quinta-feira, 7 de junho de 2012

Nem mais, nem menos: apenas o que está escrito nas Escrituras Sagradas


Gostaria de saber o porquê de alguns pregadores gostarem de acrescentar e/ou omitir o que diz a Bíblia. Não será porque desejam agradar e serem ovacionados pelos incautos da vida? Ou não será por conta das "cifra$" que irão receber da mão de algum (ns) aproveitador (es) de igrejas, após suas apresentações? Ou não será por algum (ns) outro (s) motivo (s)?

Há pouco li as Escrituras - alguns poucos versículos... -, e não sei se, por Ela, poderei explicar se é certo ou errado adulterar os textos sagrados. Para tanto, transcreverei estes versos:

"Maravilho-me de que tão depressa passásseis daquele que vos chamou à graça de Cristo para outro evangelho, o qual não é outro, mas há alguns que inquietam e querem transtornar o evangelho de Cristo. Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. Assim como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo: se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema" (Gl 1.6-9).

"Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro; e, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte da árvore da vida e da Cidade Santa, que estão escritas neste livro" (Ap 22.18, 19).

"E eu, irmãos, apliquei essas coisas, por semelhança, a mim e a Apolo, por amor de vós, para que, em nós, aprendais a não ir além do que está escrito, não vos ensoberbecendo a favor de um contra outro" (1 Co 4.6).

"Porque tudo quanto dantes foi escrito para nosso ensino foi escrito, para que, pela paciência e consolação das Escrituras, tenhamos esperança" (Rm 15.4).  

Ainda tenho as minhas dúvidas quanto ao poder ou não dar uma "ajudinha" às Escrituras, quando do seu manuseio... Alguém, por favor, pode me dá uma luz ou luzes?

No Senhor,

João Paulo M. de Souza


Nenhum comentário: