quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Aprendendo com Maria num mundo de Marta

Recentemente, estávamos lendo e meditando acerca das atitudes de Marta e Maria, quando Cristo as visitou. Pudemos constatar um contraste intenso entre os seus comportamentos e intenções diante de Jesus. Portanto, gostaria de compartilhar, em forma de sermão, o texto que trata da passagem (Lc 10.38-42). 


Marta

1.   Recebe Jesus em sua casa (v.38);

2.  Desprezou o ensino de Jesus (v.39);

3. Apesar de receber Jesus, colocou-o em segundo plano: “... andava distraída em muitos serviços” (v.40, 41; Mt 6.31, 32; Fl 4.6);

4. Estava mais preocupada com o exterior (aparência) do que com o interior (alma e espírito): “... agitava-se de um lado para o outro, ocupada em muitos serviços” (v.40, ARA; Mt 6.33; Jo 6.27);

5. Além de estar apenas pensando nas coisas terrenas, queria que a sua irmã fizesse o mesmo: “... não te importas que minha irmã me deixe servir, só? Dize-lhe, pois, que me ajude” (v.40; Jó 2.8, 9);

6. Foi advertida por Jesus: “Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas” (v.41; Pv 3.11; 4.1, 13; 6.23; 8.10, 33);

7.  Escolheu a “pior parte” (v.42);

Maria

1. Soube diferenciar o primário (o mais importante) do secundário (o menos importante): “... assentando-se também” (v.39);

2. Deu atenção total à presença de Jesus: “... assentando-se aos pés de Jesus” (v.38; Jo 13.25; Mt 8.1; 12.15; );

3.  Preocupou-se, antes de tudo, com as coisas espirituais: “... ouvia a sua palavra” (v.39; Sl 119.97, 103, 111, 112; Cl 3.1-3; Mt 6.33; Sl 73.25, 26; 2 Tm 4.6-8);

4.   Estava tranquila e perseverante na presença de Jesus, ou seja, não se deixou levar pela agitação de Marta: “... assentando-se... aos pés de Jesus” (v.39; 1 Pe 5.6, 7);

5.  Escolheu a melhor parte [a parte honrada de uma festividade]: “Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada” (v.42)

Tudo o que fazemos para o Senhor nem sempre é completamente certo, mesmo que tenhamos a mais sincera das intenções. Cabe-nos pedir a perfeita aprovação de Deus em todos os nossos empreendimentos: “E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” (Rm 12.2).

João Paulo M.de Souza

Nenhum comentário: