terça-feira, 28 de agosto de 2012

"Ainda que a figueira não floresça..."


"Porquanto, ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja vacas, todavia, eu me alegrarei no SENHOR, exultarei no Deus da minha salvação. JEOVÁ, o Senhor, é minha força, e fará os meus pés como os das cervas, e me fará andar sobre as minhas alturas."

Essas palavras foram ditas por um dos profetas menores, Habacuque (Hc 3.17-19).

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

"Explicando o sentido" da Lei de Deus


Muitos "ensinam", mas poucos explicam o sentido correto daquilo que lecionam. Será que não tem sido assim com as prédicas cristãs de nossos dias? Nos púlpitos ou nas grandes tribunas, muito se fala, quase nada se explica.  Onde estão os verdadeiros mestres? Onde podemos encontrar aqueles e aquelas que, verdadeiramente, escavam no solo do conhecimento divino, em busca da sabedoria celestial?

Todos que laboram na seara do Senhor devem saber de que, para se alcançar um bom resultado no ensino, não basta apenas estudarem, mas é indispensável o estudo entusiasmado, sistemático e responsável das Escrituras Sagradas. Atitude esta que, infelizmente, tem sido encarada com negligência por muitos "mestres".

Para exemplo nosso, observemos Esdras e outros levitas, esmerados ensinadores. Estes homens de Deus, ao ensinarem a Lei ao povo, o faziam escorreitamente: "E leram o livro, na Lei de Deus, e declarando e explicando o sentido, faziam que, lendo, se entendesse" (Nm 8.8). Na última parte de Neemias 8.9, está escrito: "[...] todo o povo chorava, ouvindo as palavras da Lei". Por que todo o povo reagiu às palavras dos levitas? Simples: porque compreendiam o que estava sendo dito.

Reflitamos profundamente sobre esse pequeno texto.

João Paulo M. de Souza

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Fidelidade a Deus e ao cônjuge: "Compromisso Precioso"

                       

"[...] Amarás ao Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda tua alma, e de todas as tuas forças, e todo o teu entendimento e ao teu próximo como a ti mesmo. Venerado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula" (Lc 10.27; Hb 13.4).

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

O Caráter de Cristo é mais importante


Embora muita gente fique fascinada com crentes que são usados por Deus com os dons espirituais e/ou pregue eloquentemente e/ou tenha, de alguma forma, assaz influência no meio onde comunga, a Bíblia afirma que, apesar dessas coisas terem seu valor, tudo isso é simplesmente secudário. O mais essencial nos salvos é o caráter de Cristo (Gl 5.22). Podemos ver isso em Atos 6.

Diante do desprezo às viúvas gregas pelos hebreus, houve a necessidade de se instituir o diaconato, ministério este bastante importante (v. 3). Para tanto, foram escolhidos, dentre o povo, sete homens. Acerca destes homens, observemos a ordem escalar exigida pelos apóstolos: "Escolhei, pois, irmãos, dentre vós, sete varões de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria" (v. 3). Antes de serem cheios do Espírito e de serem sábios, era preciso que esses varões fossem estimados pela sociedade em que viviam. Hoje, em alguns lugares - e são muitos -, esse paradigma bíblico não vinga mais, não é mesmo?.

Apesar de ouvirem pregações a respeito, muitos desdenham do caráter de Cristo (Gl 5.22). Esse comportamento negativo é lamentável e destrutivo (2 Tm 4.10).  Como poderemos alcançar o Céu, se não assentimos com o que disse Jesus: "Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim" (Jo 14.6).

Em Cristo,

João paulo M. de Souza

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

"Disciplina: Além da Punição"


"Ao ouvir a palavra disciplinar, qual o primeiro significado que lhe vem à mente? Muitos pensam rapidamente em imagens de espancamento, castigo de ficar em pé olhando para a parede ou privação das atividades favoritas. Na verdade, a definição correta, segundo o Dicionário Aurélio, é 'fazer, obedecer ou ceder; acomodar, sujeitar e corrigir'. A palavra disciplinar vem do latim discipulus, de onde também provém a tão conhecida palavra discípulo. Que imagens a palavra discípulos traz à sua mente? Os doze fiéis seguidores de Jesus, dedicados a seguir seu caminho e aprender com Ele? Perspectiva um tanto diferente da que pensamos para nossos filhos, não?

[...] A definição para discipular é 'treinamento que desenvolve o autocontrole, caráter, bom comportamento e eficiência'. Não é o que realmente desejamos para nossos filhos, mesmo através da correção? Precisamos observar a disciplina em duas categorias principais. Primeiro, a disciplina que conferimos aos nossos filhos, a qual inclui exemplo, ensino e também a correção. Segundo, precisamos ajudar os nossos filhos a desenvolver a autodisciplina." *
 ______________________
* HUDSON, Kathi. Criando os Filhos no Caminho de Deus: Um guia bíblico para os cristãos. Rio de Janeiro: CPAD, 1997, p. 265, 267.     

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Ler bons livros e, sobretudo, as Escrituras Sagradas faz bem à vida


"A exposição das tuas palavras dá luz e dá entendimento aos símplices" (Sl 119.130).

"Sou mais prudente do que os velhos, porque guardo os teus preceitos" (Sl 119.100).

"Persiste em ler" (1 Tm 4.13).

"Quando vieres, traze a capa que deixei em Trôade, em casa de Carpo, e os livros, principalmente os pergaminhos" (2 Tm 4.13).

Ler - boas e vastas literaturas - é muito salutar para a vida! Por meio da leitura, navegamos ao passado, experimentamos o presente e vislumbramos o futuro. Portanto, o que você está esperando para, caso não tenha uma vida de leitor assíduo, começá-la agora? E não se esqueça: a Bíblia, em importância, está acima de qualquer outro livro que, porventura, você tenha lido ou que ainda lerá.

Em Cristo,

João Paulo M. de Souza

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

A base da genuína felicidade


Com vagar, leiamos alguns versos que trazem no seu bojo a verdadeira felicidade:

"Melhor é para mim a lei da tua boca do que inúmeras riquezas em ouro ou prata" (Sl 119.72).

"A sabedoria é mais preciosa do que as joias; tudo o que a gente deseja não se pode comparar com ela" (Pv 3.15, NTLH).

"Assim diz o SENHOR: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem se glorie o forte na sua força; nem se glorie o rico nas suas riquezas. Mas o que se gloriar, glorie-se nisso: em me conhecer e saber que eu sou o SENHOR, que faço beneficência, juízo e justiça na terra; porque destas me agrado, diz o SENHOR" (Jr 9.23-24).

"Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam. Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam, nem roubam. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração" (Mt 6.19, 20).

"Mas buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas" (Mt 6.33).

"Porque, para mim, o viver é Cristo, e o morrer é ganho" (Fl 1.21).

"Mas o que, para mim, era ganho, reputei-o perda por Cristo. E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas e as considero como esterco, para que possa ganhar a Cristo" (Fl 3.7, 8).

"Porque nada trouxemos para este mundo, e manifesto é que nada podemos levar dele. Tendo, porém, sustendo e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes" (1 Tm 6.7, 8).

"Pois o amor ao dinheiro é a raiz de todos os tipos de males. Algumas pessoas até voltaram as costas a Deus por causa do amor ao dinheiro e, como resultado, afligiram a si mesmas com muitos sofrimentos" (1 Tm 6.10, NBV).

Sem sombra de dúvida: sem Jesus, ninguém experimentará a plena felicidade (Jo 15.5; 16.22).

Em Cristo,

João Paulo M. de Souza

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Aperfeiçoemo-nos e deixemo-nos aperfeiçoar pelo Senhor para a obra do ministério


O dom de ensinar é uma dádiva de Deus, e nem todas as pessoas o têm (Rm 12.6, 7). Deus, dentre tantas outras formas de transmitir Sua vontade, ensina por intermédio da Sua Igreja, mais pontualmente por meio daqueles que receberam a capacitação do ensino, para "o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério [ato de servir], para edificação do corpo de Cristo" (Ef 4.12).

O termo "dedicação" significa "qualidade ou condição de quem se dedica a alguém ou algo; devotamento, entrega, sacrifício" (Dicionário Houaiss). Biblicamente, o crente entrega-se a Deus, para uso e posse dEle. Daí por diante, o Senhor usa-o para a edificação do Corpo de Cristo.

Como cada membro do corpo humano tem sua particular funcionalidade, semelhantemente cada membro de Cristo também tem sua importância na Igreja (Rm 12.4, 5). Por isso que cada um de nós tem que se aperfeiçoar na vocação em que fomos chamados:

"De modo que, tendo diferentes dons, segundo a graça que nos é dada: se é profecia, seja ela segundo a medida da fé; se é ministério, seja me ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino; ou o que exorta, use esse dom em exortar; o que reparte, faça-o com liberalidade; o que preside, com cuidado; o que exercita misericórdia, com alegria" (Rm 12.6-8).

Segundo a Escritura, é inadimissível o crente exercer o ofício do ensino na igreja e não se dedicar profundamente a esse glorioso ministério: "... haja dedicação ao ensino" (Rm 12.7). Certa vez, quando estávamos aprendendo em uma sala de escola dominical, um "professor" disse para os seus alunos: "Eu não gosto de ler". Depois dessa triste declaração, pensando consigo mesmo, cheguei a seguinte conclusão: "Se você não gosta de ler, o que está fazendo aí?" Esse é o retrato de muitos "professores" cristãos mundo a fora.

Pensemos e reflitamos consideravelmente sobre isso.

João Paulo M. de Souza

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Por que Deus me escolheu, se não sou perfeito?


Às vezes, pergunto-me: "Por que Deus escolheu-me, sendo eu uma pessoa tão limitada, fraca e falha?". Confesso que, se eu fosse Deus, não me escolheria. No entanto, Deus escolheu-me e nomeou-me para ir e dar muitos frutos (Jo 15.16). E não só a mim, mas o Senhor, ao longo de milênios, tem escolhido milhões e milhões de vidas para estarem sob Sua proteção e direção (Jo 1.12, 13).

O que me consola espiritualmente é o fato de o Senhor escolher coisas que, aos olhos humanos, são "loucas", "fracas", "vís", "desprezíveis" e "que não são", com o fito de aniquilar as que são (1 Co 1.28). Quem pode entender completamente as escolhas de Deus? Quem pode perscrutar os seus juízos? "Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos!" (Rm 11.33).

Em outra versão bíblica, a da Nova Bíblia Viva, podemos ler o que diz 1 Co 1.26-29:

"Observem entre vocês mesmos, queridos irmão, que poucos de vocês que foram chamados eram sábios de acordo com os padrões humanos, poucos eram poderosos ou de nobre nascimento. Pelo contrário, Deus deliberadamente escolheu valer-se de ideias que o mundo considera loucura para envergonhar aqueles indivíduos que o mundo considera sábios e grandes e escolheu o que o mundo acha fraco para envergonhar o que é forte. Ele escolheu o que é insignificante e desprezado pelo mundo, e que não é levado em conta absolutamente para nada, e o utilizou para reduzir a nada aqueles que o mundo considera grandes, para que ninguém, em parte alguma, se vanglorie na presença de Deus".

Quem imaginaria que Deus iria escolher o pequeno Davi, filho de Jessé (1 Sm 16)? E a escolha de Paulo que, segundo as Escrituras, perseguia cruelmente a Igreja Primitiva (At 9.1-18; 7.58; 22.4, 5). E Pedro que, no final do ministério de Jesus, ainda era como um barro de péssima qualidade (Jo 18.10)? Sim, é verdade! Mas Deus o havia escolhido... Quem poderia revogar a sentença do Senhor. Os seus pensamentos são diferentes dos nossos (Is 55.8).

Diante de tão inefável misericórdia divina, resta-nos reconhecer que ninguém é como o nosso Deus: "... porque o Senhor é muito misericordioso e piedoso" (Tg 5.11). Indubitavelmente, "a tua misericórdia, SENHOR, está nos céus, e a tua fidelidade chega até às mais altas excelsas nuvens" (Sl 36.5). Jamais Deus desiste e se esquece de nós!

Em Cristo Jesus,

João Paulo M. de Souza