quinta-feira, 31 de maio de 2012

Era uma vez um títere que não queria ser títere...


Ainda aflorando tristeza, o pobre títere argui: - Por que que o "senhor" só me trata assim? Pare com isso, por favor. O "senhor" está cerceando a minha liberdade... o "senhor" não está vendo, não está percebendo isso?

Será que esse lastimoso boneco não reflete a realidade de algumas pessoas, hoje?

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Quem disse que o líder nunca erra? Samuel, Samuel!

Muitos por aí adoram pintar o líder como alguém capaz de nunca errar. Exaltam-no violentamente sobre os seus liderados que, muitas vezes, por alguns, são tachados de coitadinhos, de tábulas rasas espirituais... Configuram o líder como um chefe, um ser blindado contra sugestões alheias (não refiro-me aqui a maledicências), como se ele tivesse consigo - e apenas consigo - todas as respostas em palavras e/ou atitudes, a fim de estabeler o elixir para os problemas e dúvidas que, porventura, sobrevenham-lhe.

O líder, na verdade, é alguém que Deus vocaciona para liderar, mas que, contrastantemente ao que pensam algumas pessoas, ele é falho, imperfeito, dependente, frágil... Depende exclusivamente de Deus (Dt 34; Js 1).

Ao lermos Samuel 16, podemos ver a lambança que Samuel ia fazer na casa de Jessé:

"E sucedeu que, entrando eles, viu a Eliabe e disse: Certamente, está perante o SENHOR o seu ungido. Porém o SENHOR disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a altura da sua estatura, porque o tenho rejeitado; porque o SENHOR não vê como vê o homem. Pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o SENHOR olha para o coração" (v.6, 7).

Com isso, não temos a intenção de depreciar a imagem do líder, mas alertar sobre sua falibilidade, posto que, por aí, andem "pintando" um "quadro perfeito" dele, sobretudo nas igrejas. 

Outro equívoco dos admiradores acríticos de líderes é apoiarem, ingênua ou passivamente, a mandância dos "ditadores". Estes - o averso dos verdadeiros líderes chamados por Deus, "mandam" e "desmandam" quando e como bem querem, desprezando o que estabelecem as Santas Escrituras: "Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho" (Sl 119.105).

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

terça-feira, 29 de maio de 2012

Quando o egoísmo suplanta o altruísmo...


"Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros. De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve em Cristo Jesus, porque, se em vós houver e aumentarem estas coisas, não vos deixarão ociosos nem esteréis no conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo" (Fl 2.4, 5; 2 Pe 1.8).

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Ao ouvir esse hino, não há como não se emocionar...

            

Esse, sim, é um hino de louvor a Deus! Bem diferente das mazelas cantadas pelos cantores evangélicos que cantam para o próprio bolso e para a própria fama.

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

Cantores evangélicos que cantam para o próprio bolso aprendam a dar "Um Passo Só" pra Cristo

          

Cantores que "cantam para o próprio bolso" aprendam com esse hino, arrependam-se, confessem e deixem os seus pecados, pois, só assim a vossa vida será verdadeiramente transformada por Jesus. Deixem de enganar os símplices, angariando o dinheiro alheio. Só é apenas um passo... "um passo só".

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

domingo, 27 de maio de 2012

Já depositaram o meu jabaculê gospel hoje? Ainda não?!


Hodienarmente, os cachês são uma realidade na vida de muitos cantores-aproveitadores evangélicos... Isso chega a me dar náuseas... Arghn!

Em Cristo,

João Paulo M. de Souza

sábado, 26 de maio de 2012

Onde está a Cidade Celeste? E a transformação dos corpos dos salvos em Cristo, como será?


"Mas a nossa cidade está nos céus, donde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, que transformará o nosso corpo abatido, para ser conforme o seu corpo glorioso, segundo o seu eficaz poder de sujeitar também a si todas as coisas" (Fl 3.20, 21).

Para o mundo, a realidade da Cidade Celeste é irreal; também, para o mundo, a transformação do corpo humano, de estado corruptível e mortal para o de incorruptível e imortal (1 Co 15.50-54) é loucura. "Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente" (1 Co 2.14).

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Jesus: o exemplo sem igual


Ao ler Filipenses 2.6-11, pude constatar quão inefável é Jesus. Ele mesmo "sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus" (v. 6). Portanto, quem, por mais erudito que seja, conseguirá explicar perfeitamente essa postura? Quem poderia, com todas as palavras possíveis, delinear a grandeza desse Deus-Homem?

Ele "aniquilou-se" (v. 7), ou seja, "esvaziou-se", não preferindo a sua própria vontade em detrimento da do Pai. Além disso, fez-se "semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte e morte de cruz" (v. 7, 8). "Morte de cruz" remete à crucificação que, por sua vez, representa a vergonha, o desprezo e a humilhação daquele que é crucificado (Mt 27.32-56).

Se Cristo humilhou-se assim, que faremos nós, diante de um tão grande exemplo? 

Mas, apesar de toda injustiça cometida contra Jesus, "Deus o exaltou soberanamente e lhe deu um nome, que é sobre todo o nome, para que, ao nome de Jesus, se dobre todo joelho... (v. 9, 10). Não só os "joelhos", mas "toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai" (v. 11).

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Quando já não há mais "coração"...


Na caminhada cristã, quantas não foram as pessoas que tiveram o seu "coração" arrancado...? Quem os feriu? Os que se acharam (ou que ainda se acham) no direito de fazê-lo...  

As nossas atitudes e palavras podem "matar" os outros, sabia?

"... despojai-vos... da ira, da cólera, da malícia, da maledicência, das palavras torpes da vossa boca. Não mintais uns aos outros, pois que já vos despistes [se é que isto é verdade] do velho homem com os seus feitos [suas obras más]" (Cl 3.8, 9, grifo meu).

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

terça-feira, 22 de maio de 2012

Ensinando, pregando e curando...


Segundo Mateus, "percorria Jesus toda Galileia, ensinando nas suas sinagogas, e pregando o evangelho do Reino, e curando todas as enfermidades e moléstias entre o povo" (Mt 4.23; cf. 9.35). Além dessa província, que abarcava toda a parte do norte da palestina, Jesus atuou em outras regiões bastante conhecidas dos leitores da Bíblia, tais como Fenícia, Samaria, Decápolis, Pereia e Judeia.

Jesus desempenhou um ministério bastante profícuo. Segundo consta de Lucas 3.23, o Mestre começou a sua jornada ministerial com "quase trinta anos". Suas atividades se desdobraram sob três aspectos importantes de sua vida: ensino, pregação e cura.

No ensino, o Rabi da Galileia era sem igual, motivo pelo qual os religiosos ficavam furiosos com Ele, pois "ensinava com autoridade e não como os escribas" (Mt 7.29), isto é, suas doutrinas avalizavam o seu modo de vida. Por isso que as multidões o ouviam de bom grado (Mc 12.37).

Apesar de ter havido pregadores notáveis na Bíblia, Jesus foi (e é, e sempre será) o melhor dentre eles. Aonde passava, o Nazareno arrebanhava miríades de pessoas (Mt 9.36; 12.15; 15.30). Sem dúvida, ouvir Jesus falar é uma maravilha, você não acha?

O terceiro viés do ministério terreno de Cristo foi a autoridade sobre as enfermidades. Quem, enfermo, ia ao seu encontro e continuava doente? Algumas textos bíblicos respondem a esta pergunta: 

"E, chegada a tarde, trouxeram-lhe muitos endemoninhados, e ele, com a sua palavra, expulsou deles os espíritos e curou todos os que estavam enfermos, para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta Isaías, que diz: Ele tomou sobre si as nossas enfermidades e levou as nossas doenças" (Mt 8.16, 17).

O ensino, a pregação e a cura foram o tríplice ministério terreno de Jesus. Ensinando e pregando o Reino de Deus e curando (física e espiritualmente) as almas oprimidas, vivia Cristo fazendo a vontade do Pai: 

"O Espírito do Senhor é sobre mim, pois que me ungiu para evangelizar os pobres, enviou-me a curar os quebrantados do coração, a apregoar liberdade [remissão] aos cativos, a dar vista aos cegos, a pôr em liberdade os oprimidos, a anunciar o ano aceitável do Senhor" (Lc 4.18, 19).

No Senhor,

João Paulo M. de Souza 


segunda-feira, 21 de maio de 2012

É muita santidade... Arghn!

Qual é a graça e o apoio bíblico que há nessa "cúpula reprodutivista" de "santarrões"...? Será que nela há alguma correlação com algo que testemunhamos nos dias de hoje?

"Assim nós, que somos muitos, somos um só corpo em Cristo, mas individualmente somos membros uns dos outros" (Rm 12.5, grifo nosso). Somos "membros", não "cópias" uns dos outros. Entendeu?

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

domingo, 20 de maio de 2012

A inexorabilidade do envelhecimento humano e a imutabilidade e eternidade da Palavra de Deus

"Porque toda carne [seres humanos] é como erva, e toda a glória [grandeza] do homem, como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor; mas a palavra do Senhor permanece para sempre" (1 Pe 1.24, 25, grifo nosso).

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

sexta-feira, 18 de maio de 2012

O que o homem plantar, isso também colherá

Esta é uma verdade incontestável: "Não pode a árvore boa dar maus frutos, nem a árvore má dar bons frutos" (Mt 7.18). Quem disse isto foi Jesus. Portanto, se foi o Mestre quem falou, quem somos nós para lhe contraditar?

"Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará" (Gl 6.7, grifo nosso). Quem vive plantando maldade, vai colher o quê? De outro modo, aquele que semeia o bem, colherá, sem dúvida, a benção de Deus: "Quanto lhe for possível, não deixe de fazer o bem a quem dele precisa" (Pv 3.27, NVI*).

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

* Bíblia Sagrada: Nova Versão Internacional (NVI)

Segundo a Bíblia, Deus não aprova casamento entre pessoas de mesmo sexo

 "E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme à nossa semelhança... E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou" (Gn 1.26, 27)".

Para Deus, não interessa como verdade o que alguns sociólogos ou antropólogos ou psicólogos ou quaisquer outros especialistas dizem a favor de "novas modalidades" de casamento, isto é, acerca de uniões entre pessoas que, conforme salientam as Escrituras, são abomináveis (Gn 18.20; 19.4, 5; Rm 1.18-32). De acordo com a Bíblia, "Deus criou os seres humanos; ele os criou parecidos com Deus. Ele os criou homem e mulher e os abençoou" (Gn 1.27, NTLH, grifo meu). 

Se o Livro de Deus abomina tais "uniões", como devemos, enquanto pupilos de Cristo, comportar-nos? Eis a receita: "E não comuniqueis com as obras infrutuosas das trevas, mas, antes, condenai-as. Porque o que eles fazem em oculto, até dizê-lo é torpe" (Ef 5.11, 12, grifo nosso).

Em Levítico 18.22, 23, está escrito assim: 

"Com varão te não deitarás, como se fosse mulher: abominação é; nem te deitarás com um animal, para te contaminares com eles; nem a mulher se porá perante um animal, para ajuntar-se com ele: confusão é".

Observe essa mesma passagem, na versão da Bíblia Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH):

"Nenhum homem deverá ter relações [sexuais] com outro homem; Deus detesta isso. Ninguém, homem ou mulher, deverá ter relações [sexuais] com animais; isso é uma imoralidade, e a pessoa fica impura" (Lv 18.22, 23, grifo nosso).

Portanto, para o salvo em Cristo, essas verdades bíblicas são inegociáveis!

Em Cristo,

João Paulo M. de Souza

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Pode até parecer engraçado, mas não o é

Após observar alguns vídeos sobre cultos "estranhos" no You Tube, achei por bem compartilhar um deles aqui. Por gentileza, ao analisar o vídeo abaixo, não apenas olhe com os olhos humanos, mas sobretudo com os espirituais.

                  

Ressalva: a música que acompanha o vídeo não está em sintonia com o que vemos nele. Também, no final do vídeo, é dado um aviso tendencioso e um tanto comprometedor.

Oremos pelos que andam por caminhos tortos e admoestemos - o quanto podemos - àqueles que, emergencialmente, necessitam da ajuda de Deus: "Retendo firme a fiel palavra, que é conforme a doutrina, para que seja poderoso, tanto para admoestar com a sã doutrina como para convencer os contradizentes" (Tt 1.9).

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

"Eu sou pentecostal!!!" Como assim?!

Muitos falam que são pentecostais e que gostam do reteté e do manto - expressões bastante utilizadas por aqueles que acreditam ser poderosamente usados por Deus. Mas, a despeito disso, será que eles realmente o são...? Então, para chegarmos a um consenso, vamos discorrer sobre essa questão.

Quem é pentecostal procura, em primeiro lugar, a edificação da Igreja (1 Co 14. 3, 5, 12, 26, 40). No meio evangélico, existe um "povo" que gosta de se mostrar por meio dos dons do Espírito. Esse povo, bem diferente dos verdadeiros crentes, não gosta de ler a Bíblia, mas apenas ama "dar lugar" às suas "experiências espirituosas": visões extravagantes, "revelamentos" ou revelações espúrias, profetadas, e por aí vai... Isso é, sem dúvida, lamuriante. 

Quem é pentecostal não fica se desbocando - quando batizado no Espírito e usado com o dom de línguas - em "línguas desconhecidas" durante os cultos em que vai. Observemos o que disse Paulo:

"Se alguém de vocês falar em línguas estranhas, então que apenas dois ou três falem, um depois do outro, e que alguém interprete o que está sendo dito. Mas, se não houver ninguém que possa interpretar, então fiquem calados e falem somente consigo mesmos e com Deus" (1 Co 14.27, 28, NTLH, grifo meu).

Sobre o texto acima, preciso comentar alguma coisa? Creio que não! Categoricamente, ele condena as invencionices corriqueiramente vistas em "nossas" igrejas! Confesso que já estou cansado de ver e ouvir tanto artificialismo, sobretudo em nossos cultos pentecostais (pentecostais!?). 

Quem é, de fato, pentecostal não vive brincando com o dom de profecia. Hoje, o que temos acompanhado nas igrejas é um verdadeiro festival de "profetadas" - Profetize para o seu irmão -, pessoas que se usam em detrimento da genuína manifestação do Espírito Santo (1 Co 12.10; 14.3). Dias atrás, numa certa igreja, preguei sobre a banalização desse dom, e, no final do culto o que não faltou foi crente de face amarrada. Paciência... Tenho compromisso com o que a Bíblia diz (Tt 2.1; At 7).

Além dessas, poderíamos discorrer sobre várias outras práticas incoerentes vistas durantes cultos evangélicos - golpes de caratê, gritarias, assopros ao microfone, pulos ginásticos, choros teatrais etc., porém, num primeiro momento, penso que as que foram apresentadas neste post já darão uma boa visão sobre o que não é e o que é um crente pentecostal.

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

terça-feira, 15 de maio de 2012

Isso é um culto ou uma apresentação circense?

                       
                             

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

domingo, 13 de maio de 2012

Como reconhecer um fariseu

Quer saber como descobrir se você está lidando com um fariseu? Basta atentar para o que ele sempre gosta de dizer, além, é óbvio, de observar os seus procedimentos hipócritas. Indubitavelmente, esse dito-cujo "adora" engradecer-se.

A seguir, observe algumas expressões de "fariseus".

"Quando eu prego, o Céu se abre!" Você já ouviu essa assertiva da boca de alguém? Sem dúvida, essa pessoa está contaminada pelo farisaísmo.

"Eu já li mais de quinhentos (quinhentos!?) livros de Teologia". Quem é humilde não provoca o toque da trombeta dos outros para si mesmo (Mt 6.2), nem tampouco vive mentindo para os seus pares... Certa vez, ouvi a expressão acima (em negrito) de alguém que se diz pastor e também é famoso. Mas, para nossa tristeza, ele adora esplalhar heresias por onde passa - Meu Deus!

"Quando eu oro, Deus derrama poder!" Será que Deus só derrama poder quando esse tipo de irmão ora? Para dizer a verdade, tenho as minhas dúvidas: "Ainda que o Senhor é excelso, atenta para o humilde; mas ao soberbo, conhece-o de longe" (Sl 138.6). Entendeu este versículo? Deus não tem comunhão com arrogantes!

"Eu sou um dos mais (ou o mais) assíduos nos trabalhos da igreja em que congrego". Ir à congregação é dever de todo crente (Hb 10.25). O rei davi, por sinal, disse: "Alegrei-me quando me disseram: Vamos à casa do SENHOR!" (Sl 122.1). Indiscutivelmente, estar na casa de Deus é maravilhoso, mas ficar desvalorizando os outros só porque estes não são "assíduos" na igreja, é paspalhice (Fl 2.3). Leia Lc 18.9-14.

Notou que os hipócritas se valem, geralmente, do pronome "eu" (às vezes do "nós") para se autocondenarem? Acerca do farisaísmo, existe um sem-número de outros exemplos.

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

sábado, 12 de maio de 2012

Bíblia do Bebê Cristão Pente... o quê!?

Com tantas variedades de Bíblia de estudo no mercado evangélico, quem sabe se, em breve, não editarão a "Bíblia de Estudo do Bebê Cristão Pentecostal". Do jeito que vai, não demorará muito tempo até que essa "nova" versão seja publicada.

Quero deixar bem claro que não sou contra a publicação de Bíblias de estudo. No entanto, não é difícil perceber a exacerbação da comercialização de muitas dessas Bíblias. De fato, o mercantilismo evangélico existe! Só quem não "percebe" são os espirituosos de plantão... "Ou eu estou errado?" 

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

quinta-feira, 10 de maio de 2012

O altivo sempre causa problemas

"O altivo de ânimo levanta contendas, mas o que confia no SENHOR engordará" (Pv 28.25).

Você conhece ou já conheceu alguma pessoa altiva ou orgulhosa? Acredito que sim. Também já observou que, aonde ela passa, geralmente acaba arranjando problemas com os outros? Pois bem, quem é orgulhoso, sem dúvida, está sob o domínio de uma das obras da carne (Gl 5.19-21) - portanto, peca contra Deus.

Longe de consentir com o presunçoso, o crente que confia no Senhor prospera em tudo o que faz segundo a vontade de Deus: "... o que confia no SENHOR engordará" (Pv 28.25b). Engordará aqui significa "alcançar sucesso" ou ser bem-sucedido ou  ser florescente. Para tanto, o salvo em Jesus carece de observar e praticar, sem reservas, a Palavra do Senhor: 

"Não se aparte da tua boca o livro [a Palavra] desta Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo quanto nele está escrito; porque, então, farás prosperar o teu caminho e, então, prudentemente te conduzirás" (Js 1.8).

Portanto, para nós, que somos salvos, não resta outro caminho, senão obedecer aos santos ensinos de Deus (Sl 119.129, 130).

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

terça-feira, 8 de maio de 2012

Quando a nossa confiança repousa em Deus...

"Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que edificam; se o SENHOR não guarda a cidade, em vão vigia a sentinela. Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão de dores, pois assim dá ele aos seus amados o sono" (Sl 127.1, 2, RC).

"Se o SENHOR Deus não edificar a casa, não adianta nada trabalhar para construí-la. Se o SENHOR não proteger a cidade, não adianta nada os guardas ficarem vigiando. Não adianta trabalhar demais para ganhar o pão, levantando cedo e dormindo tarde, pois é Deus quem dá o sustento aos que ele ama, mesmo quando estão dormindo" (Sl 127.1, 2, NTLH).

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

Quando apenas tirar a máscara não resolve

Será que isso reflete a realidade de muitas pessoas hoje?

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Eu não me incluo na massa de manobra!

"A toda perfeição vi limite, mas o teu mandamento é amplíssimo [ilimitado]" (Sl 119.96, grifo meu).
 
Confesso que fico estarrecido com a mediocridade de alguns "mestres" (mestres?) da Palavra em relação ao "zelo" que "demonstram" para com os seus grandes auditórios. Eles, em vez de estudarem, pesquisarem e ministrarem aos ouvintes sobre variadas passagens bíblicas (do livro de Gênesis ao de Apocalipse), continuam, renhidamente, valendo-se de textos que eles mesmos "eternizaram" - tendenciosamente - em suas prédicas. Pobres das pessoas que lhes escutam!

Em suma: entra ano e sai ano, sempre a mesma coisa... Parece-me que a "espada" desses eruditos (eruditos?) está embotada...

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

domingo, 6 de maio de 2012

A sabedoria humana é como a ponta de um iceberg

Por mais que saibamos sobre muitas coisas, sempre haverá outras muitas que ignoraremos ou não saberemos. Ninguém jamais esgotou ou esgotará todo conhecimento meramente humano existente. Por isso, não temos nenhum justo motivo para nos orgulhar acerca de qualquer conhecimento adquirido, a não ser por ter conhecido e "aceitado" Jesus Cristo. Neste, temos razões concretas para nos gloriarmos (Sl 44.8; Jo 1.12, 13).

Portanto, por mais que o homem adquira determinados conhecimentos terrestres, o melhor a fazer com eles é simplesmente considerá-los, em valor, como o são, porém confiar plenamente em Deus: "Confia no Senhor de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento" (Pv 3.5, ARA). Tudo o que o homem sabe daqui - conhecimentos puramente humanos - é "como a ponta de um iceberg"

A sabedoria da qual devemos extrair eternos ensinos está em Cristo, "o qual se nos tornou, da parte de Deus, sabedoria, e justiça, e santificação e redenção, para que, como está escrito: Aquele que se gloria, glorie-se no Senhor" (1 Co 1.30, 31, ARA).

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Consequência do autoritarismo cristão


"Ninguém vos domine a seu bel-prazer, com pretexto de humildade" (Cl 2.18).

Será que essa imagem reflete a realidade de muitos crentes hoje? Será que, de certa forma, vivemos em um tempo no qual alguns líderes evangélicos pensam e agem como se fossem donos da verdade? Ou será que não?

Medite nisso. 

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Que Pastor maravilhoso!

É interessantíssimo estudarmos e meditarmos sobre a parábola do Bom Pastor (Jo 10.1-18). Nela, encontramos ensinos valiosos sobre a maneira de como Jesus trata as suas "ovelhas". Seu modo de lidar com elas e a forma com a qual reagem na Sua presença é fascinante.

Em cada situação da vida de suas "ovelhas", o Bom Pastor sabe como agir. Logo, quão imprescindível é tê-lo como Senhor e guia de nossas vidas. Submetermo-nos a Ele, para alcançarmos as bençãos do Senhor, é indispensável!

Para que possamos entender um pouco mais a respeito de algumas verdades contidas na parábola do Bom Pastor, listaremos, em azul, algumas veridicidades. 

O Bom Pastor entra pela porta do curral das "ovelhas" (v. 1, 2). Jesus sempre age e agirá da maneira certa, mostrando a todos quem Ele é. Não usa disfarces, mas, diferente disso, apresenta-se sem máscaras diante de seus liderados (Mt 11.29; 14.27; 20.15; 27.43; Mc 14.62; Jo 4.25, 26; 8.12; 14.6).

A voz do Bom Pastor é discernida, inconfundivelmente, por suas "ovelhas" (v.3-5, 8, 14). Os verdadeiros servos de Cristo entendem a Sua voz. A irmã Maria Madalena, uma "ovelha" desse Pastor, ao se dirigir ao sepulcro onde jazia o corpo do Mestre, percebeu a linda e inconfundível voz do seu Senhor: “Disse-lhe Jesus: Maria! Ela, voltando-se, disse-lhe: Raboni (que quer dizer Mestre)!” (v.16).

O Bom Pastor conhece as suas "ovelhas" pelos seus nomes (v.3, 14). Apesar de Zaqueu ainda não fazer parte do aprisco do Senhor, no momento em que estava sobre um sicômoro, ouviu seu nome ser pronunciado por Jesus: “Zaqueu, desce depressa, porque, hoje, me convém pousar em tua casa” (Lc 19.5). O Senhor sabe tudo sobre nós!

O Bom Pastor vai adiante de suas "ovelhas" (v.4). No Salmo 23.2, está escrito: “Guia-me mansamente a águas tranquilas”. Em Números 14.14, diz-nos a Bíblia que o Senhor ía adiante do seu povo Israel, numa coluna de nuvem de dia e numa coluna de fogo de noite. Se bem que, hoje, Deus não esteja, literalmente, sobre nós como uma coluna de nuvem ou de fogo, Ele continua a nos guiar e nos iluminar espiritualmente, porque Ele não muda (Hb 13.8).

O Bom Pastor é seguido por suas "ovelhas", exclusivamente (v.4, 5). Depois de predicar sobre si mesmo, dizendo ser o pão da vida (Jo 6.48), Jesus foi abandonado por muitos dos seus discípulos (v.60, 66). No entanto, Pedro, uma "ovelha" do aprisco eterno, depois de ser perguntado junto com os doze, pelo Mestre, sobre se queria também partir, manifestou-se, dizendo: “Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras de vida eterna, e nós temos crido e conhecido que tu és o Cristo, o Filho de Deus” (v.68, 69). Que demonstração de fidelidade ao Senhor, não acha?

O Bom Pastor é a Porta das "ovelhas" (v.7, 10). Jesus é a Porta de entrada para o céu (Mt 7.13, 14), para a vida e para a verdade (Jo 14.6).  Sem Ele, ninguém pode ter comunhão com o Pai (Jo 14.6), ninguém pode ser verdadeiramente liberto do pecado: "Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens (Jo 8.32, 36). "Pastagens" fala da abundância com a qual é caracterizada a Palavra de Deus. 

O Bom Pastor dá salvação às suas "ovelhas": "... salvar-se-á..." (v.9). “Está consumado!” foi o brado de vitória na cruz do Calvário (Jo 19.30, ARA). Através da crucificação e ressurreição de Cristo, obtivemos a graciosa salvação (Rm 8.34, 2 Co 5.17). O Pastor Jesus Cristo dá-nos salvação plena!

"Porque Deus amou o mundo [humanidade] de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo [humanidade] não para que condenasse o mundo [humanidade], mas para que o mundo [humanidade] fosse salvo por ele" (Jo 3.16, 17, grifo nosso).

O Bom Pastor dá segurança as suas "ovelhas" (v.9). Acerca da segurança de Deus, disse Davi: “Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo” (Sl 23.4). Semelhantemente, no cenáculo, em Jerusalém, enquanto os discípulos permaneciam temerosos, devido às ameaças dos religiosos, o Bom Pastor apresentou-se entre eles e suavemente falou: “Paz seja convosco!” (Jo 20.19). Outro exemplo da fortaleza divina, foi quando as "ovelhas" do Sumo Pastor, num barco, em meio à noite e ao mar agitado da Galileia, testemunharam o domínio soberano de Seu Guia sobre a furiosa tempestade (Mc 4.35-39).

O Bom Pastor alimenta as suas "ovelhas" (v.9). Certa feita, o nosso Guia não se contentou em ver muitas "ovelhas" esfomeadas espiritualmente, por isso as nutriu com a Palavra de Deus (Mt 4.23;9.35; 26.55; Mc 6.6). Isso, Ele continua fazendo através da Sua Igreja (Mt 28.19, 20) e, sobretudo, por aqueles que vocacionou para o santo ministério (Ef 4.11).

O Bom Pastor dá vida, e vida com abundância (v.10). Em Efésios 2.1, Paulo relata-nos que Cristo nos vivificou, estando nós mortos em ofensas e pecados. Ele deu-nos a vida! Ele é a própria vida! (Jo 14.6). Aleluia!

O Bom Pastor dá a sua vida pelas "ovelhas", porque não é mercenário (v.11-13, 15, 17, 18). Segundo as Escrituras, Ele deu sua vida em resgate de muitos (Mc 10.45). Isso nos mostra que o amor de Cristo é altruísta, que dizer, sem interesses próprios. O Senhor não nos ama pelo que "temos" ou "teremos", mas pelo que somos - para com Ele não há acepção de pessoas (At 10.34).

O Bom Pastor anela agregar outras "ovelhas" que ainda não fazem parte do seu inefável redil (v.16). Estas foram as palavras de Jesus, antes de ser assunto ao Pai: 

“Portanto, ide, ensinai as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-as a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até à consumação dos séculos. Amém! (Mt 28.19, 20).

O Bom Pastor deu a sua vida e tornou a tomá-la de volta, porque este mandamento recebeu de seu Pai (v.18). Cristo tem poder em si mesmo (Gn 1.1; Jo1.1). Ele é Deus! (2 Pe 1.1). Portanto, sendo Deus, Jesus tem poder sobre sua vida - entregou-a e tornou a tomá-la novamente! Glória, poder e honra ao Pastor Eterno!

No Senhor,

João Paulo M. de Souza