sexta-feira, 9 de março de 2012

Se Deus quiser...


Jó tinha razão quando disse que o ser humano, essencialmente, é "cheio de inquietação" (Jó 14.1). Daí a coroa da criação de Deus, quando entregue a si mesma, cometer muitos deslizes. Às vezes, o homem pensa poder controlar tudo ao seu redor, porém, quase sempre, as suas próprias escolhas colocam-no em maus lençóis diante daquilo que pensava ser concreto.

Tiago, ao falar acerca da falibilidade humana, por meio de sua "epístola universal", afirma, categoricamente: "Digo-vos que não sabeis o que acontecerá amanhã" (Tg 4.14a). Esse servo do Senhor rebateu com veemência o modo de pensar de vários de seus contemporâneos, pois estes elaboravam seus projetos sem, contudo,consultarem a Deus (Tg 4.13). Eis um grande erro!

Portanto, ao projetar alguma coisa, o homem deve procurar ter o aval divino: "Se o Senhor quiser" (Tg 4.15), igualmente deve ter ciência de que o poder e as circunstâncias da vida estão nas mãos do Eterno: "... e se vivermos, faremos isto ou aquilo". Eis o que deve dizer, sempre: "Seja o que o Senhor quiser".

Quando pessoas agem presunçosamente, as Escrituras dizem que aquelas buscam "glória maligna" (Tg 4.16).  Consequentemente, "aquele, pois, que sabe fazer o bem e o não faz comete pecado" (v.17).

Em Cristo,

João Paulo M. de Souza

Nenhum comentário: