quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Trê bons exemplos do escriba Esdras com relação à Palavra de Deus

Por João Paulo Souza


Hoje, em muitas igrejas, experimenta-se uma escassez terrível da ministração das Escrituras Sagradas. Isso se deve ao fato de muitos "pregadores" deixarem de lado a salutar exposição da Palavra de Deus. Contudo, essa situação pode ser mudada. Para tanto, deve-se observar os bons e edificantes exemplos bíblicos (Ed 7; At 20.7, 11).

Esdras, "escriba hábil na Lei de Moisés, dada pelo SENHOR, Deus de Israel" (Ed 7.6), é um desses positivos exemplos. Este homem preparou "o seu coração para buscar a Lei do SENHOR, e para a cumprir, e para ensinar em Israel os seus estatutos e os seus direitos" (Ed 7.10). Deste versículo, podemos extrair três atitudes honrosas: preparar o coração para buscar a Palavra, cumprir a Palavra e ensinar a Palavra de Deus ao povo.

Primeira ação: bem diferente de vários pregadores de hoje, o escriba da corte procurou estar preparado diante de Deus: "tinha preparado o seu coração" (v.10). Faz-nos lembrar a admoestação paulina a Timóteo: "Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade" (2 Tm 2.15). Esses dois modelos são prova viva de que devemos preparar-nos, biblicamente, antes de pregarmos.

A segunda atitude de Esdras foi a de cumprir a Lei do Senhor, isto é, viver a Palavra genuinamente. Não basta apenas buscarmos conhecer a Bíblia, cabe-nos também a obrigação de vivê-la: "para a cumprir" (v.10). Observemos o que disse Paulo: "O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso fazei" (Fl 4.9). O apóstolo confirmava, pelo seu bom procedimento, aquilo que buscava (At 20.26, 27).

A terceira e última atitude do escriba foi "ensinar em Israel" (v.10, grifo nosso). Podemos aprender aqui que, para instruirmos os outros, é preciso buscarmos e vivermos, antes, o que vamos transmitir! Se não fizermos isso, a nossa pregação ficará insossa, sem sabor: "Vós sois o sal da terra; e, se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta, senão para ser pisado pelos homens" (Mt 5.13). As nossas palavras precisam "salgar" os ouvidos e o coração dos ouvintes: "A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal" (Cl 4.6).

2 comentários:

Herenilton H. Julião disse...

A graça e a Paz de nosso Senhor Jesus Cristo, meu nobre,

Exelente artigo. Devemos sempre procurar seguir o exemplo de pregadores como este que obtiveram o testemunho das Sagradas Escrituras quanto ao fato de haver agradado a Deus com as suas ministrações.
Uma das melhores coisas que pode haver na vida daqueles que pregam e são comprometidos com Deus é ter o seu zelo e seu amor para com a Bíblia conhecido pelos homens afim de que o de influenciar os outros e ,principalmente ,glorificar o nome do Senhor.

"Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus."
(Mateus 5:16)
"Porque estou zeloso de vós com zelo de Deus; porque vos tenho preparado para vos apresentar como uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo."
(2 Coríntios 11:2)

Desde já recomendo ao amigo a escrever um artigo sobre o Rei Josias (2 Reis caps.22 e 23).

Em Cristo Jesus,
Herenilton H. Julião

João Paulo disse...

Irmão e amigo Herenilton, a paz do Senhor!

Fico feliz em saber que o irmão visita o nosso blog! Deus o abençõe!

Não me esqueci da sua sugestão sobre os "batismos". É porque eu tenho uma filosofia própria quanto às "minhas" postagens. Mas, em breve, se Deus permitir, estarei atendendo as suas solicitações.

"Persiste em ler [as Escrituras], exortar e ensinar" (1 Tm 4.13, grifo nosso).

Um forte abraço!

JP