terça-feira, 13 de março de 2012

"O vento assompra onde quer"


Muito embora não possamos enchergar o vento, sabemos de sua existência, pois sua atividade e seu som característico são reais e ninguém pode suplantar essas verdades naturais, por serem práticas. Semelhantemente, acontece com o Espírito Santo - não o vemos, mas o sentimos em nós por meio de suas ações espirituais e inconfundíveis.

O Espírito age da maneira que lhe apraz: "O vento assopra onde quer...". Atua de forma independente e misteriosa: "... não sabes de onde vem, nem para onde vai...". Ele opera o maior milagre, a salvação: "... assim é todo aquele que é nascido do Espírito" (Jo 3.8).

A bem da verdade, ai de nós se não fosse o Espírito de Deus. Acerca dEle disse Jesus, enquanto ainda estava, em carne, entre os seus discípulos e apóstolos: "E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça, e do juízo: do pecado, porque não creem em mim; da justiça, porque vou para meu Pai, e não me vereis mais; e do juízo, porque já o príncipe deste mundo está julgado" (Jo 16.8-11).

É bom lembrar de que o "vento" é apenas um dos "símbolos" aplicados ao Espírito Santo. Este, sem dúvida alguma, é Deus (Hb 9.14; Sl 139.7-10; Lc 1.35; 1 Co 2.10, 11), e não um dos elementos da natureza, como alguns incautos andam dizendo por aí.

Em Cristo,

João Paulo M. de Souza

Nenhum comentário: