sexta-feira, 13 de abril de 2012

Por causa da Palavra de Deus e pelo testemunho de Jesus Cristo

Em uma das doze ilhas do arquipélago do Dodecanese no mar Egeu, o apóstolo João, exilado e esquecido pelos seus algozes, recebia, da parte de Deus, as visões do Apocalipse (Ap 1.9). Segundo o "discípulo a quem Jesus amava" (Jo 21.7), os motivos pelos quais ali jazia foram a Palavra de Deus e o testemunho que dera acerca de Cristo (Ap 1.9).

A ilha de Patmos era pequena, possuindo cerca de 16 quilômetros de comprimento e aproximadamente 10 de largura. Os montes vulcânicos rochosos enfeitavam a sua superfície. Segundo Apocalipse 1.9, o apóstolo não foi até lá para pregar o Evangelho, mas que, "por causa da palavra de Deus e pelo testemunho de Jesus Cristo, foi exilado naquele lugar tenebroso.

De acordo com historiadores cristãos, as ilhas do mar Egeu eram utilizadas como lugares de reclusão, para os quais eram levados os prevaricadores políticos. Ao falar sobre a opressão do imperador romano Domiciano, Eusébio de Cesareia escreve: 

"Nessa perseguição, de acordo com a tradição, o apóstolo e evangelista João, que ainda estava vivo, em consequência do seu testemunho da palavra divina, foi  condenado a morar na ilha de Patmos" (Comentário Bíblico Beacon, Ralph Earle, vol.10, CPAD, 2006, p.401).

Foi nesse cenário tempestuoso que Deus se revelou ao apóstolo! O Senhor não se esquece dos seus amados: 

"Eu fui arrebatado em espírito, no dia do Senhor, e ouvi detrás de mim uma grande vós, como de trombeta. E eu, quando o vi, caí a seus pés como morto; e ele pôs sobre mim a sua destra, dizendo-me: Não temas; eu sou o Primeiro e o Último e o que vive; fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém!" (Ap 1.10, 17, 18). 

Assim como João, uma de nossas maiores alegrias é a de sabermos de que Deus está conosco em todos os momentos de nossa vida: "Porque eu, o SENHOR, teu Deus, te tomo pela tua mão direita e te digo: não temas, que eu te ajudo" (Is 41.10, grifo meu).

Em Cristo Jesus,

João Paulo M. de Souza

Nenhum comentário: