segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Feliz 2013 a todos e a todas!


Sinto-me assaz agradecido a Deus por todos os benefícios que me tem concedido neste ano (Sl 103.1, 2), como também pela força (Ef 6.10) que me deu para superar dificuldades. O Senhor, sem dúvida alguma, é digno de ser engrandecido de eternidade a eternidade. Suas misericórdias "são a causa de não sermos consumidos... porque... não têm fim" (Lm 3.22).

Além de externar minha gratidão ao Senhor, gostaria de agradecer a você, leitor (a) que, durante este ano, visitou-nos, honrando-nos com sua preciosa "presença". Deus lhe pague. Ele não é injusto (Hb 6.10).

Meus sinceros votos de feliz Ano Novo são para que Deus abençoe cada vez mais a todos os salvos da Terra, bem como arrebanhe milhões de ovelhas que ainda não fazem parte de Seu aprisco (Jo 10.16). "O Senhor é bom" (Na 1.7)  e "galardoador daqueles que o buscam" (Hb 11.6).

Transcrevendo uma expressão de Paulo, findo a última postagem de 2012: "Posso todas as coisas naquele que me fortalece" (Fl 4.13).

Feliz 2013!

domingo, 30 de dezembro de 2012

Onde você estará na chegada do Ano Novo?


Como de costume, receberei a visita do Ano Novo numa igreja evangélica, adorando e agradecendo a Deus pelo que Ele é, pelo que tem feito por nós e pelo que ainda irá fazer. E você? Onde estará quando do raiar de um novo ano? Numa igreja? Numa praia? Ou em qualquer outro lugar, menos num templo evangélico?

Pense nisso.

O irmão de carne de Jesus condena o fazer acepção de pessoas



Tiago 2:1-13

Meus irmãos, como crentes em nosso glorioso Senhor Jesus Cristo, não façam diferença entre as pessoas, tratando-as com favoritismo (v.1); 

Suponham que na reunião de vocês entre um homem com anel de ouro e roupas finas, e também entre um homem pobre com roupas velhas e sujas (v.2);

Se vocês derem atenção especial ao homem que está vestido com roupas finas e disserem: "Aqui está um lugar apropriado para o senhor", mas disserem ao pobre: "Você, fique de pé ali", ou: "Sente-se no chão, junto ao estrado onde ponho os meus pés" (v.3);

Não estarão fazendo discriminação, fazendo julgamentos com critérios errados? (v.4);

Ouçam, meus amados irmãos: não escolheu Deus os que são pobres aos olhos do mundo para serem ricos em fé e herdarem o Reino que ele prometeu aos que o amam? (v.5).

Mas vocês têm desprezado o pobre. Não são os ricos que oprimem vocês? Não são eles os que os arrastam para os tribunais? (v.6);

Não são eles que difamam o bom nome que sobre vocês foi invocado? (v.7);

Se vocês de fato obedecerem à lei real encontrada na Escritura que diz: "Ame o seu próximo como a si mesmo", estarão agindo corretamente (v.8);

Mas se tratarem os outros com favoritismo, estarão cometendo pecado e serão condenados pela Lei como transgressores (v.9);

Pois quem obedece a toda a Lei, mas tropeça em apenas um ponto, torna-se culpado de quebrá-la inteiramente (v.10);

Pois aquele que disse: "Não adulterarás", também disse: "Não matarás". Se você não comete adultério, mas comete assassinato, torna-se transgressor da Lei (v.11);

Falem e ajam como quem vai ser julgado pela lei da liberdade (v.12);

Porque será exercido juízo sem misericórdia sobre quem não foi misericordioso. A misericórdia triunfa sobre o juízo! (v.13).


sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

"Igrejas sem brilho"


"A Igreja é um organismo jamais vencido, mas a intervenção humana modifica a estrutura das peças estabelecidas por Deus para o seu perfeito funcionamento" (Emílio Conde).

Acabei de ler o livro "Igrejas sem brilho", editado pela Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD), cujo autor  é o saudoso irmão Emílio Conde. Nesse interessante livro, com muito pesar, podemos constatar a veracidade da realidade contrastante entre a Igreja Primitiva e muitas igrejas de hoje. Quanta diferença! Confesso que chorei ao ler alguns trechos desse pequeno volume.

Ficaremos ainda mais sobressaltados se lermos, em oração e com vagar, o livro do qual Emílio extraiu questões fundamentais, Atos dos Apóstolos, que nos mostra a simplicidade e união das igrejas dos primórdios do Cristianismo. Entretanto, não pretendo, aqui, desestimular ninguém com relação a irrefutável realidade cristã em que vivemos, mas, de alguma forma, alertar e advertir sobre a premente necessidade de voltarmos às práticas saudáveis e espirituais dos tempos apostólicos.

Caso o (a) leitor (a) tenha a oportunidade de ler "Igrejas sem brilho", verificará o que eu digo. Esse livro não só ressalta a triste realidade de muitas igrejas (denominações, comunidades...) hoje, como também nos enche de esperança de dias melhores.

Deus não mudou, Ele é o mesmo (Ml 3.6; Hb 13.8). Aleluia!

Com amor,

João paulo M. de Souza

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

E não é que tem sentido, irmão Emílio...


Qual é a missão da Igreja, à luz da Palavra de Deus? Será a de formar intelectuais e dar ao mundo homens com preparo e títulos universitários? Não, essa não é a missão da Igreja. Jesus mesmo definiu a verdadeira missão da Igreja, dizendo: "Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações... ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado" (Mt 28.18, 19, ARA). Aí está o programa da Igreja. E os discípulos o cumpriram. É lógico que alguém deve cuidar da instrução, mas isso não é a missão fundamental da igreja: é elemento acessório.

Não julgue que somos contrários a qualquer forma de educação. Não. Insistimos apenas em conservar a vida espiritual dependente dum poder mais elevado que a instrução humana não pode dar. Julgamos que, na igreja, vale mais um homem convertido e salvo, dedicado a testificar de Cristo, embora indouto, do que cem intelectuais agnósticos que julgam a perfeição distante e inatingível.

Trecho do livro Igrejas sem brilho do saudoso irmão Emílio Conde.

Os dinossauros realmente existiram?



Ninguém em sã consciência aceitará, sem questionar, os dinossauros produzidos pelos efeitos especiais de Spielberg, tais quais nos são apresentados no Jurassic Park, filme que rendeu aos seus produtores, mais de um Bilhão de dólares. E que servem apenas para adubar o imaginário popular com imagens dantescas de supostos animais pré-históricos.  Até porque, tudo o que os paleontólogos podem oferecer, são ossadas e fósseis antigos, de animais gigantes que existiram no passado. Eles não podem, por exemplo, determinar qual era a cor desses animais e outras estruturas estéticas com precisão. É como se alguém, por exemplo, não conhecesse um leão e encontrasse uma antiga ossada de leão. Ora, como saberia que o leão tinha uma juba? Temos informações que milhares de fósseis têm sido encontrados em praticamente todos os continentes, e indicam vestígios de plantas e animais que existiram há muitos anos.

Os primeiros fósseis dos chamados dinossauros foram encontrados em 1822, por caçadores de fósseis amadores. Na medida em que outros ossos com as mesmas características foram sendo encontrados, teve inicio uma competição entre cientistas americanos e europeus que descobriram esqueletos quase que completos desses animais gigantes. É dessa forma que ficamos sabemos que os fósseis existem, e indicam que animais de grande porte viveram numa determinada época e que foram extintos. Entretanto, essa informação cientifica não desqualifica em nada o criacionismo bíblico, pelo contrário comprovam a exatidão bíblica.  É importante que se saiba que o termo dinossauro é muito recente, surgiu apenas no século XIX e está vinculado diretamente à teoria evolucionista. O termo significa: Lagarto terrível.

Mas, a questão é: a Bíblia fala dos dinossauros? Bem, quanto a isso não há nenhum problema insolúvel, pois há textos bíblicos que falam de animais gigantes e feras. Senão vejamos: Gn 1.20, 21, 24, 25, diz-nos: “E disse Deus: Produzam as águas abundantemente répteis de alma vivente; [...]. E Deus criou as grandes baleias (monstros), e todo o réptil de alma vivente que as águas abundantemente produziram conforme as suas espécies; [...]. E disse Deus: Produza a terra alma vivente conforme a sua espécie; gado, e répteis e feras da terra conforme a sua espécie; e assim foi. E fez Deus as feras da terra conforme a sua espécie, [...], e todo o réptil da terra conforme a sua espécie; e viu Deus que era bom.” Ao lermos este texto, fica patente a possibilidade de haverem existido no passado, grandes animais que foram extintos e entre eles poderíamos encaixar perfeitamente o que os biólogos e paleontólogos chamam de dinossauro.

O que dizer, por exemplo, do dragão de Komodo, o maior lagarto do mundo que vive atualmente na ilha de Komodo, no Oceano Pacífico, e que inclusive deve ter servido de referencial e inspiração para a montagem das imagens dos répteis gigantes chamados dinossauros, pois os lagartos de Komodo apresentam algumas semelhanças, guardadas as devidas proporções, com aquilo que teriam sido os répteis pré-históricos. Ou seja, nada impede que lagartos bem maiores tenham existido em algum momento da história. Podemos então concluir que é perfeitamente possível que, dentre as espécies que existiram no passado e foram extintas, seja por eventos naturais como o dilúvio ou pela ação predatória dos homens, encontravam-se os chamados dinossauros.

Artigo extraído do blog do pastor Issac Silva

Que tal deixar o fardo do pecado para trás agora e prosseguir em vitória na presença do Senhor?

É incrível como estamos presenciando, mais do que em qualquer outro tempo, um exacerbado espírito relativista operando no mundo. Relativismo, segundo o dicionário da língua portuguesa Houaiss, significa "doutrina segundo a qual os valores morais não apresentam validade universal e absoluta, diversificando-se ao sabor de circunstâncias históricas, políticas e culturais". Negar verdades absolutas é a insígnia dessa doutrina, é a crença daqueles que, a qualquer preço, não querem aceitar as verdades de Deus.

Falar do que lhe der na telha e da forma que lhe apraz é moda hoje em dia para muita gente. Muitos pensam que a vida sem direção divina é remédio para a alma. Que terrível engano! Eles falam, praticam e ensinam imoralidades... E a reflexão sobre o amanhã, onde fica? Alguém já disse por aí : "Deixa a vida me levar... Vida leva eu..." (sic). Será que a vida sem Deus tem envergadura para, no futuro, colher bons resultados? Ou será que capengas, como revelam as Escrituras (Sl 53.1), os néscios encontrarão guarida na eternidade? Sinto muito dizer: "... aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disso, o juízo" (Hb 9.27). E este juízo é sem misericórdia (Tg 2.13).

Se, em 2012 e tempos mais idos, muitos viveram banqueteando-se no pecado, agora é hora de refletirem sobre suas vidas, para que não aconteça de, no momento da prestação de contas, não serem achados dignos da misericórdia do Senhor. Este, por sinal, mediante  o arrependimento e o abandono do pecado por parte de muita gente, continua-lhe oportunizando a salvação eterna: 

"Buscai ao SENHOR enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem maligno, os seus pensamentos e se converta ao SENHOR, que se compadecerá dele; torne para o nosso Deus, porque grandioso é em perdoar" (Is 55.6, 7).

Não fomentemos a prática da imoralidade, porque "que diremos, pois? Permaneceremos no pecado, para que a graça seja mais abundante? De modo nenhum! Nós que estamos mortos para o pecado, como viveremos ainda nele?" (Rm 6.1, 2). Mas, com amor, mostremos, de acordo com a Bíblia, o caminho certo (Jo 14.6), o fruto correto (Gl 5.22) e a caminhada santa e pacífica em Deus (Hb 14.12).

Neste momento, convidamos a todos que ainda andam por caminhos tortuosos, a que entendam de que "há caminho que ao homem parece direito, mais o fim dele são os caminhos da morte" (Pv 14.12). "Que tal deixar o fardo do pecado para trás agora e prosseguir em vitória na presença do Senhor?" (Jo 1.29).

Com amor,

João Paulo M. de Souza

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

O Menino nasceu: Feliz Natal!


Sabe-se que Cristo não nasceu em 25 de dezembro, mas, apesar dessa verdade, não devemos desprezar a importância de seu milagroso nascimento: "Glória a Deus nas alturas, paz na terra, boa vontade para com os homens!" (Lc 2.14).

No Senhor,

JPMS

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

VINACC e UBE realizam 1º Encontro de Blogueiros Evangélicos



Uma das novidades de 2013 da 15ª edição do Encontro para a Consciência Cristã, evento realizado em Campina Grande/PB que reúne evangélicos de todo o Brasil para exaltar a pessoa de Cristo, será o 1º Enblogue (Encontro Nacional de Blogueiros Evangélicos), organizado pela VINACC e pela UBE – União de Blogueiro Evangélicos.

Entre os palestrantes do evento estão blogueiros consagrados como Norma Braga, Pr. Renato Vargens, Pr. Altair Germano, Pr. Carlos Roberto Silva, Valmir Nascimento Milomem e Vinícius Pimentel. As palestras vão abordar a gênese e a importância da blogosfera cristã; O futuro da igreja brasileira e a influência para a Teologia Cristã (Apologética e Cosmovisão); A qualificação dos blogueiros; Blogs e liderança intelectual. Uma das apresentações vai discorrer sobre como fazer posts se transformarem em livro. Ao final, haverá uma mesa redonda com a participação de todos os preletores.

De acordo com um dos Coordenadores do I Enblogue, Valmir Nascimento Milomem, o objetivo do evento é discutir o papel dos blogs dentro do atual contexto da igreja cristã. Segundo Valmir, os blogs são um dos principais meios de comunicação da atualidade e tem influenciado vários setores da sociedade como política, jornalismo, educação e produção de conhecimento. Dessa forma, o I Enblogue visa debater esse assunto à luz da teologia cristã e trazer princípios bíblicos e estratégias para que a mensagem cristã produza verdadeiro impacto na internet.

A expectativa dos organizadores é que blogueiros de vários Estados da federação participem deste evento inédito, e que as palestras e discussões sirvam como referencial para tornar a blogosfera evangélica mais coesa, aumentando a sua influência na sociedade.

A décima quinta edição do “Consciência Cristã” terá ao todo 25 eventos simultâneos, com espaço para todos os públicos e idades. De acordo com a coordenação, cerca de 60 mil pessoas devem visitar o evento durante os sete dias de programação. A montagem da estrutura começará na primeira semana do próximo mês.

O I Enblogue será realizado no dia 09 de fevereiro de 2013 e a inscrição é gratuita.


Qualificações bíblicas para o exercício do presbiterato


Estudando o Livro e analisando sobre o ministério local e prático na Igreja dos tempos apostólicos, li 1 Timóteo 3.2-7 e, conforme orientação do Espírito, achei interessante listarmos aqui as principais características que devem figurar na vida de um verdadeiro presbítero, que é um exemplo para o rebanho de Deus (1 Pd 5.1-3).

Conforme as Escrituras, convém que o bispo seja:
  • "irrepreensível" (v.2);
  • "marido de uma mulher" (v.2);
  • "vigilante" (v.2);
  • "sóbrio" (v.2);
  • "honesto" (v.2);
  • "hospitaleiro" (v.2);
  • "apto para ensinar" (v.2);
  • "não dado ao vinho" (v.3);
  • "não espancador" (v.3);
  • "não cobiçoso de torpe ganância, mas moderado" (v.3);
  • "não contencioso" (v.3);
  • "não avarento" (v.3);
  • "que governe bem a sua casa, tendo seus filhos [caso os tenha] em sujeição, com toda a modéstia..." (v.4, 5, grifo meu);
  • "não neófito", ou seja, não novo convertido (v.6);
  • "que tenha bom testemunho dos que estão de fora [dos que não são crentes], para que não caia em afronta e no laço do diabo" (v.7, grifo meu).

Com amor,

João Paulo M. de Souza

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Paulo: fidelidade na transmissão da Palavra de Deus



O capítulo 11 e versículo 23 da Primeira Epístola de Paulo aos Coríntios mostra-nos a fidelidade desse apóstolo na transmissão, sem reservas, de tudo o que havia aprendido de Jesus. Também, indiretamente, o doutor dos gentios ensina-nos a conservar pura a essência das palavras de Cristo, bem como de todas as Escrituras Sagradas.

"Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei" fala da imensa graça de Deus em conceder aos seres humanos revelações inefáveis sobre seu Filho. Deus revela Sua mensagem às pessoas, e estas têm a nobre missão de repassá-la sem mácula, sem adulterações - sem acréscimos ou decréscimos - aos seus semelhantes. Que maravilhosa oportunidade, não acha?

Essa postura de Paulo deve ser levada em conta, pois ele também asseverou: "Porque nós não somos, como muitos, falsificadores da palavra de Deus; antes, falamos de Cristo com sinceridade, como de Deus na presença de Deus" (2 Co 2.17). Decerto, esse homem justo, durante o seu santo ministério, buscou imitar seu Senhor: "Sede meus imitadores, como também eu, de Cristo" (1 Co 11; cf. 2 Co 11.23-33).

Sem sobra de dúvida, assim como Paulo, procuremos imitar piamente o nosso Mestre: 

"Porque eu [Jesus] não tenho falado de mim mesmo, mas o Pai, que me enviou, ele me deu mandamento sobre o que hei de dizer e sobre o que hei de falar. E sei que o seu mandamento é a vida eterna. Portanto, o que eu falo, falo-o como o Pai mo tem dito" (Jo 12.49, 50, grifo nosso).

Com amor,

João Paulo M. de Souza

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

A Igreja de Cristo não engole sapo: ai dos adulteradores das Escrituras Sagradas


À semelhança da época do profeta Isaías, estamos vivenciando tempos difíceis. Tempos estes que muitos  preferem, voluntariamente, o pecado aos valores decentes e cristãos: "ao mal chamam bem e ao bem, mal! Que fazem da escuridade luz, e da luz, escuridade, e fazem do amargo doce, e do doce, amargo!" (Is 5.20). Deus, para os iníquos, é deixado de lado. Entretanto, como não dorme nem tosqueneja (Sl 121.3, 4), o Santo tomará as devidas providências.

Na última postagem deste blogue, noticiamos a edição da Bíblia Gay (isso mesmo que você leu!), mais conhecida como "Bíblia Rainha James". O que me chama a atenção nessa atitude infeliz por parte de pessoas desprovidas do Espírito Santo, é o fato de essa horrorosa versão bíblica (bíblica?) ter sido modificada, isto é, os que participaram de sua elaboração transmudaram vários textos, sobretudo aqueles que, segundo eles, são "homofóbicos".

Será que a vontade humana deve prevalecer sobre a divina? É óbvio que não! No entanto, esses ativistas querem, a todo custo, "enfiar" goela abaixo do povo de Deus suas depravadas heresias. Porém, o Guarda de Israel não dorme nem cochila (Sl 121.3, 4). No tempo certo, o Senhor dará o justo pagamento a esses homens e mulheres corruptos de entendimento: "Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também colherá" (Gl 6.7).

Será que, antes de editarem essa indecente bíblia, essas pessoas não leram o que diz Apocalipse 22.18, 19? 

"Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro; e, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte da árvore da vida e da Cidade Santa, que estão escritas neste livro."

Reitero o que diz Gálatas 6.7: "Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem [ou mulher] plantar, isso também ceifará". Trocando em miúdos: quem planta corrupção colhe corrupção, e vice-versa.

Resumindo tudo, jamais a Igreja do Senhor engolirá sapo de quem quer que seja! 

João Paulo M. de Souza

sábado, 15 de dezembro de 2012

Ativistas lançam "Bíblia gay" para desmistificar a homossexualidade



Após centenas de debates entre a comunidade LGBT e os evangélicos sem uma solução definitiva, um grupo de ativistas decidiu publicar a primeira “Bíblia Gay”.
A homossexualidade continua a ser uma questão amplamente debatida e a Bíblia tradicionalmente é vista como um documento que condena a relação sexual de pessoas do mesmo sexo. Por isso, alguns editores anônimos afirmam que chegou a hora de reinterpretar as Escrituras para criar uma tradução favorável a gays e lésbicas.
Ela é chamada de “Bíblia Rainha James”, pois segundo o grupo responsável pela sua edição, o Rei James da Inglaterra, que autorizou a primeira tradução para o inglês mais de 400 anos atrás, seria gay.
“A Bíblia Rainha James resolve quaisquer interpretações homofóbicas da Bíblia, mesmo assim sabemos que a Bíblia ainda está cheia de contradições”, diz o website que promove a publicação. “Não há Bíblia perfeita. Esta também não é. Nós queríamos fazer um livro cheio da palavra de Deus, que ninguém poderia usar para condenar incorretamente os filhos de Deus que nasceram LGBT, e conseguimos. ”
Os editores fazem várias ponderações sobre as dificuldades de tradução de termos como “sodomita” e “abominação”. Afirmam ainda que a palavra “homossexual” não foi colocada no livro sagrado até 1946 e que esse termo não existe em nenhum verso dos manuscritos originais. Essa nova versão é supostamente “mais pura”.
Levando em conta os versículos mais citados em argumentações teológicas contra a homossexualidade e a atração pelo mesmo sexo, os editores dizem terem refeito o texto “de uma maneira que faz com que seja impossível haver interpretações homofóbicas.”
Para eles, essa Bíblia visa corrigir “algumas passagens que geram discriminação contra os membros da comunidade LGBT” e “ser uma referência para as pessoas da comunidade gay que são crentes, e agora têm uma Bíblia que se adapta à sua forma pensar e não discrimina segundo a orientação sexual”.
Fonte: Gospel Prime

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Caso não haja arrependimento, será quebrantado de repente...



Segundo a Bíblia, quem, teimosamente, nega-se a aprender com o Senhor, resistindo-lhe até às últimas consequências, seu fim será funesto: "O homem que é corrigido muitas vezes e não muda seu comportamento errado será derrubado violentamente, de repente, e não haverá recuperação para ele" (Pv 29.1, Nova Bíblia Viva).

Aos que ainda continuam obstinados no seu mau caminho,  assim diz o Espírito Santo: "Se ouvirdes hoje a sua [de Deus] voz, não endureçais  o vosso coração" (Hb 3.7, 8, grifo nosso). Portanto, faço minhas as palavras do escritor da epístola aos Hebreus:

"Vede, irmãos, que nunca haja em qualquer de vós um coração mau e infiel, para se apartar do Deus vivo. Antes, exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado" (Hb 3.12).

João Paulo M. de Souza

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

O modo de pensar de Jesus


Para nossa meditação, abaixo transcreveremos as palavras de Paulo aos filipenses acerca do "modo de pensar" de Jesus, que, sem sombra de qualquer dúvida, é o sublime referencial a ser imitado pelos crentes verdadeiros. Após isso, evidenciaremos do texto alguns pontos importantes desse testemunho.

"De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve em também em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus. Mas aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte e morte de cruz" (Fl 2.5-8).

Com vagar, meditemos sobre as seguintes expressões que corroboram a forma de como Cristo pensa: Não usurpou o lugar de Deus; "aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servohumilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte e morte de cruz".

João Paulo M. de Souza

domingo, 9 de dezembro de 2012

Vontade de Deus: casamento heterossexual, nada mais além disso


Muitas pessoas da sociedade hodierna querem forçar de todos os jeitos e formas inimagináveis a que os servos de Deus se dobrem diante de sua cosmovisão sórdida e obscurantista. Nós, que somos "santos" do Senhor (1 Pe 1.16), não devemos coadunar com práticas pecaminosas, não devemos  apoiar "as obras infrutuosas das trevas, mas, antes, condená-las" (Ef 5.11).

Em Gênesis 1.27, está escrito assim: "Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou". Como podemos constatar, o Senhor não criou um terceiro gênero sexual! Mas criou, de acordo com o verso supracitado, "um homem e uma mulher", ou seja, um casal heterossexual.

De acordo com a Biologia e a Verdade, o nascimento de um ser humano se dá a partir da fecundação do óvulo pelo espermatozoide. Aqui, entende-se claramente que não existe fecundação entre dois óvulos ou entre dois espermatozoides! Em suma, união entre duas pessoas do mesmo sexo não gera filho (s).

A vontade de Deus para o casamento é que este seja entre duas pessoas de sexos diferentes, com o fito de "frutificar" e "multiplicar", ou seja, gerar filho (s) (Gn 1.28). O que passa disso, o Senhor desaprova: "Nenhum homem deverá ter relações sexuais com outro homem; Deus detesta isso" (Lv 18.22, NTLH). Isso também vale para o sexo feminino (Rm 1.26, 32).

Não adianta o mundo, com sua putrefação espiritual, querer incutir seu pensamento das trevas na cosmovisão da verdadeira Igreja de Cristo, a Noiva do Cordeiro. Esta é pura, lavada, imaculada, santa, sem ruga (Ef 5.26). Além disso, o Templo de Deus é habitado pelo Santo Espírito (1 Co 3.16). Por isso que o Corpo de Cristo (1 Co 12.27) afasta-se de toda podridão mundana (Mt 5.13).

João Paulo M. de Souza

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Bloguista evangélico: quais as suas reais intenções ao publicar suas postagens?


Ao ler a interrogação do título desta postagem, alguém pode indagar, dizendo: "Eu acho desnecessária essa interpelação. É lógico que qualquer blogueiro evangélico posta textos em seu blogue visando a agradar a Deus". Porém, penso comigo: será que isso é verdade? Ou será que existe "servos de Deus" encharcados de interesses próprios e  de más intenções? Será que todo cristão que tem uma página cibernética - às vezes, bem elaborada - busca satisfazer ao Senhor?

Quer saber porque muitos bloguistas erram o alvo, isto é, pecam feio na sua lida cibernética? É porque trocam a vontade de Deus para sua vida pelos seus próprios interesses carnais e tendenciosos. Não se engane, caro leitor, com as aparências de certas pessoas, pois o exterior nem sempre está em harmonia com o interior delas. Confiramos: "E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz. Não é muito, pois, que os seus ministros se transfigurem em ministros da justiça" (2 Co 11.14, 15).

Nós, blogueiros evangélicos, meditemos nisto: "Estamos buscando postar realmente o que agrada a Deus ou o que agrada ao nosso umbiguinho?"

João Paulo M. de Souza

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

A extrema corrupção nos últimos tempos (6)

Por João Paulo Souza


Neste último post sobre a série "A extrema corrupção nos últimos tempos", estaremos falando sobre pessoas que são "mais amigas dos deleites do que amigas de Deus" e sobre as que "têm aparência de piedade, mas negam a eficácia dela. 

"Mais amigos dos deleites do que amigos de Deus" (v.4). "Amarão mais os prazeres do que a Deus" (v.4, NTLH). Será que nós não estamos vivendo um tempo que evidencia essa realidade? O entretenimento, a glutonaria, a luxúria, a avareza, a fama, a riqueza etc. são o alvo dessa sociedade sem Deus. Cada vez mais, Deus tem sido esquecido da mente e do coração dessa geração perversa e hedonista. O deus deles é o prazer da carne e dos pensamentos.

"Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela" (v.5). O que quer isso dizer? Quer dizer que muitos se passam por quem, na verdade, não são. Só têm a "casca", a "faixada", isto é, por dentro estão ocos de Deus, mas cheios de pecados. Perderam a reverência ao Senhor. Os religiosos dos tempos de Jesus são um exemplo clássico disso: "Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda imundícia" (Mt 23.27). Para se ter uma visão mais profunda sobre essa questão, recomendamos ao leitor que leia todo o capítulo 23 do evangelho de Mateus.

Não adianta ser eloquente na pregação ou ser afinado na música evangélica ou ser eficiente em quaisquer serviços na igreja local, se, para o Reino de Deus, não se está fazendo absolutamente nada. Muitas vezes, certas pessoas não podem ver o que estamos fazendo, mas Deus conhece as obras de cada um de nós (Ap 3.8a). Ele sabe se estamos tendo prazer nEle ou não.

É bom lembrarmos de que não devemos comungar com essas classes de pessoas: "Destes afasta-te" (v.5).

Por fim, encerramos nossa série de postagens. Esperamos ter ajudado o caro (a) leitor (a).

Deus continue nos abençoando em Cristo!

A extrema corrupção nos últimos tempos (5)

Por João Paulo Souza


Continuando – depois de darmos uma parada por alguns dias - a nossa série de estudos sobre 2 Timóteo 3.1-5, falaremos sobre mais três aspectos observáveis na humanidade de hoje: traição, obstinação e orgulho.

“Traidores” (v.4). O que Paulo quis dizer com essa palavra? O apóstolo quis enfatizar a deslealdade exasperada de uns para com os outros nos últimos tempos. Época esta do pós-modernidade e do humanismo, segundo os quais o homem deve ser o centro das coisas - o individualismo, o consumismo e a ética hedonista (dedicação ao prazer como estilo de vida) sufocam a aceitação das pessoas à vontade soberana de Deus. Por isso, para muitos, um dos “melhores” caminhos para se dar bem no mundo em que vivemos é “trair”, isto é, “quebrar a fidelidade prometida e empenhada por meio de ato pérfido” (Houaiss). Lembra-se de Judas Escariotes (Mt 26.48, 49)?

“Obstinados” (v.4). Obstinação, segundo a Bíblia de Estudo Palavras-Chave Hebraico e Grego, editada pela CPAD, traz o sentido figurado de “precipitação”. A versão da Bíblia Revista e Atualizada de João Ferreira de Almeida pontua “atrevidos”; também a Nova Versão Internacional (NVI) diz o mesmo. Em suma, o termo obstinação é claramente explicado pelas expressões “teimosia” ou “resistência tenaz em aceitar e obedecer à Palavra da Verdade, escolhendo, antes, ser insolente com Deus”.

“Orgulhosos” (v.4). Estes, para Paulo, eram os que “exaltavam a si mesmos”. Escravizados pelo “sentimento de prazer, de grande satisfação com o próprio valor, com a própria honra” (Houaiss), os ufanos ou inflados esbanjavam prepotência aonde iam ou por onde passavam, vangloriando-se, descaradamente, em seus vãos e pecaminosos pensamentos, palavras e atos. Por conta dessa realidade na cidade - e certamente no porvir -, o apóstolo Paulo aconselhou os irmãos coríntios a que se afastassem dessas pessoas (v. 5).

É necessário sabermos de que Deus não se coaduna com quem é orgulhoso, senão o que Jesus disse de si mesmo em Mateus 11.29 seria uma tremenda de uma falácia, você não acha? Mas não é assim, obviamente: “Tu [SENHOR] estás lá nas alturas, mas assim mesmo te interessas pelos humildes, e os orgulhosos não podem se esconder de ti” (Sl 138.6). Lembra-se do que disse o Mestre aos seus discípulos, quando da explicação de quem é o maior no Reino de Deus? “Portanto, aquele que se tornar humilde como esta criança, esse é o maior no Reino dos céus” (Mt 18.4).

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Pb. Enoque Barros: "A escolha de Deus"

                    

Assista a esta poderosa mensagem. Deus falará contigo. Aleluia!

Em Cristo,

João Paulo M. de Souza