sexta-feira, 27 de abril de 2012

A inocência do profeta Daniel


"O meu Deus enviou o seu anjo e fechou a boca dos leões, para que não me fizessem dano, porque foi achada em mim inocência diante dele; e também contra ti, ó rei, não tenho cometido delito algum" (Dn 6.22). 

O profeta Daniel, apesar de ser acusado indevidamente pelos príncipes e presidentes do seu tempo, permaneceu fiel Àquele que julga retamente (Sl 75.7; Dn 6.4, 5, 10). Ele sabia em quem havia crido!

Às vezes, encontramo-nos em "covas" semelhantes à do profeta, onde, ali, pensamos que tudo acabou. No entanto, assim como aconteceu com Daniel, o Senhor há de mostrar uma saída para nós, seus servos: "... Isto diz o que é santo, o que é verdadeiro, o que tem a chave de Davi, o que abre, e ninguém fecha, e fecha, e ninguém abre" (Ap 3.7).

Em Cristo,

JPMS

Nenhum comentário: