quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Uma singela análise da pregação dos irmãos da Igreja Primitiva


Diz-nos a Bíblia que, depois da morte do diácono Estêvão (At 7), houve uma grande perseguição contra a Igreja, que estava em Jerusalém, de modo que todos os irmãos foram dispersos "pelas terras da Judeia e da Samaria, exceto os apóstolos" (At 8.1).

No meio da perseguição,"Saulo assolava a igreja, entrando pelas casas; e, arrastando homens e mulheres, os encerrava na prisão. Mas os que andavam dispersos iam por toda parte anunciando a palavra" (At 8.3, 4). É importante atentarmos para o conteúdo da pregação dos irmãos: "... a palavra". Eles não ficavam falando picuinhas para os ouvintes, como hoje se vê com bastante facilidade em alguns lugares. Hoje, muitos falam demais, porém não transmitem quase nada (ou nada) a Igreja.

Continuando, as Escrituras dizem: "E, descendo Filipe à cidade de Samaria, lhes pregava a Cristo" (v.5). Cristo, na pregação desse diácono, era glorificado! Filipe falava só de Jesus - isto indica um coração profundamente arraigado no "nome que é sobre todo o nome" (Fl 2.9; At 4.12). Jesus era grandemente exaltado por meio desse eficaz pregador: "E as multidões unanimemente prestavam atenção ao que Filipe dizia" (v.6). E como resultado de sua prédica cristocêntrica, muitos "ouviam e viam os sinais que ele fazia" (v.6, 7).

Outro fator incontestável como resultado da genuína pregação foi a alegria produzida no coração dos samaritanos: "E havia grande alegria naquela cidade" (v.8). Este gozo era sinal de que a Palavra estava encontrando lugar certo na vida do povo: "Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais penetrante do que qualquer espada de dois gumes" (Hb 4.12).

Portanto, não nos conformemos com pregações mornas, secas e repletas de autoajuda. Esses pseudos sermões não encontram guarida nos corações dos verdadeiros servos de Deus. Lembremo-nos de nossos amados irmãos bereanos, que "examinavam cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim" (At 17.11).

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

Nenhum comentário: