quarta-feira, 25 de julho de 2012

Tribulações: paciência, experiência e esperança


Aos olhos puramente humanos ou naturais, parece impossível alguém se alegrar em meio a momentos difíceis. Há quem diga que os que assim agem estão enlouquecidos. Todavia, a coisa não é bem assim: quando experimentamos a nova vida em Cristo e passamos a desfrutar de Sua alegria, entendemos que não estamos nem somos loucos, mas fomos privilegiados por Deus, pelas bênçãos espirituais de nosso Senhor (Ef 1.3).

Pelo derramamento do amor de Deus em seu coração (Rm 5.5), o apóstolo Paulo atestou que, em meio às tribulações que experimentava, alegrava-se sobremaneira na presença de Deus: "... nos gloriamos nas tribulações" (Rm 5.3). A paciência, a experiência e a esperança resultava-lhe daquelas. Sem dúvida, "a esperança não nos traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nosso coração pelo Espírito Santo que nos foi dado" (Rm 5.5).

Na vida do crente fiel, as tribulações lhe servem de instrumento de amadurecimento do caráter de Cristo (Gl 5.22). Isso explica a vontade de Deus para cada cristão. Lembremo-nos de que o ouro refinado possui muito mais valor do que quando encontrado na natureza (Pv 27.21). Portanto, deixemo-nos refinar pelo fogo do Santo Espírito do Senhor!

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

Nenhum comentário: