terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Enganando e sendo enganado


Dizer que é crente evangélico e praticar as mesmas coisas que o mundo pratica, nada mais significa do que "enganar e ser enganado". Esse mundo de que falo é constituído das pessoas e do sistema influenciados pelo Maligno. Este nada tem com o Ungido (Jo 14.30).

Quem são considerados por Jesus o "sal da terra"? Por acaso não são aqueles (as) que renunciam os prazeres carnais e mundanos, para servir fielmente a Cristo: "Vós [Igreja] sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta, senão para se lançar fora  e ser pisado pelos homens" (Mt 5.13, grifo nosso)?

Por aí há muitas e muitos se autodenominando "sal da terra", porém suas obras são verdadeiras réplicas das do mundo. Entendo de que Jesus não nos chamou para sermos iguais aos incrédulos, que, segundo a Bíblia, estão "assentados" em trevas (Mt 4.16). Pelo contrário, nossas obras devem resplandecer como luz, para a glória de Deus Pai (Mt 5.16).

Por conta dos dúbios ou daqueles (as) que servem a dois senhores é que o Reino de Deus, neste momento, não está ainda mais povoado. Deus não aceita dividir sua glória com ninguém: "Eu sou o SENHOR; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não darei, nem o meu louvor, às imagens de escultura" (Is 42.8).

João Paulo M. de Souza

Nenhum comentário: