domingo, 1 de julho de 2012

Sem o amor de Deus, a nossa vida não tem a mínima graça


Hodiernamente, muitos se autopromocionam isso e/ou aquilo. Todavia, apenas o Senhor conhece plenamente os corações das pessoas. Em Jeremias 17.10, Ele diz: "Eu, o SENHOR, esquadrinho o coração, eu provo os pensamentos; e isso para dar a cada um segundo os seus caminhos e segundo o fruto das suas ações.

Engana-se quem pensa que o verdadeiro amor é apenas demonstrado por impactantes atitudes - alguém pode chegar a distribuir toda a sua fortuna pelos pobres e, ainda assim, não desfrutar desse amor (1 Co 13.3). Mais forte ainda: "... e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria" (1 Co 13.3). Incrível!

O amor de Deus não se mostra somente pelas atitudes, mas, sobretudo, pelas intenções que o impulsionam. O áureo exemplo desse inefável sentimento é visto em João 3.16: 

"Porque Deus amou o mundo [humanidade] de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna". Observe-se que, primeiro, "Deus amou o mundo", depois "deu o seu Filho".

Você ja leu "O hino do Amor", dileto leitor? Não?! Então, faça-o agora mesmo. Abra o seu exemplar da Bíblia e leia, em oração e meditação, 1 Coríntios 13. Deus falará profundamente ao seu coração, "porque Deus é amor" (1 Jo 4.8), e, sem Ele, a nossa vida não tem a mínima graça.

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

Nenhum comentário: