quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Enfim, uma abordagem sensata sobre o Dízimo

           

Um comentário:

Anônimo disse...

GOSTEI DA EXPLANAÇÃO COM CONHECIMENTO E FRANQUEZA. DE FATO O TEXTO DE MALAQUIAS NÃO PODE SER APLICADO LITERALMENTE À IGREJA CEISTÃ, POIS O MESMO SE DEU NOS TERMOS DO VELHO PACTO. MUITOS LÍDERES EVANGÉLICOS NÃO QUEREM ABRIR MÃO DO DÍZIMO E PARA ISSO DISTORCEM AS ESCRITURAS, ALEGANDO QUE O DÍZIMO PERTENCE À GRAÇA PORQUE JÁ EXISTIA ANTES DA LEI (ABRAÃO E JACÓ). PORÉM, SE ASSIM FOSSE, O SÁBADO, A CIRCUNCISÃO DO PREPÚCIO, O HOLOCAUSTO, A SEPARAÇÃO ENTRE ANIMAIS LIMPOS E IMUNDOS (Noé, quando saiu da arca, fertou animais limpos a Jeová), O LEVIRATO (costume hebraico que obriga o irmão a se casar com a viúva de seu irmão falecido)... TODOS ESSES COSTUMES ANTECEDERAM À LEI DE MOISÉS, MAS, COM O ADVENTO DA LEI, TORNARAM-SE LEI E, POR ISSO, NADA TÊM A VER COM A SÃ DOUTRINA APOSTÓLICA, OU SEJA, A DOUTRINA DE CRISTO. PAZ.