quinta-feira, 28 de junho de 2012

Ao pecar contra Deus, não hesite em lhe pedir perdão


Quantas vezes não erramos contra Deus, não é verdade? Mas, apesar disso, jamais hesitemos em nos arrepender e implorar pelo perdão divino... Ele, o Senhor, é riquíssimo em misericórdia e, certamente, não desprezará a um coração contrito e abatido: "Pois tu, SENHOR, és bom, e pronto a perdoar, e abundante em benignidade para com todos os que te invocam" (Sl 86.5; cf. Is 57.15).

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

Líder que serve de tropeço ao rebanho


Imaginemos um irmão recentemente egresso do alcoolismo e convertido a Cristo deparando-se com o seu "digníssimo líder" tomando uma geladinha... Será que esse irmão não seria tentado a dar uma beiçada na "loirinha" que seu pastor, satisfeitamente, tivesse "saboreando"? Penso que, dificilmente, ele resistiria a um gole de cerveja, caso não ficasse escandalizado, você não acha?.

Para a nossa meditação:

"Mas, qualquer que escandalizar um destes pequeninos que creem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma mó de azenha, e se submergisse na profundeza do mar" (Mt 18.6).

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

quarta-feira, 27 de junho de 2012

O abismo que há entre duas sabedorias


Na carta de Tiago, este fala sobre duas sabedorias bastante diferentes, ou seja, contrapostas uma a outra. "A sabedoria que vem do alto" opõe-se à sabedoria "terrena, animal e diabólica. Sobre esta nem precisamos citar de onde se dá a sua origem, não é mesmo?

Para melhor assimilarmos a natureza das duas sabedorias mencionadas por Tiago (Tg 3.13-18), dividiremos suas características, respectivamente, em duas seções.


A Sabedoria "terrena, animal e diabólica":
  • Pruduz "amarga inveja" (v. 14);
  • Desencadeia "sentimentos facciosos" (v. 14);
  • É vangloriosa (v. 14);
  • É mentirosa e resistente à verdade (v.14);
  • É mundana, humana e demoníaca (v. 15);
  • Nela, há "perturbação e toda obra perversa" (v. 16).

A sabedoria "que vem do alto":
  • É "tratável" (v. 13, 17);
  • É "mansa" (v. 13);
  • É "sábia" (v. 13);
  • É "pura" (v. 17);
  • É "pacífica" (v. 17);
  • É "moderada" (v. 17);
  • É "cheia de misericórdia" (v.17);
  • É cheia de "bons frutos" (v. 17);
  • É sem "parcialidade" (v. 17);
  • É sem "hipocrisia" (v. 17);
  • É justa (v. 18).

Caro leitor, esperamos tê-lo ajudado.

João Paulo M. de Souza

terça-feira, 26 de junho de 2012

O pecado contra o Espírito Santo


Voce sabe o que é blasfêmia contra o Espírito de Deus? Não? Pois bem, através desta postagem, procuraremos - mediante a ajuda desse mesmo Espírito - dirimir essa dúvida tão cruel para os que pensam ter perdido a salvação. Para tanto, preste bastante atenção, e esteja, se possível, com a sua Bíblia aberta.

Acerca da transgressão contra o Espírito de Deus, muitos têm várias dúvidas a respeito desse assunto. Eu, por exemplo, quando dos primeiros meses de fé cristã, cheguei a ficar bastante preocupado com esse pecado, posto ter pensado que o havia cometido e perdido a salvação (Mt 12.31, 32). No entanto, para minha tranquilidade, eu estava errado!

O teólogo Myer Pearlman cita o dr. William Evans: 

"... resistir tem que ver com a obra regeneradora do Espírito, o entristecer diz respeito a habitação interna do Espírito Santo, ao passo que o extinguir tem que ver com o derramamento para servir" (Conhecendo as Doutrinas da Bíblia, Vida, 2006).

Salientamos o seguinte trecho do texto supracitado: "... resistir tem que ver com a obra regeneradora do Espírito". Isto é, só podemos converter-nos mediante o convencimento do Espírito (Jo 16.8-11), caso contrário, jamais seremos salvos, ou no caso de um crente desviado, este nunca poderá novamente desfrutar da vida em Cristo.

Uma palavra aos que estão angustiados por pensarem que pecaram contra o Espírito: somente pelo fato de estarem assim, já é prova suficiente de que não o cometeram:

"Sabendo que, se o nosso coração nos condena, maior é Deus do que o nosso coração e conhece todas as coisas. Amados, se o nosso coração nos não condena, temos confiança para com Deus" (1 Jo 3.20, 21).

Diante dessa realidade, jamais resistamos ao Consolador, à "unção do Santo": 

"E vós tendes a unção do Santo e sabeis tudo. E a unção que vós recebestes dele fica em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos ensina todas as coisas, e é verdadeira, e não mentira, como ela vos ensinou, assim nele permanecereis" (1 Jo 2.20, 27). 

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

sábado, 23 de junho de 2012

Humildade: por que não a buscarmos?


"SENHOR, o meu coração não se elevou, nem os meus olhos se levantaram; não me exercito em grandes assuntos, nem em coisas muito elevadas para mim. Decerto, fiz calar e sossegar a minha alma; qual criança desmamada para com a sua mãe, tal é a minha alma para comigo" (Sl 131.1, 2).

O "grande peixe" do século XXI é o SAMU?


Mais uma "pérola" dos "aterrorizadores" cristãos (cristãos?!): "As viaturas do SAMU são as 'baleias' de Deus para engolir os desobedientes de hoje". Os que dizem ou concordam com isso têm uma imaginação muito criativa, não? No entanto, sucintamente, neste post discorreremos sobre essa ameaçadora comparação (meu Deus!).

"O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (no Brasil também SAMU 192) é um serviço de atendimento médico, utilizado em casos de emergência. Foi idealizado na França, em 1986 como Service d'Aide Médicale d'Urgence — que faz uso da mesma sigla "SAMU" — e é considerado por especialistas como o melhor do mundo. Em alguns idiomas, o termo Samu significa Serviço de Atendimento Médico de Urgência. No Brasil, é oferecido pelo governo federal brasileiro, em parceria com governos estaduais e prefeituras, com a finalidade de prover o atendimento pré-hospitalar à população." [1]

Para a nossa tristeza e horror dos que não leem a Bíblia sistematicamente - pois, se assim o fizessem não cairiam na rede do engano -, alguns incautos andam propalando que "as baleias" do século XXI são as viaturas do SAMU. Com isso, tentam amedrontar alguns irmãos que, conforme a ótica daqueles, andam desleixados e negligentes em suas igrejas. Parece-me que, além de afirmarem esse disparate, a vontade dos profetizadores é que a desgraça alheia seja uma realidade! Pelo jeito, esses prognosticadores são seguidores de Tiago e João (Lc 9.51-55). Será que eles não sabem de que "o Filho Homem não veio para destruir as almas dos homens, mas salvá-las" (Lc 9.56)?

Não queremos anular a verdade de que Deus castiga àqueles que ama (Hb 12.10, 11; Sl 119.71). Mas também não podemos "ameaçar" o nosso semelhante, utilizando-se, para isso, das Escrituras Sagradas. Estas devem ser analisadas de forma responsável, para se evitar desconchavos teológicos (Ne 8.8).

Em nenhum momento, devemos desejar a desgraça dos outros, até mesmo a dos nossos inimigos (Mt 5.44), mas, na medida do possível, devemos imitar a Cristo: "Porque também Cristo padeceu pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus" (1 Pe 3.18). Agindo assim, a coroa da justiça nos estará guardada pelo "Senhor, justo juiz" (2 Tm 4.8).

Diante do exposto, leiamos a Bíblia com seriedade, e não perpetuemos as crendices dos "aterrorizadores de Cristo". E nunca pensemos e consideremos que um "simples" erro teológico seja desprezível aos nossos olhos:

"Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação; porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo" (2 Pe 1.20, 21).
__________________________
[1] WIKIPÉDIA. Serviço de Atendimento Móvel de Urgência. 18 maio 2012. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Servi%C3%A7o_de_Atendimento_M%C3%B3vel_de_Urg%C3%AAncia. Acesso em: 23 jun. 2012.

sexta-feira, 22 de junho de 2012

O Espírito Santo e a santificação do homem


"Na regeneração, o Espírito Santo efetua uma mudança radical na alma, concedendo-lhe um novo princípio de vida. Mas isso não significa que os filhos de Deus sejam imediatamente perfeitos. Permanece a debilidade hereditária adquirida; e ainda falta vencer o mundo, a carne e o Diabo.

Uma vez que o Espírito não opera magicamente, mas de uma maneira vital e progressiva, a alma é renovada gradualmente. A fé deve fortalecer-se por meio de muitas provas, e o amor deve fortificar-se para sobreviver à dificuldade e à tentação. As seduções do pecado precisam ser vencidas, e as tendências e os hábitos devem ser corrigidos.

Se o Espírito de Deus operasse um só ato e depois se retirasse, o convertido, indubitavelmente, voltaria a seus antigos caminhos. Mas o Espírito continua a boa obra que começou. O evangelho, que foi o que operou o nosso novo nascimento, continua a operar o nosso crescimento na vida cristã. Aqueles que nasceram pela semente incorruptível da Palavra de Deus (1 Pe 1.23) devem, como crianças recém-nascidas, desejar 'de coração o leite espiritual puro, para que por meio dele cresçam para a salvação' (1 Pe 2.2). O Espírito Santo também age diretamente sobre a alma, produzindo essas virtudes especiais do caráter cristão conhecidas como o fruto do Espírito (Gl 5.22, 23).

A operação do Espírito é progressiva, indo 'do coração para fora, do interior para o exterior, da essência da vida para as suas manifestações, suas ações e suas palavras. Essa operação tolera, no princípio, muitas coisas incompatíveis com sua natureza divina, mas logo, pouco a pouco, ataca essas falhas, uma após outra, ora estas ora aquelas, entrando nos mínimos detalhes de modo tão cabal que, não podendo escapar à influência do Espírito, um dia esse homem será perfeito, glorificado pelo Espírito e resplandecente com a vida de Deus'."[1]
 _______________________
[1] PEARLMAN, Myer. Conhecendo as Doutrinas da Bíblia. Rev. e atual. São Paulo: Editora Vida, 2006, pag. 307, 308.

Você tem buscado a santidade do seu corpo?


"Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. Ou não sabeis que o nosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em nós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus" (Rm 12.1; 1 Co 6.19, 20).

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

quinta-feira, 21 de junho de 2012

"Falou... o SENHOR ao peixe, e ele vomitou a Jonas na terra"


Em qualquer lugar, e a qualquer hora, o Senhor está a postos para ouvir e atender - segundo a Sua vontade (1 Jo 5.14, 15) - as orações  que lhe são feitas por seus filhos (Sl 94.9; Jo 1.12). Para os genuínos servos de Deus, em todo tempo, isto serve de consolação: "Agora, estarão abertos os meus olhos e atentos os meus ouvidos à oração deste lugar" (2 Cr 7.15; Jn 2).

Mesmo estando no ventre de um grande peixe, Jonas, humildemente, orou a Deus e disse: "Na minha angústia, clamei ao SENHOR, e ele me respondeu; do ventre do inferno [hb. sheol] gritei, e tu ouviste a minha voz" (Jn 2.2). Depois continuou: "Quando desfalecia em mim a minha alma, eu me lembrei do SENHOR; e entrou a ti a minha oração, no templo da tua santidade" (Jn 2.9).

Quem sabe você, caro (a) leitor (a), esteja no "ventre de um grande peixe"... Quero dizer-te que, apesar das grandes aflições, clame a Deus, como o fez o profeta Jonas (Jn 2.1-7). Porque, no fim de tudo, o Senhor dará ordens ao "grande peixe": "Falou, pois, o SENHOR ao peixe, e ele vomitou a Jonas na terra" (Jn 2.10). Nada foge ao controle Dele (Gn 1.1)

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

quarta-feira, 20 de junho de 2012

"Mas esses que se medem a si mesmos... estão sem entendimento"


"Porque não ousamos classificar-nos ou comparar-nos com alguns que se louvam a si mesmos; mas esses que se medem a si mesmos e se comparam consigo mesmos estão sem entendimento. Porém não nos gloriaremos fora de medida, mas conforme a reta medida que Deus nos deu... Aquele, porém, que se gloria, glorie-se no Senhor. Porque não é aprovado quem a si mesmo se louva, mas, sim, aquele a quem o Senhor louva" (2 Co 10.12-18).

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

Levanta, ó tu que dormes... por favor, vai...


"O preguiçoso esconde a mão no seio; enfada-se de a levar à boca. Ó preguiçoso, até quando ficarás deitado? Quando te levantarás do teu sono? Um pouco de sono, um pouco tosquenejando, um pouco encruzando as mãos, para estar deitado" (Pv 19.24; 6.9, 10).

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

terça-feira, 19 de junho de 2012

"Fazei o bem sem olhar a quem"


"Veja como é fácil afastar-se da fonte e inventar versículos. Essa frase é uma distorção de Gálatas 6.10: 'Então, enquanto temos tempo, façamos o bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé'.

É claro que o crente deve ser bondoso, benigno, ajudador (Gl 5.22). Mas fazer o bem 'de olhos fechados' pode ser perigoso. Existem muitos vigaristas dizendo-se missionários ou pastores. Eles sempre contam casos tristes para aplicar os seus golpes, e os irmãos, por não olharem  a quem estão ajudando, acabam sendo lesados.

Procure, na medida do possível, ajudar as pessoas que estão realmente necessitadas: 'Livremente abrirás a tua mão para o teu irmão, para o teu necessitado, e para o teu pobre na tua terra' (Dt 15.11).

Alguém poderá argumentar: 'A Bíblia manda-nos fazer o bem até aos que nos odeiam!' Sim, é verdade, e foi Jesus quem ensinou isso (Mt 5.44). Contudo, temos de saber distinguir as circunstâncias. Quando somos perseguidos e odiados por alguém, não devemos revidar (Rm 12.20). Essa é uma situação: tratar bem as pessoas que nos fazem o mal. 

Fazer o bem a pessoas que agem de má fé e aplicam golpes já conhecidos é uma negligência! Paulo ensinou: '... noteis os que promovem dissensões e escândalos contra a doutrina que aprendestes; desviai-vos deles' (Rm 16.17). 

Fique atento!" [1]
________________________
[1] ZIBORDI, Ciro Sanches. Erros que os Pregadores Devem Evitar. 7. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2006, p. 131.

P.S. A foto da postagem não faz parte do aludido livro. Também, no texto original, não há detalhes em NEGRITO no corpo do escrito.

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Cuidado com o "foguinho"!


"A língua também é um fogo... Porque quem quer amar a vida e ver os dias bons, refreie a sua língua do mal, e os seus lábios não falem engano; aparte-se do mal e faça o bem; busque a paz e siga-a" (Tg 3.6; 1 Pe 3.10, 11).

No Senhor,

João Paulo M. de Souza 

domingo, 17 de junho de 2012

A busca pela sabedoria e pelo bem do próximo

Por João Paulo Souza


Segundo as Escrituras, "houve uma pequena cidade em que havia poucos homens, e veio contra ela um grande rei, e a cercou, e levantou contra ela grandes tranqueiras. E vivia nela um sábio pobre, que livrou aquela cidade pela sua sabedoria, e ninguém se lembrava daquele pobre homem" (Ec 9.14, 15).

Por incrível que pareça - nem sempre tudo o que fazemos de bem ao nosso semelhante é, posteriormente, lembrado por ele. Assim como o homem sábio de Eclesiastes 9.15, muitos são desprezados... Por que isso acontece? Desculpe-me... não tenho uma resposta pronta e definitiva. Simplesmente é uma realidade...

Apesar de ter sido esquecido, quão sábia não foi a atitude desse homem, que salvou a aludida cidade! Portanto, o que podemos aprender com ele é que "melhor é a sabedoria do que a força, ainda que a sabedoria do pobre foi desprezada e as suas palavras não foram ouvidas" (Ec 9.16). A verdadeira sabedoria é como uma joia incomparável.

"As palavras dos sábios devem, em silêncio, ser ouvidas, mais do que o clamor do que domina o tolo. Melhor é a sabedoria do que as armas de guerra, mas um só pecador destrói muitos bens" (Ec 9.17, 18). Aqueles têm um valor raríssimo, porém este, o ímpio, "as suas iniquidades o prenderão, e, com as cordas do seu pecado será detido. Ele morrerá, porque sem correção andou, e, pelo excesso da sua loucura, andará errado" (Pv 5.22, 23).

Em suma, mesmo que sejamos esquecidos pelos outros, não cessemos de buscar a sabedoria e de procurar o bem do nosso próximo: "[...] livrou aquela cidade pela sua sabedoria" (Ec 9.15). Atentemos para o que disse Jesus, nosso Senhor e Salvador: "Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber" (At 20.35).

sábado, 16 de junho de 2012

Eita! quanta tolice!



"Louve-te o estranho, e não a tua boca, o estrangeiro, e não os teus lábios" (Pv 27.2).

Quem se engradece não passa de um tolo...

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

terça-feira, 12 de junho de 2012

O gracioso convite de Jesus


"Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve" (Mt 11.28-30).

Em Jesus, encontramos o alívio, o aprendizado e o descanso verdadeiros... pois só Ele é perfeitamente "manso e humilde de coração".

Em Jesus,

João Paulo M. de Souza

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Ajudando a quem precisa


Pequenas atitudes podem fazer grandes diferenças. E, lamentavelmente, às vezes nos escusamos de ações simples, mas que não deixam de ser nobres e importantes. Em certos momentos da vida, como somos indiferentes à necessidade alheia! Que Deus tenha misericórdia de nós!

Quando errarmos, reconheçamos as nossas falhas e procuremos evitá-las a cada dia. Agindo assim, agradaremos perfeitamente Àquele que é o nosso sublime exemplo: 

"... Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com virtude; o qual andou fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com ele" (At 10.38).

Nossa maior alegria está em saber que podemos, gradativamente, melhorar e parecer-nos com Cristo:

"Vós me chamais Mestre e Senhor e dizeis bem, porque eu o sou. Ora, se eu, Senhor e Mestre, vos lavei os pés vós deveis também lavar os pés uns dos outros. Porque eu [Jesus] vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também" (Jo 13.13-15, grifo nosso). 

Em Jesus,

João Paulo M. de Souza

domingo, 10 de junho de 2012

Não murmureis, porque Deus mandará água



"Depois, toda a congregação dos filhos de Israel partiu do deserto de Sim pelas suas jornadas, segundo o mandamento do SENHOR, e acampou em Refidim; e não havia ali água para o povo beber. Então, contendeu o povo com Moisés, e disse: Dá-nos água para beber. E Moisés lhes disse: Por que contendeis comigo? Por que tentais ao SENHOR?

Tendo, pois, ali o povo sede de água, o povo murmurou contra Moisés, e disse: Por que nos fizeste subir do Egito, para nos matares de sede, a nós e aos nossos filhos, e ao nosso gado? E clamou Moisés ao SENHOR, dizendo: Que farei a este povo? Daqui a pouco me apedrejará. Então, disse o SENHOR a Moisés: Passa diante do povo, e toma contigo alguns dos anciãos de Israel; e toma na tua mão a tua vara, com que feriste o rio, e vai. Eis que eu estarei ali diante de ti sobre a rocha, em Horebe, e tu ferirás a rocha, e dela sairão águas e o povo beberá. E Moisés assim o fez, diante dos olhos dos anciãos de Israel. E chamou àquele lugar Massá e Meribá, por causa da contenda dos filhos de Israel, e porque tentaram ao SENHOR, dizendo: Está o SENHOR no meio de nós, ou não?" (Ex 17.1-7).

Assim como Israel, somos tentados frequentemente a murmurar... E, infelizmente, muitas vezes falamos o que não devemos. No entanto, em vez de apontarmos alguém ou alguma coisa, carecemos de estarmos em dia com Deus e seus mandamentos: "Se me amardes, guardareis os meus mandamentos" (Jo 14.15). Dessa forma, Ele mandar-nos-á água cristalina da Rocha, que é Jesus (Mt 7.24-27)!

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

sábado, 9 de junho de 2012

"Raio X" do crânio de um avarento e materialista


"Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína. Porque o amor do dinheiro é a raiz de toda espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé e se transpassaram a si mesmos com muitas dores" (1 Tm 6.9, 10).

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Não adianta esconder, Deus está vendo


Ainda tem gente que pensa que as aparências enganam...

"... nada há encoberto que não haja de revelar-se, nem oculto que não haja de saber-se" (Mt 10.26). "Portanto, pelos seus frutos os conhecereis" (Mt 7.20).

No Senhor,

João Paulo

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Nem mais, nem menos: apenas o que está escrito nas Escrituras Sagradas


Gostaria de saber o porquê de alguns pregadores gostarem de acrescentar e/ou omitir o que diz a Bíblia. Não será porque desejam agradar e serem ovacionados pelos incautos da vida? Ou não será por conta das "cifra$" que irão receber da mão de algum (ns) aproveitador (es) de igrejas, após suas apresentações? Ou não será por algum (ns) outro (s) motivo (s)?

Há pouco li as Escrituras - alguns poucos versículos... -, e não sei se, por Ela, poderei explicar se é certo ou errado adulterar os textos sagrados. Para tanto, transcreverei estes versos:

"Maravilho-me de que tão depressa passásseis daquele que vos chamou à graça de Cristo para outro evangelho, o qual não é outro, mas há alguns que inquietam e querem transtornar o evangelho de Cristo. Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. Assim como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo: se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema" (Gl 1.6-9).

"Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro; e, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte da árvore da vida e da Cidade Santa, que estão escritas neste livro" (Ap 22.18, 19).

"E eu, irmãos, apliquei essas coisas, por semelhança, a mim e a Apolo, por amor de vós, para que, em nós, aprendais a não ir além do que está escrito, não vos ensoberbecendo a favor de um contra outro" (1 Co 4.6).

"Porque tudo quanto dantes foi escrito para nosso ensino foi escrito, para que, pela paciência e consolação das Escrituras, tenhamos esperança" (Rm 15.4).  

Ainda tenho as minhas dúvidas quanto ao poder ou não dar uma "ajudinha" às Escrituras, quando do seu manuseio... Alguém, por favor, pode me dá uma luz ou luzes?

No Senhor,

João Paulo M. de Souza


O porquê de a unidade não ser uma realidade no seio de muitas igrejas


"O Reino dos Céus é semelhante ao homem que semeia boa semente no seu campo; mas, dormindo os homens, veio o seu inimigo, e semeou o joio no meio do trigo, e retirou-se. E, quando a erva cresceu e frutificou, apareceu também o joio" (Mt 13.24-26).

terça-feira, 5 de junho de 2012

Por que muitas pregações falham?

"Tu, porém, fala o que convém à sã doutrina" (Tt 2.1).

De acordo com o dicionário da língua portuguesa Houaiss, o verbo "falhar", dentre outras acepções, significa "não funcionar ou funcionar mal, deixa de fazer ou cumprir". Aproveitando estas significações, as associaremos ao mau uso que vêm sofrendo as Escrituras, no momento da disposição do sermão ou em quaisquer situações que proporcionem a Sua utilização.

Um dos mais importantes erros de muitos predicantes de hoje é o desprezo à eficácia das Escrituras em convencer o ouvinte (Hb 4.12). Eles, às vezes, acham que são capazes de fazer o que apenas o Espírito Santo pode fazer: "E, quando ele vier, convencerá do pecado, e da justiça, e do juízo..." (Jo 16.8-11). Jamais alguém pode ser genuinamente ganho para Cristo sem a exposição da Palavra de Deus: "De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus" (Rm 10.17).

Quando da transmissão da Palavra, não será edificante para a igreja o pregador ficar expondo, o tempo todo, reflexões filosóficas ou pesquisas científicas ou teorias psicológicas ou suposições teológicas ou revelações estranhas à Sã Doutrina, e por aí vai... Na verdade, para que ele alcance realmente o verdadeiro objetivo da pregação deve centrar-se no que a Bíblia realmente diz, e não no que pensa ser verdade:

"Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça, para que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente instruído para toda boa obra. Procura apresentar a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja ebm a palavra da verdade" (2 Tm 3.16, 17; 2.15).

Outra falha grotesca que alguns pregadores cometem é ficarem se vangloriando durante o transcorrer da mensagem, contando seus feitos bolorentos. Alguns chegam a se ufanarem tanto que nem percebem (outros o fazem propositalmente) que estão "surrupiando" a glória de Deus. Vejamos o que está escrito em Isaías 42.8: " Eu sou o SENHOR; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não darei, nem o meu louvor, às imagens de escultura".

Mais um equívoco observado durante algumas pregações: piadinhas, gracejos, anedotas e coisas semelhantes. Aos "pregadores" que gostam de, durantes suas mensagens, deflagrarem esses tipos de pilhéria, nós temos alguns conselhos: "Por que não se pintam e não vão fazer parte de um circo famoso ou, quem sabe, ingressarem em um daqueles mais simples... pelo menos, lá, vocês farão a alegria da criançada, não acham? Púlpito não é lugar de palhaçadas! Púlpito não é picadeiro!

Quem lida com as Escrituras Sagradas deve cultivar a devida reverência a Ela e ao Deus dEla (Sl 119.120). Quando se despreza a inspiração da Palavra, abre-se inúmeras portas para a "eisegese" ou ideias do próprio leitor:

"Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação; porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo" (2 Pe 1.20, 21).

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Um vídeo que todos os animadores de auditório devem assistir!

             

No vídeo acima, o pastor, escritor e autor do Blog do Ciro Ciro Sanches Zibordi discorre eficazmente sobre a "Hermelética" - combinação da Hermenêutica com a Homilética. Sem dúvida, os animadores de auditório devem assistir às três aulas contidas nesse vídeo.

domingo, 3 de junho de 2012

Diga NÃO a promiscuidade! Diga NÃO a pornografia!

Infelizmente, hoje, um sem-número de pessoas encontra-se acorrentado pela pornografia. Esta miséria tem destruído lares, como também bons relacionamentos. O que é pior: tem levado muitos ao esfriamento espiritual e, por conseguinte, ao inferno (Ap 22.15)... Percebe-se que esta palavra é duríssima, mas a melhor maneira de não se contaminar com a pornografia ou com a impureza ou com qualquer outra prática sexual ilícita é jamais se envolver com qualquer uma dessas depravações ou, para quem se acha enredado nalguma delas - ou mais de uma -, o melhor a fazer é abandoná-la (s) enquanto há tempo.

A seguir, transcreveremos alguns versículos bíblicos que condenam piamente quaisquer atos sexuais ilícitos: 

  • "Mas escrever-lhes que se abstenham... da prostituição" (At 15.20);

  • "Os manjares são para o corpo, e o ventre, para os manjares; Deus, porém, aniquilará tanto um como os outros. Mas o corpo não é para prostituição, senão para o Senhor, e o Senhor para o corpo. Fugi da prostituição... Todo pecado que o homem comete é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo" (1 Co 6.13-18);

  • "Mas, por causa da prostituição, cada um tenha a sua própria mulher, e cada uma tenha o seu próprio marido" (1 Co 7.2).

  • "Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: prostituição, impureza, lascívia" (Gl 5.19).
  • "Mas a prostituição e toda impureza ou avareza nem ainda se nomeiem entre vós, como convém aos santos... Porque bem sabeis isto: que nenhum fornicador, ou impuro, ou avarento, o qual é idólatra, tem herança no Reino de Cristo e de Deus" (Ef 5.3-5);

  • " Mortificai, pois, os vossos membros, que estão sobre a terra: a prostituição, a impureza, o afeição desordenada, a vil concupiscência, e a avareza, que é idolatria" (Cl 3.5);

  • "Porque esta é a vontade de Deus, a vossa santificação: que vos abstenhais da prostituição, que cada um de vós saiba possuir o seu vaso [corpo] em santificação e honra, não na paixão de concupiscência, como os gentios, que não conhecem a Deus. Nibguém oprima ou engane a seu irmão em negócio algum, porque o Senhor é vingador de todas estas coisas, como também, antes, vo-lo dissemos e testificamos. Porque não nos chamou Deus para imundícia, mas para santificação" (1 Ts 4.3-7);

  • "Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver, porquanto escrito está: Sede santos, porque eu [o Senhor] sou santo" (1 Pe 1.15, 16). 
  
Portanto, não há outra maneira de desfrutar da imaculada presença de Deus, a não ser que o culpado confesse e deixe as suas abominações: "O que encobre as suas transgressões nunca prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia" (Pv 28.13). Sem a santificação, "ninguém verá o Senhor" (Hb 12.14).

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

sábado, 2 de junho de 2012

O Batismo no Espírito Santo


Uma das fundamentais doutrinas bíblicas é o batismo (gr. baptisma) “com” ou “no” Espírito Santo. Este batismo ou “mergulho” no Espírito é um revestimento de poder, ou seja, uma dotação de autoridade proveniente de Deus (Lc 24.49; At 1.8).  Após recebê-lo, o crente passa a testemunhar com mais autoridade o Evangelho (At 1.8; 2.37, 38, 40, 41; 4.31; 6.3, 5; 8.1-17). Mas, apesar de algumas pessoas não crerem na atualidade desse dom, os pentecostais acreditam que Jesus continua batizando.

O batismo no Espírito Santo não é regeneração (Jo 3.6). Não podemos desprezar as evidências bíblicas e históricas dessa doutrina. A palavra regeneração, segundo a Pequena Enciclopédia Bíblica de Orlando Boyer, significa “restabelecimento do que estava destruído”. Um bom exemplo bíblico acerca disso está em Efésios 2.1, 5, 6: 

“E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados, estando nós ainda mortos em nossas ofensas, vivificou-nos juntamente com Cristo (pela graça sois salvos), e nos ressuscitou juntamente com ele, e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus”.

O batismo com ou no Espírito Santo não é o batismo no corpo de Cristo.  Por falta de interpretação correta de 1 Coríntios 12.13, muitos tem criado um falso ensino. Observe o texto:

“Pois todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito”. 

Note a expressão “batizados em um Espírito, formando um corpo”. Esse batismo não tem a ver com o revestimento de poder, nem com o batismo em águas. Wililiam Menzies, teólogo pentecostal, dar-nos um esclarecimento: “Nós somos batizados pelo Espírito em Cristo – isso é regeneração, novo nascimento”.

O batismo no Espírito Santo não está limitado aos tempos apostólicos. Existe uma corrente teológica que nega a contemporaneidade do dom de poder, com evidência inicial de falar noutras línguas. Ela ensina que o fenômeno manifestou-se apenas nos primórdios da Igreja. No entanto, a Bíblia diz diferente: “Porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos e a todos os que estão longe: a tantos quantos Deus, nosso Senhor, chamar” (At 2.39). Outrossim, a própria experiência contesta a falácia dos cessacionistas!

O Batismo no Espírito Santo, como já foi mencionado, é um revestimento de poder (At 1.8; Lc 23.49), e está condicionado apenas aos salvos em Cristo, ou seja, só pode ser batizado quem realmente nasceu de novo (Jo 3.1-6; At 2.39). Sua evidência inicial é o falar noutras línguas (At 2.4; Mc 16.17; At 10.44-46; 19.1-6). Portanto, se você, caro leitor, ainda não recebeu o dom do Espírito, não fique desanimado. Deus pode cumprir essa promessa em sua vida! “Porque, na verdade, João batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias”, disse Jesus (At 1.5).

Em Deus,

João Paulo M. de Souza

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Quem fala a verdade é desprezado pela maioria


"E pelejarão contra ti, mas não prevalecerão
contra ti; porque eu sou contigo, diz o Senhor,
para te livrar" (Jr 1.19).

É ponto pacífico a verdade de que o ser humano gosta de orbitar em torno daquilo que realmente lhe agrada. Ninguém sente-se feliz após ser repreendido. Segundo Hebreus 12.11, "toda correção, ao presente, não parece ser de gozo, senão de tristeza" (Hb 12.11).

Conquanto alguns medicamentos ou quaisquer intervenções cirúrgicas sejam desconfortantes, é mister que determinados pacientes o experimentem, caso contrário, fica difícil sua perfeita recuperação. De modo análogo, o crente doente espiritualmente precisa da "substância" exata para combater os males espirituais que lhe permeiam a vida. Nesse caso específico, para ele, o remédio ideal é a Palavra de Deus.

Embora não gostemos de ser advertidos, carecemos da correção divina, pois somos imperfeitos. Assim sendo, através de suas infindas misericórdias (Lm 3.22), Deus fala conosco "muitas vezes e de muitas maneiras" (Hb 1.1), visando a nossa perfeição: "Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo" (Ef 4.12).

Além de o Senhor repreender diretamente o homem (At 9.3-6), também se utiliza de seus servos para advertir a quem, de fato, precisa (Ex 4.22; 2 Sm 7.3-5). E quando este tipo de repreensão acontece,  quase sempre as "caras feias", os "biquinhos", os famosos "muxoxos" entram em cena.

Você sabia de que "quem fala a verdade é desprezado pela maioria"? Se não, leia João 6.22-69, Isaías 53, Atos 17.15-34 e 1 Rs 22.1-28. Mas, sabe de uma coisa: eu gosto de ser menosprezado pela maioria que gosta dos modismos evangélicos, das obras da carne, da fama, do fogo-de-palha, da teatralização litúrgica, da teologia da prosperidade, da confissão positiva, da maldição hereditária, das músicas evangélico-mundanas cantadas por aí etc. E você, caro (a) leitor (a)? De que lado prefere ficar, do lado dos desestimados ou do lado da geração espiritualmente perdida?

No Senhor,

João Paulo M. de Souza