segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Como pequerruchos devemos ser



O sentimento de presunção tripudia em muitos corações. Na sociedade hodierna,  boa parte das pessoas deseja ser o alvo das admirações dos homens. Ao olharmos para o que diz a Bíblia, vemos isso na vida de Herodes Agripa I, neto de Herodes, o Grande, quando aceitou a ovação do povo que escutava seus desvanecentes discursos (At 12.21, 22). No entanto, conforme Jesus disse, para alguém ser "grande" no Reino de Deus, é preciso ser o "menor" aqui na Terra (Mt 18.4).

Transcreverei Mateus 18.1-5. Meditemos seriamente sobre este texto:

"Naquela mesma hora, chegaram os discípulos ao pé de Jesus, dizendo: Quem é o maior no Reino dos céus? E Jesus, chamando uma criança, a pôs no meio deles e disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como crianças, de modo algum entrareis no Reino dos céus. Portanto, aquele que se tornar humilde como esta criança, esse é o maior no Reino dos céus. E qualquer que receber, em meu nome, uma criança tal como esta, a mim me recebe".

Vivemos em um tempo de muitas disputas por posições no âmbito cristão e fora dele. A cobiça pelos altos cargos é um sinal de que a carne está vencendo o espírito (Gl 5.17). Em contrapartida, ainda há um remanescente fiel, que busca, antes de tudo, a vontade de Deus para sua vida. Esse, certamente, agrada ao Pai dos espíritos (Hb 11.9).

Essa ambição desenfreada por postos de destaque onde quer que seja só gera contenda entre as gentes (Rm 1.19).  Por que não nos contentarmos com o que Deus nos outorga? Será que Davi enganou-se, quando fez esta linda oração a Deus: "SENHOR, o meu coração não se elevou, nem os meus olhos se levantaram; não me exercito em grandes assuntos, nem em coisas muito elevadas para mim" (Sl 131.1)? Penso que não.

Diante de tantas ofertas satânicas, tomemos bastante cuidado para não nos infectarmos com desejos sórdidos e abomináveis diante do Senhor. Como nos orientou o Mestre, sejamos como uma pequena criança, puros, pois, se assim o formos, desfrutaremos deliciosamente do Reino dos humildes (Mt 18.3). Ser como uma criança deve ser o nosso alvo. Ser como um pequerrucho é a chave para adentrarmos no Céu de gozo eterno!

Em Cristo,

João Paulo M. de Souza

Nenhum comentário: