quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Uma analogia com a vida cristã: Ele suporta 850 vezes o peso de seu próprio corpo!



Olhando um artigo na internet, fiquei bastante impressionado com o que li a respeito do besouro-rinoceronte - seu nome científico é Dynastinae. Por incrível que pareça, este inseto consegue suportar nada mais nada menos do que 850 vezes o seu próprio peso. Se o ser humano tivesse a "força" desse bichinho, poderia levantar, de uma vez, 15 elefantes ou 60 toneladas! Incrível, não?!

Após ler um artigo sobre o karbuto - outro nome para o Dynastinae -, pensei sobre o peso das aflições da vida cristã: "Quantas 'toneladas' de tribulação aquele que crê piamente em Cristo não tem de suportar, não é verdade? Mas esse peso, por mais paradoxal que possa parecer, segundo as Escrituras, é "leve" e "momentâneo", e "produz para nós um peso eterno de glória mui excelente" (2 Co 4.17).

Diante das intempéries existenciais, o que fazer para não se deixar abater? O apóstolo Paulo responde gentilmente: 

"Não atentando nós nas coisas que se veem, mas nas que se não veem; porque as que se veem são temporais, e as que se não veem são eternas. Porque sabemos que, se a nossa casa terrestre deste tabernáculo se desfizer, temos de Deus um edifício, uma casa não feita por mãos, eterna, nos céus" (2 Co 4.18 - 5.1).

Paulo é peremptório quando diz "temos de Deus um edifício" (2 Co 5.1). Observe que ele não afirma "pode ser que tenhamos" ou "quem sabe  um dia teremos". Ele não titubeou, pois sabia em quem havia crido, porque Este "é poderoso para guardar o meu depósito até àquele Dia" (2 Tm 1.12) - disse o doutor dos gentios.

Mediante ajuda de Deus, sem dúvida, podemos suportar, se realmente Cristo estiver em nós, qualquer adversidade humana, seja ela social, sentimental, psicológica, biológica, espiritual etc. Lembra do que disse Paulo em 2 Co 12.10? Se não, reveja: "Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando estou fraco, então, sou forte". Outro exemplo, este o sumo modelo, foi o de Jesus, que morreu em morte de cruz por mim e por você (Mt 27.32-54). Portanto, sem pensar duas vezes, suportemos as "toneladas" aflitivas da vida (Sl 103.14).

No Senhor Jesus,

João Paulo M. de Souza

Nenhum comentário: