quarta-feira, 11 de julho de 2012

Características do genuíno amor, o Amor de Deus


Reflitamos profundamente no Amor de Deus (1 Co 13.1-13):

  • Intrinsecamente, não é demonstrado pelas aptidões humanas e/ou angelicais (v. 1);
  • Não tem sua raiz nos dons do Espírito (1 Co 12; 13.3);
  • Não mora nas atitudes meramente artificiais dos homens, nem nas automartirizações humanas (v. 3);
  • É sofredor (v. 4);
  • É benigno (v. 4);
  • Não é invejoso (v. 4);
  • Não é leviano (v. 4);
  • Não é soberbo (v. 4);
  • Não é indecente (v. 5);
  • Não é interesseiro (v. 5);
  • Não se irrita (v. 5);
  • Não suspeita mal (v. 5);
  • Entristece-se com a injustiça (v. 6);
  • Alegra-se com a verdade (v. 6);
  • Tudo sofre (v. 7);
  • Tudo crê (v. 7);
  • Tudo espera (v. 7);
  • Tudo suporta (v. 7);
  • Nunca falha (v. 8);
  • É perfeito (v.10);
  • É eterno (v. 10, 13);
  • É a maior de todas as virtudes (v. 13).

Que possamos meditar e procurar assimilar essa incomparável virtude.

Em Cristo,

João Paulo M. de Souza

Nenhum comentário: