relação a Deus. Jesus é enfático: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim" (João 14.6). Em João 8.12, Ele diz: "Eu sou a luz do mundo". Também, em João 10.9, Ele diz: "Eu sou a porta". Em Atos dos apóstolos 4.12, está escrito: "Não há salvação em nenhum outro, pois, debaixo do céu não há nenhum outro nome dado aos homens pelo qual devamos ser salvos". Portanto, Jesus é radical; Ele não divide sua identidade e função com ninguém.

Hodiernamente, muitas pessoas, com suas religiões, criam meios que, segundo elas, levam a Deus. Entretanto, essas religiões não passam pelo crivo das Escrituras Sagradas, a Palavra de Deus. Religião não salva ninguém. Apenas Jesus Cristo, o Filho do Altíssimo, pode salvar a humanidade de seus pecados: "Arrependam-se , e cada um de vocês seja batizado em nome de Jesus Cristo para perdão de pecados, e receberão o dom do Espírito Santo" (Atos dos Apóstolos 2.38).

Portanto, o ecumenismo é criação meramente humana. Porém, o Evangelho é oriundo do Alto. E, conforme avaliza Paulo, o Evangelho é "o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê... Porque no evangelho é revelada a justiça de Deus, uma justiça que do princípio ao fim é pela fé, como está escrito: 'O justo viverá pela fé'" (Romanos 1.16-17).

João Paulo Souza

sábado, 11 de outubro de 2014

Uma vez salvo, salvo para sempre?


"Ora, para aqueles que uma vez foram iluminados, provaram o dom celestial, tornaram-se participantes do Espírito Santo, experimentaram a bondade da palavra de Deus e os poderes da era que há de vir, e caíram, é impossível que sejam reconduzidos ao arrependimento; pois para si mesmos estão crucificando o Filho de Deus, sujeitando-o a desonra pública" (Hebreus 6.4-6, NVI, grifo meu).

O espírito de apostasia é uma realidade de nossa época. Nos tempos do apóstolo Paulo algumas pessoas, outrora crentes, viraram as costas para Deus, demonstrando não mais acreditarem nEle (1 Timóteo 4.1). Essa atitude é mais que prova de que devemos vigiar para não sermos surpreendidos pelas lancetadas da incredulidade. A salvação deve ser desenvolvida com temor e tremor. Portanto, a frase "Uma vez salvo, salvo para sempre" não se sustenta diante das evidências bíblicas.

João Paulo M. de Souza

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

O que está faltando em muitas igrejas


"Disse Pedro: 'Não tenho prata nem ouro, mas o que tenho, isto lhe dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, ande'. Segurando-o pela mão direita, ajudou-o a levantar-se, e imediatamente os pés e os tornozelos do homem ficaram firmes" (Atos dos Apóstolos 3.6-7, NVI). 

domingo, 28 de setembro de 2014

Jesus chega na hora certa



Em João 5, a Bíblia relata a história do paralítico de Betesda. Este homem estava "enfermo havia trinta e oito anos" (v. 5). Sua situação era desesperadora, pois ninguém queria ajudá-lo.

Durante o transcorrer da nossa vida, passamos por momentos difíceis, por situações escabrosas. Esse período parece não ter fim. E, às vezes, não temos a quem recorrer, assim como aconteceu com o paralítico: "Não tenho ninguém que me ponha no tanque" (v. 7).

Apesar de experimentarmos essas agruras, Deus está vendo tudo. Nada foge dos olhos do Senhor. O salmista Davi disse que Deus o havia visto ainda informe, enquanto se desenvolvia no ventre de sua mãe (Salmo 139.16). Jeremias, outro exemplo marcante, havia sido conhecido mesmo antes de ser concebido (Jeremias 1.5)!

Como aconteceu com o paralítico de Betesda, Jesus tem poder de resolver nossos problemas, por mais complexos que sejam. Tudo está no controle do Criador. Basta-nos apenas confiar e esperar o agir dAquele que tudo pode, como afirmou Jó: "Bem sei que tudo podes, e nenhum dos teus planos pode ser frustrado" (Jó 42.2).

Não se preocupe. Jesus chegará a ti na hora certa!

João Paulo M. de Souza  

domingo, 31 de agosto de 2014

Em que consiste o fracasso de certas lideranças cristãs


Uma liderança que prega e ensina de forma ortodoxa, mas que age de maneira contrária às palavras que transmite aos ouvintes, está fadada ao fracasso. Em outras palavras, Deus não toma prazer em formação acadêmica ou desenvoltura retórica; tampouco em uma boa performance no púlpito, mas em que obedeçamos à Sua Palavra: 


"Tem, porventura, o SENHOR tanto prazer em holocaustos e sacrifícios quanto em que se obedeça à sua palavra? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender, melhor do que a gordura de carneiros. Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e a obstinação é como a idolatria e culto a ídolos do lar. Visto que rejeitaste a palavra do SENHOR, ele também te rejeitou a ti" (1 Samuel 15.22-23).

JPMS

domingo, 24 de agosto de 2014

O que você acha da tradução da Bíblia NVI?


Antes de mais nada, gostaria de deixar bem claro que eu não tenho nenhum vínculo ou ligação com a comissão de tradução da Bíblia Nova Versão Internacional (NVI). Apenas, por curiosidade, interessei-me por saber qual é a impressão ou ponto de vista que meus leitores e/ou visitantes possuem a respeito dessa tradução bíblica. Eu, particularmente, gosto muito dessa obra.

sábado, 23 de agosto de 2014

Coroa prometida


"Feliz é o homem [ou a mulher] que persevera na provação, porque depois de aprovado [a] receberá a coroa da vida, que Deus prometeu aos que o amam" (Tiago 1.12, grifo meu, NVI).

"Seja fiel até a morte, e eu [Jesus] lhe darei a coroa da vida" (Apocalipses 2.10, grifo meu, NVI).

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

NÃO SABEMOS O QUE ACONTECERÁ AMANHÃ


Hoje, pela manhã, fiquei chocado com a morte do ex-governador de Pernambuco e, até então, um dos candidatos à presidência da República. O falecimento de Eduardo Campos, além de nos deixar tristíssimos, ensina-nos que, por mais inteligentes que sejamos, não sabemos discernir totalmente o amanhã, sobretudo em termos circunstanciais. Só Deus sabe precisamente o futuro. O que nos resta fazer é atentarmos para o que diz a Bíblia Sagrada:


"Ouçam agora, vocês que dizem: 'Hoje ou amanhã iremos para esta ou aquela cidade, passaremos um ano ali, faremos negócios e ganharemos dinheiro'.Vocês nem sabem o que lhes acontecerá amanhã! Que é a sua vida? Vocês são como a neblina que aparece por um pouco de tempo e depois se dissipa. Ao invés disso, deveriam dizer: 'Se o Senhor quiser, viveremos e faremos isto ou aquilo" (Tiago 4.13-15, NVI).

A vida aqui é cheia de incertezas.

João Paulo Souza

terça-feira, 29 de julho de 2014

Abrir a mão ao necessitado


"Se houver algum israelita em qualquer das cidades da terra que o SENHOR, o seu Deus, lhes está dando, não endureçam o coração, nem fechem a mão para com o seu irmão pobre" (Deuteronômio 15.7).

A despeito de Deuteronômio 15.7 está relacionado ao povo de Israel especificamente, o princípio contido nele não se tornou obsoleto na Nova Aliança. O próprio Jesus deixou-nos o exemplo de solidariedade e misericórdia: "Jesus tomou os pães e, tendo dado graças, distribui-os entre eles [uma multidão faminta e cansada]; e também igualmente os peixes, quanto queriam" (João 6.11, grifo meu).

Assim como Jesus, devemos ajudar a quem precisa. Por isso, sempre recordemos "as palavras do próprio Senhor Jesus: Mais bem-aventurado é dar que receber" (Atos 20.35).

João Paulo M. de Souza 

segunda-feira, 28 de julho de 2014

A empáfia dos coríntios


Meus leitores, gostaria de lhes alertar acerca de algo que tenho notado no seio de certas denominações evangélicas. Refiro-me ao ledo engano do tolo "monopólio cristão", ou seja, da medíocre pretensão de exclusividade que essas agremiações têm evidenciado em nossos dias. Esse fato não é novidade, pois a igreja em Corinto já abraçava essa arrogância.

O apóstolo Paulo observou bem o orgulho com o qual a igreja de Corinto acalentara seus caprichos carnais. Assim como esta igreja, algumas hoje pensam que detêm a exclusivamente da verdade, desprezando a finalidade da morte de Cristo, na Cruz do Calvário: "Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo" (Romanos 10.9). Jesus é de todos que o invocam.

Onde está a verdade? Em alguma denominação evangélica por si só? Não! A verdade está em Cristo. A verdade é Jesus (João 14.6). Nós (denominações) apenas pregamos a mensagem do Filho de Deus, isto é, não temos o direito de retê-la em nós ou só para nós. Entretanto, semelhantemente aos coríntios, às vezes pensamos equivocadamente: "Porventura, a palavra de Deus se originou no meio de vós ou veio ela exclusivamente para vós outros?" (1 Coríntios 14.36).

Em suma, a verdade não procede de nós mesmos, mas de Cristo em nós. Ele, Jesus, faz toda a diferença na vida com Deus. Portanto, lancemos de sobre nós quaisquer espectros de presunção - despojemo-nos da empáfia dos coríntios: "Se alguém se considera profeta ou espiritual, reconheça ser mandamento do Senhor o que vos escrevo" (1 Coríntios 14.37).

João Paulo M. de Souza

sábado, 12 de julho de 2014

Não fomos chamados para sermos santarrões

"Atam fardos pesados [e difíceis de carregar] e os põem sobre os ombros dos homens; entretanto, eles mesmos nem com o dedo querem movê-los" (Mateus 23.4).


Durante minha caminhada cristã - quase dez anos -, tenho observado algumas atitudes entre os evangélicos. Refiro-me a algumas condutas um tanto antibíblicas. Alguns crentes, inclusive certos ensinadores e pregadores, acham-se tão santos, que, em certas ocasiões, mal saúdam e falam com seus irmãos em Cristo.

Tenho plena certeza de que Deus não nos chamou para sermos santarrões. Assim fosse, Jesus teria dito aos seus discípulos que imitassem o modo de vida dos religiosos de sua época, sobretudo dos fariseus. Entretanto, para nossa surpresa, o Mestre disse: "Fazei e guardai, pois, tudo quanto eles vos disserem, porém não os imiteis em suas obras; porque dizem e não fazem" (Mateus 23.3).

O Senhor resgatou-nos para sermos santos. "Sede santos, porque eu sou santo" (1 Pedro 1.16), disse Deus. Ser "santo" significa ser "separado para uso e posse de Deus". Logo, para Ele e para a Sua Igreja, não existem santarrões, mas santos, homens e mulheres chamados por seu decreto.

Lembremo-nos de que a santidade que experimentamos não é nossa, mas do Senhor em nós, através do Espírito Santo. Somos o edifício de Deus (1 Coríntios 3.9). Somos o Templo do Deus Vivo: "Não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós" (1 Coríntios 3.16). Portanto, não queiramos ser santarrões, ou seja, santos além da conta. Basta-nos sermos santos!

João Paulo M. de Souza

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Ouro refinado pelo fogo: provação e aprovação


"Bem-aventurado o homem que suporta , com perseverança, a provação; porque, depois de ter sido aprovado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor prometeu aos que o amam" (Tiago 1.12).

Em quaisquer situações adversas, nós sempre queremos ser aprovados por Deus. Porém, antes que isso venha a acontecer, não podemos nos esquecer de que é necessário passarmos, com perseverança, por momentos difíceis. O ouro, para ser refinado, carece de passar pelo fogo!

quarta-feira, 25 de junho de 2014

O ídolo da beleza




O pecado não muda essencialmente, só ganha novos formatos ao longo dos tempos. Antigamente, sem poder de decisão, as meninas chinesas eram submetidas ao encurtamento dos pés para conformarem-se à moda da época. Sem isso, corriam o risco de não obter bons casamentos. Eram obrigadas a usar sapatos pequenos demais, que deformavam os dedos e muitas vezes chegavam a causar gangrena. Tinham dores horríveis pelo resto da vida e perdiam facilmente o equilíbrio quando de pé - o que aliás era considerado um charme pelos chineses de então. Esse aspecto trágico da sociedade chinesa antes do comunismo é bem documentado em formato narrativo pela escritora Jung Chang em Cisnes selvagens - um livro apaixonante sobre três gerações de mulheres antes, durante e depois da Revolução Chinesa. E a vida de nenhuma delas foi fácil.

Hoje, em plena valorização do que é "natural" (a maquiagem, por exemplo, busca reproduzir um visual fresco e iluminado), há moças ocidentais, com bastante poder de decisão, que se submetem voluntariamente a um procedimento cirúrgico que, segundo elas, deixará seus pés mais bonitos e mais adequados aos caríssimos Louboutin que desejam comprar. Segundo os especialistas, há riscos de dor constante, assim como ocorria com as chinesas. Mas, como sempre, o adorador se extasia à vista do ídolo e não consegue se deter nos sacrifícios. E a destruição, dessa vez, é autoinfligida.

Para as mulheres contemporâneas, tem sido quase impossível escapar do culto ao ídolo da beleza.

Fonte: Norma Braga

Obs.: A foto acima não consta da postagem original.

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Crentes difíceis de serem enganados


"Os bereanos eram mais nobres do que os tessalonicenses, pois receberam a mensagem com grande interesse, examinando todos os dias as Escrituras, para ver se tudo era assim mesmo" (Atos dos Apóstolos 17.11, NVI).

No Brasil, a despeito de termos um número expressivo de evangélicos (termo batido e, de certa forma, diluído), "bereanos" temos poucos. Estes dificilmente são ludibriados pelos enganadores.

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Nunca diga para uma pessoa: "Você não sabe de nada!"


Vivemos em um mundo globalizado, no qual as pessoas têm a oportunidade de experimentarem dos benefícios intelectuais que estão à sua disposição. Numa era em que a própria rede mundial de computadores, a internet, com sua praticamente infinita gama de dados, verte, sem parar, informações e conhecimentos, os seres humanos, sabendo utilizar bem essa potencialidade cibernética, vai-se moldando teoricamente. Ademais, não devemos subestimar as capacidades que cada um desenvolve na vivência e experiência de cada dia.

Ninguém (humano) sabe de todas as coisas. Mas também ninguém ignora todas as coisas. Isto quer dizer que temos conhecimentos diferentes, sabemos de umas coisas, enquanto outros sabem de outras. E, às vezes, também comungamos do mesmo saber. Portanto, nunca diga para alguém: "Você não sabe de nada!"; porque você não sabe nem imagina os efeitos negativos sobre a mente de quem ouve esse tipo de palavra. 

Todos nós somos importantes. Caso contrário, as Escrituras não teriam avalizado Gênesis 1.27: "Criou Deus, pois, o homem [o ser humano] à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou" (grifo meu). Portanto, jamais menospreze o seu semelhante, por mais que ele seja diferente ou averso de você.

João Paulo M. de Souza

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Liderança: admoestações de Pedro


Lendo 1 Pedro 5.1-4, percebi algumas verdades importantes que caracterizam a liderança que agrada a Deus. Abaixo, apenas realçarei os pontos que me chamaram mais a atenção no texto mencionado.

1) "Rogo, pois, aos presbíteros que há entre vós, eu, presbítero como eles" (v.1). Em itálico (grifo meu), diz era "como", e não "sobre". Em outras palavras, Pedro não se pensava melhor que os outros líderes.

2) "Pastoreai o rebanho de Deus que há entre vós" (v.2). Por que Pedro não disse "sob vós"? Novamente Pedro enfatiza a o estar junto, comungar harmoniosamente com seus pares. Bem diferente do que vemos em alguns lugares por aí.

3) Segundo Pedro, como os líderes deveriam se portar entre o rebanho de Deus? "Não por constrangimento, mas espontaneamente, como Deus quer" (v.2). Faz-me lembrar Romanos 12.2, quando fala sobre a necessidade de termos uma mente renovada em Cristo, para experimentarmos Sua rica vontade.

4) Ainda no verso dois, Pedro enfatiza a boa vontade de servir ao rebanho, contrapondo o desejo sórdido e ganancioso. Este fato negativo está longe de nossa realidade? Não! Cada vez mais certas pessoas enricam, granjeiam fortunas em nome de Deus e andam de carro importado, enquanto que muitos crentes vivem numa situação deplorável. É tempo de refletirmos mais a fundo sobre isso.


5) Pedro continua: "nem como dominadores dos que foram confiados" (v.3). Dominadores é o que não faltam em nosso meio. Infelizmente, os simples e os incautos deixam-se levar por palavras de "humildade", bem como por pregações "fervorosas". No entanto, prefiro ficar com Atos 17.11 como texto a ser observado em minha caminhada cristã.


6) A segunda parte do verso três, pontua a necessidade de todo líder ser modelo do rebanho ao qual pastoreia. Missão impossível para os dias de hoje? Não! Ainda há, no meio das igrejas, pessoas compromissadas com o Senhor, a exemplo desse mesmo Pedro (João 6.68).


7) No verso de número quatro, encontramos uma linda promessa dirigida àqueles que agradarem ao Senhor durante o seu ministério. Aqueles que servirem a Deus com um coração sincero, honesto, desprendido, voluntário, modelado pelo caráter de Cristo (Gálatas 5.22) serão eternamente recompensados pelo Supremo Pastor.


As orientações de Pedro são muito importantes para compreendermos algumas características da vontade de Deus.


João Paulo M. de Souza

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Mudança de sexo é mesmo possível?




Muito se fala, na contemporaneidade, de cirurgia de mudança de sexo. Mas sexo não se muda! Quem nasceu homem é homem para sempre. Quem nasceu mulher é mulher para sempre. Mesmo que pessoas façam cirurgias para mudança de sexo, sua condição original permanece. O que pode ser mudada é a orientação sexual, e não o sexo, propriamente dito.

À luz da biologia e também da Bíblia (a qual, para mim, é a Palavra de Deus), seres humanos nascem homem (macho) ou mulher (fêmea). E foi o Senhor Jesus quem ensinou isso (Mateus 19), corroborando o que está escrito nos primeiros capítulos do livro de Gênesis. Não existe homem no corpo de mulher, tampouco mulher no corpo de homem. Homem é homem; mulher é mulher.

Entretanto, repito, no que tange à orientação sexual, como se trata de um comportamento, uma pessoa escolhe, quando tem maturidade para isso, a opção que melhor lhe agrada. Tanto que a cantora Daniela Mercury, depois de muitos anos como heterossexual, resolveu tornar-se homossexual. Por que alguém que outrora escolheu a homossexualidade não pode, igualmente, reorientar-se e retomar a heterossexualidade?

Se quisermos ser coerentes e inimigos figadais do fundamentalismo, devemos, por conseguinte, considerar todas as possibilidades. Caso contrário, abraçaremos a ditadura gay. #ProntoFalei, de novo, quer gostem, quer não gostem.

Fonte: Blog do Ciro


P. S.: A imagem acima não faz parte do post original. 

domingo, 25 de maio de 2014

Cuidado com os ímpios!


"Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores" (Salmo 1.1).

domingo, 18 de maio de 2014

Ninguém vos domine ao seu bel-prazer


De acordo com o dicionário eletrônico Houaiss da língua portuguesa, "bel-prazer" significa "vontade ou prazer pessoal; escolha, capricho". Estes conceitos exprimem bem o que se passa no coração de quem sempre deseja "dominar" no meio do povo de Deus. Digo assim, porque a vontade de Deus é que a liderança sirva de bom exemplo, exemplo de serviço resignado ao Senhor, e não como dona e dominadora do rebanho do Sumo Pastor (1 Pedro 5.1-4).

Por graça de Deus, neste ano, alcancei meu nono ano servindo ao Senhor. Durante esse tempo, pude observar, no meio do povo de Deus, algumas atitudes estranhas por parte de certas pessoas. Geralmente, ações maquiadas de falsa santidade e ilegítima humildade. 

À medida em que vamos amadurecendo na fé, por meio de leituras diárias da Bíblia, orações, vigilâncias e práticas condizentes com a vida cristã - mais também com erros, pois não somos perfeitos -, deparamo-nos com situações, no mínimo, intrigantes. Para ser mais claro, refiro-me às relações de autoridade (ou poder para alguns, geralmente para os déspotas de plantão) na igreja. Nesse ponto devemos ter muito cuidado, senão acabamos obedecendo mais aos homens do que as Escrituras Sagradas.

Para nossa tristeza, conhecemos pessoas que preferem obedecer mais a homens do que a Deus. Para esses sectários, existem duas Bíblias: uma que é a Palavra de Deus e a outra a palavra do seu guru eclesiástico. Não quero aqui minimizar a importância dos dons ministérios na Igreja (Efésios 4.11), mas alertar que devemos ter muito cuidado para não deixar que palavras de homens suplantem a vontade de Deus para nossas vidas.

Sinto pesar por aqueles e aquelas que seguem à risca os "mandamentos" humanos, dogmas, beirando ao cúmulo de pensarem e agirem pela cabeça dos seus "perfeitos" mestres. Ter conselheiros é importante (Provérbios 19.20; 20.18), porém, tudo o que ouvimos devemos confrontar com o que a Bíblia diz. Foi o que fez a igreja que estava em Bereia: 

E logo, durante a noite, os irmãos enviaram Paulo e Silas para Bereia; ali chegados, dirigiram-se à sinagoga dos judeus. Ora, estes de Bereia eram mais nobres que os de Tessalônica; pois receberam a palavra com toda avidez, examinando as Escrituras todos os dias para ver se as coisas eram, de fato, assim (Atos 17.10-11).

Amado (a) leitor (a), notou que, quem havia ministrado para os bereianos foram Paulo e Silas, dois grandes homens de Deus? Observou também que, ao ouvir a pregação e o ensino desses homens, os de Bereia examinavam as Escrituras, com vistas a saber se, realmente, o que os missionários diziam era verdade?

Encerro minhas palavras, transcrevendo Jeremias 9.23-24:

Assim diz o SENHOR: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem o forte, na sua força, nem o rico, nas suas riquezas; mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em me conhecer e saber que eu sou o SENHOR e faço misericórdia, juízo e justiça na terra; porque destas coisas me agrado, diz o SENHOR.

João Paulo M. de Souza

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Jesus é Fiel em perdoar


Todos os dias, de uma forma ou de outra, sempre pecamos, seja por meio de pensamentos, de palavras ou de obras (1 Reis 8.46). Isso acontece porque não somos iguais a Jesus, mas "semelhantes" a Ele (Hebreus 2.17). Só Jesus é Santo no pleno sentido da palavra, e gracioso em perdoar.

Partindo do princípio de que somos imperfeitos, a petição diária - ou sempre que pecarmos - de perdão dos pecados a Deus é inseparável da vida cristã. É bom que se entenda de que, apesar de sermos falhos, não devemos viver pecando (1 João 3.6). Do contrário, não pertencemos ao Senhor: "Aquele que pratica [impiamente] o pecado procede do diabo" (1 João 3.7, grifo meu).

Portanto, como disse o apóstolo João, "se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo; e ele é a propiciação pelos nossos pecados e não somente pelos nossos pecados, mas ainda pelos do mundo inteiro" (1 João 2.1-2).

João Paulo M. de Souza

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Luz, comunhão, sangue e purificação de pecados!



"Se, porém, andarmos na luz, como ele [Deus Pai] está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado" (1 João 1.7, grifo meu).

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Estudioso afirma que o vício em pornografia é o maior desafio das igrejas


Durante uma palestra na cidade de Nashville, nos Estados Unidos, o diretor-executivo da Associação de Conselheiros Bíblicos Certificados Heath Lambert afirmou que a pornografia é o maior desafio das igrejas.
Para o estudioso, o vício em materiais pornográficos criou a maior crise moral que as congregações podem controlar, sendo mais prejudicial que o divórcio e a homossexualidade.
Lambert aproveitou o momento para alertar que muitos cristãos estão dispostos a irem contra a homossexualidade, mas depois se escondem em suas casas para consumir pornografia.
Por conta da facilidade de encontrar esses materiais pornográficos, fica difícil controlar e ajudar aqueles que estão viciados, como explica o diretor para o site The Christian Post.
Sem ter noção de quais sãos os membros da igreja que estão viciados em pornografia, fica difícil oferecer ajuda. Lambert também acredita ser impossível afirmar que quem está firme na igreja não possa cair em tentação.
O melhor caminho para evitar ou controlar o problema seria a orientação. Alertando sobre os perigos da pornografia às igrejas, poderia amenizar a crise que já está instalada.
Lambert afirmou que as orientações devem começar dentro de casa, cuidando dos filhos para que eles aprendam a lidar com o sexo buscando a pureza sexual. Outro ensinamento para os líderes é que eles desconfie de quem afirma estar evitando a pornografia.
O estudioso diz que os casados precisam ser ensinados a olharem apenas para suas esposas, cuidando para não serem atraídos pela pornografia que valoriza apenas o ato sexual. Com informações The Christian Post.
Fonte: GOSPELPRIME

sexta-feira, 2 de maio de 2014

O perigo do orgulho denominacional


               

Antes de tudo, no Reino de Deus, precisamos de compreender e praticar os princípios que regem a vida cristã, dentre os quais está a resignação em prol do pleno serviço ao Senhor e à Sua Igreja, porque "se alguém quiser ser o primeiro, será o último, e servo de todos" (Marcos 9.3).

Além disso, lembremo-nos do que Cristo disse: "Pois nem mesmo o Filho do homem veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de muitos" (Marcos 10.45).

Qual (is) tradução (ões) e/ou versão (ões) da Bíblia em língua portuguesa você mais utiliza?


Através desta postagem, gostaria de que meus leitores e/ou visitantes pudessem responder e participar da enquete (ao lado direito) sobre qual é a sua tradução e versão bíblica predileta. Caso tenha mais de uma preferência, fiquem à vontade para votar.

Ademais, quem quiser fundamentar sua escolha por determinada tradução e/ou versão, peço que comente, pois será de muita valia esta pesquisa.

Em Cristo Jesus,

João Paulo M. de Souza

segunda-feira, 21 de abril de 2014

O coração do homem e a resposta de Deus



"O coração do homem pode fazer planos, mas a resposta certa dos lábios vem do SENHOR. Todos os caminhos do homem são puros aos seus olhos, mas o SENHOR pesa o espírito" (Provérbios 16.1, 2).

terça-feira, 11 de março de 2014

Meninos e meninas no entendimento





"Quanto a isso, temos muito que dizer, coisas difíceis de explicar, porque vocês se tornaram lentos para aprender. Embora a essa altura já devessem ser mestres, vocês precisam de alguém que lhes ensine novamente os princípios elementares da palavra de Deus. Estão precisando de leite, e não de alimento sólido! Quem se alimenta de leite ainda é criança, e não tem experiência no ensino da justiça" (Hebreus 5.11-13, NVI).


Podemos fazer algumas constatações a respeito dos versos acima:

1) O escritor fala de pessoas que são "lentas para aprender", ou seja, pessoas que não gostam de aprender no tempo certo;

2) O escrito diz que, pelo tempo de crente, essas pessoas já deveriam ser "mestres"! Isso mesmo, já deveriam ser bem maduras;

3) O escritor afirma a necessidade que essas pessoas têm de voltar a serem cuidadas assim como um adulto cuida de uma criança pequena;

4) O escritor atesta que perdeu o seu tempo, enquanto esteve com esses crentes infantis, necessitando novamente de lhes dar leite espiritual, isto é, ensinar de novo "os princípios elementares da palavra de Deus";

5) O escritor aos Hebreus confirma a verdade de que aqueles irmãos não podiam ouvir palavras mais fortes, símbolo do alimento sólido. Afinal, um recém-nascido não pode comer feijão, macaxeira etc.

6) O escritor diz que, "quem se alimenta de leite ainda é criança, e não tem experiência no ensino da justiça".

Parece-me que essas constatações enquadram-se direitinho no pano de fundo de diversas práticas reprováveis dentro de certas igrejas evangélicas. Diante disso, podemos destacar os puladores, os gritadores e os dançadores que se esbaldam nos ritmos alucinantes.

Mas, para não apenas rotular os "meninos" e "meninas" espirituais que adoram PULAR, GRITAR E DANÇAR em certas igrejas, recomendo-vos a leitura de Hebreus 5.14: "Mas o alimento sólido é para os adultos, os quais, pelo exercício constante, tornaram-se aptos para discernir tanto o bem quanto o mal".

Portanto, "meninos" e "meninas", leiam mais a Bíblia. E cultivem um espírito humilde para aprender, porque espírito contencioso não tem morada no coração de um verdadeiro cristão (Filipenses 4.8).

Em Cristo,

João Paulo M. de Souza