domingo, 31 de julho de 2011

No Reino de Deus é diferente...


O mundo, como diz as Escrituras, jaz no maligno (1 Jo 5.19); e Deus é contrário as ideologias mudanas, principalmente quando se trata de seus princípios diabólicos (2 Co 4.4). No tocante à humildade, as influências do presente século andam na contramão de Deus, burlando as verdades do Reino dos Céus: "... não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus?" (Tg 4.4). Parece-nos que essa praga não se fortificou apenas nos tempos de Jesus, mas permeia a vida de muitos ( que se autodenominam cristãos) em nosso meio.

Leia-mos o texto de Marcos 10.35-45:

"E aproximaram-se dele Tiago e João, filhos de Zebedeu, dizendo: Mestre, queremos que nos faças o que te pedirmos. E ele lhes disse: Que quereis que vos faça? E eles lhe disseram: Concede-nos que na tua glória nos assentemos, um à tua direita, e outro à tua esquerda. Mas Jesus lhes disse: Não sabeis o que pedis; podeis vós beber o cálice que eu bebo, e ser batizados com o batismo com que eu sou batizado? E eles lhe disseram: Podemos. Jesus, porém, disse-lhes: Em verdade, vós bebereis o cálice que eu beber, e sereis batizados com o batismo com que eu sou batizado; mas, o assentar-se à minha direita, ou à minha esquerda, não me pertence a mim concedê-lo, mas isso é para aqueles a quem está reservado. E os dez, tendo ouvido isto, começaram a indignar-se contra Tiago e João. Mas Jesus, chamando-os a si, disse-lhes: Sabeis que os que julgam ser príncipes dos gentios, deles se assenhoreiam, e os seus grandes usam de autoridade sobre elas; mas entre vós não será assim; antes, qualquer que entre vós quiser ser grande, será vosso serviçal; e qualquer que dentre vós quiser ser o primeiro, será servo de todos. Porque o Filho do homem também não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de muitos".

Tiago e João estavam enganados e ainda envolvidos com as influências mundanas: "Concede-nos que, na tua glória, nos assentemos, um à tua direita, e outro à tua esquerda" (v. 37). Ao que Jesus respondeu: "Não sabeis o que pedis" (v.38).

Estive pensando nessa passagem e cheguei à seguinte interpelação: - Não estamos vendo situações parecidas em nosso tempo, onde certas pessoas só querem sentar nos lugares de destaque, mas não querem servir (v.43), muito menos serem servas umas das outras (v.44)?.

Medite nessas palavras.

João Paulo M. de Souza

domingo, 24 de julho de 2011

Nossa pregação precisa alcançar continuamente nova profundidade em graça e em verdade


"Não há duvida de que a maioria dos sermões é ralo como uma sopa feita dos mesmos ossos durante o ano inteiro. Muitos pregadores usam clichês vazios de sentido. A mensagem de muitos púlpitos é banal e comum. Muitos pregadores estam cansados da sua própria maneira de pregar, visto que eles mesmos não tem fogo, nem entusiasmo, nem zelo, nem expectativa. Nossa pregação precisa alcançar continuamente nova profundidade em graça e em verdade e nova altitude de frescor em conteúdo. Sem essa firme e consistente apresentação do ensino da Santa Palavra de Deus, nosso povo cairá em toda sorte de erro, em muitas conhecidas heresias, tornando-se presa fácil de qualquer demagogia eclesiástica que flutue no mercado religioso".

Por W. A. Criswell

sexta-feira, 22 de julho de 2011

1º Encontro de jovens das ADs em Vila do Ipsep e em Vila Mauriceia, no Recife



 

Neste fim de semana, será realizado o I Encontro de Jovens das campanhas evangelizadoras dos bairros de Vila do Ipsep e Vila Mauricéia, no Recife. A primeira edição do evento tem como tema “Acabaram-se os jovens...?”, baseado em 1 Samuel 16.11a.

O Encontro será realizado a partir das 19h, na Quadra Poliesportiva Heuler Bentes, que fica atrás da Escola Estadual Engenheiro Lauro Diniz, próximo à Delegacia do Ipsep.

O evento vai receber caravanas de várias congregações e preletores enviados pelo Templo Central.

Para quem quer ir do Ibura ao local, basta pegar os ônibus das linhas Lagoa Encantada, Zumbi do Pacheco, Três Carneiros, Jardim Monte Verde, UR's (todos, exceto UR-07) e Córrego da Gameleira e descer em frente à Delegacia do Ipsep. O mesmo serve para quem vem do centro, mas descendo próximo à Agência dos Correios no Ipsep.

Já pra quem mora em Candeias, Piedade ou Boa Viagem, os ônibus são os das linhas Candeias/Dois Irmãos, Ipsep Shopping Recife, CDU/Caxangá/Boa Viagem e Curado IV/Boa Viagem, descendo também próximo à Agência dos Correios no Ipsep.


Fonte: RBC1


sexta-feira, 15 de julho de 2011

Uma palavra aos pregadores

"O pregador precisa ser puro em todos os hábitos de sua vida. Pequenas raposas destroem a vinha. Ele não pode ter hábitos impuros nem vícios secretos. Deus abertamente exporá à vergonha pública aqueles que cometem pecados em secreto. A vida de Davi é uma ilustração dessa verdade (2 Sm 12.12). A exortação de Paulo a Timóteo é pertinente: "Fuja das paixões da mocidade". O pregador será privado do poder no púlpito se não for limpo em sua vida privada. Não poderá pregar ao povo com poder se sabe que sua vida é impura. A confiança do povo repreenderá a sua hipocrisia. Se um pregador não purificar a si mesmo, não será um vaso de honra nem poderá ser usado pelo divino Mestre para toda boa obra."

Por: William Evans

domingo, 10 de julho de 2011

Não queira tirar argueiro algum do olho de alguém, se, porventura, tiver uma trave no seu


No decorrer da história, o que não faltou foi gente fazendo fuxico da vida dos outros. Hoje, não é diferente. Jesus falou um pouco daquele que, mesmo com a vida toda destrambelhada, vive fofocando da vida alheia. A bem da verdade, não é errado analisarmos, avaliarmos e termos uma visão realista acerca dos procedimentos dos outros (1 Pe 4.17; 1 Co 1.11).

Em Mateus 7.1-5, o Senhor Jesus alerta àqueles que estão com uma trave (viga ou tronco) no olho, e vive bisbilhotando a vida dos que têm apenas um argueiro no orgão da visão: "Não julgueis, para que não sejais julgados. Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós. E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho? Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu? Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão.

Nós não estamos vetados de tirar qualquer "argueiro" do olho de outra pessoa, desde que, em nossos olhos, não haja embaraço algum (Mt 7.5). Esse procedimento tem que ser feito com amor! "O amor não faz mal ao próximo; de sorte que o cumprimento da lei é o amor" (Rm 13.10).

Em Jesus,

João Paulo M. de Souza

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Devemos ter cuidado com as escórias musicais que querem usurpar o lugar do verdadeiro louvor a Deus


Para muitos - que não gostam da Palavra, nem do Deus da Palavra, pois se gostassem acatariam o que Ele orienta -, qualquer um que inventa músicas e  coloca o nome de Deus, ou o de Jesus em suas letras, tem inspiração para compor e lançar CD's e DVD's de qualidade.  O interessante é que quando esse tipo de música, que na sua maioria é dançante e sem cunho bíblico, é cantado nas igrejas, o povo entra na "roda" do engano e começa a festejar; muitas vezes sem perceber a própria pobreza e mediocridade espiritual.

Há alguns anos, antes de me converter ao Senhor e Salvador Jesus Cristo, fui a um show mundano, à uma apresentação de uma certa banda de Rock´n Roll estrageira. Naquele espetáculo deplorável aos olhos de Deus, lembro-me de que pulei, gritei e alegrei-me - claro, com uma alegria falsa (1 Jo 2.15-17). E, infelizmente, ao ver alguns grupos e cantores (que se dizem evangélicos, mas, na verdade, são ambiciosos e amantes da fama e da cifra) no cenário cristão de hoje, imitando os cantores ímpios, sinto-me inconformado! (Rm 12.1, 2)

Esses cantores não gostam de ler a Bíblia, nem de serem tratados como crentes comuns, senão como "ícones" da música gospel, verdadeiras estrelas. Cantam pelo prazer da ostentação e do dinheiro; não adoram ao Único que, de fato, merece ser glorificado (Sl 51.14; 136; 150). O salmista fala que o verdadeiro adorador, deve ter a "espada de dois fios nas suas mãos", e "os altos louvores de Deus na sua garganta" (Sl 149.6). A "espada de dois fios" é a Bíblia (Hb 4.12). Sem a "espada do Espírito" (Ef 6.17) permeada na música, esta torna-se ineficaz, porque Deus não recebe falsos louvores.

Devemos glorificar ao Pai em tudo: "Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para a glória de Deus" (1 Co 10.31; Sl 9.11; Dt 14.2; 1 Pe 1.15, 16; Lv 11.44, 45).

Portanto, sejamos vigilantes quanto a invencionices e modismos musicais. Fiquemos com a Palavra, fonte absoluta de onde se tira o mais perfeito louvor. E quando cantarmos, cantemos com a alma, e não pelos aplausos e cachês da vida (Mt 21.15, 16).

Não conformado com as músicas pobres, medíocres, vazias e destituídas do mais puro louvor,

João Paulo M. de Souza

terça-feira, 5 de julho de 2011

Uma palavra aos pregadores dos dias atuais


"O pregador precisa ser puro em todos os hábitos de sua vida. Pequenas raposas destroem a vinha. Ele não pode ter hábitos impuros nem vícios secretos. Deus abertamente exporá à vergonha pública aqueles que cometem pecados em secreto. A vida de Davi é uma ilustração dessa verdade (2 Sm 12.12). A exortação de Paulo a Timóteo é pertinente: "Fuja das paixões da mocidade". O pregador será privado do poder no púlpito se não for limpo em sua vida privada. Não poderá pregar ao povo com poder se sabe que sua vida é impura. A confiança do povo repreenderá a sua hipocrisia. Se um pregador não purificar a si mesmo, não será um vaso de honra nem poderá ser usado pelo divino Mestre para toda boa obra."

Por: William Evans

segunda-feira, 4 de julho de 2011

O exemplo do ministério de Paulo entre os tessalonicenses


Há pouco, li e meditei sobre o apóstolo Paulo , e pude ser orientado por Deus sobre o quanto ele sofreu e foi fiel a Deus e à Igreja, abnegando-se e doando-se na obra do Senhor (2 Co 12.15). Aprendi sensivelmente, esperando que o Eterno dê-me graça para imitar os bons exemplos desse homem de Deus (1 Co 11.1).


Como Paulo exerceu o seu ministério entre os tessalonicenses

"Porque vós mesmos, irmãos, bem sabeis que a nossa entrada para convosco não foi vã;

Mas, mesmo depois de termos antes padecido, e sido agravados em Filipos, como sabeis, tornamo-nos ousados em nosso Deus, para vos falar o evangelho de Deus com grande combate.

Porque a nossa exortação não foi com engano, nem com imundícia, nem com fraudulência;

Mas, como fomos aprovados de Deus para que o evangelho nos fosse confiado, assim falamos, não como para agradar aos homens, mas a Deus, que prova os nossos corações.

Porque, como bem sabeis, nunca usamos de palavras lisonjeiras, nem houve um pretexto de avareza; Deus é testemunha;

E não buscamos glória dos homens, nem de vós, nem de outros, ainda que podíamos, como apóstolos de Cristo, servos pesados;

Antes fomos brandos entre vós, como a ama que cria seus filhos.

Assim nós, sendo-vos tão afeiçoados, de boa vontade quiséramos comunicar-vos, não somente o evangelho de Deus, mas ainda as nossas próprias almas; porquanto nos éreis muito queridos.

Porque bem vos lembrais, irmãos, do nosso trabalho e fadiga; pois, trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós, vos pregamos o evangelho de Deus.

Vós e Deus sois testemunhas de quão santa, e justa, e irrepreensivelmente nos houvemos para convosco, os que crestes.

Assim como bem sabeis de que modo vos exortávamos e consolávamos, a cada um de vós, como o pai a seus filhos;

Para que vos conduzísseis dignamente para com Deus, que vos chama para o seu reino e glória." 

(1 Tessalonicenses 2.1-12)

Meditemos.

João Paulo M. de Souza