quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Olhai para as aves do céu e olhai para os lírios do campo

Deus se preocupa com as aves, alimentando-as diariamente. Elas, segundo Jesus, “não semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros”. O pardal é uma ave que quase ninguém dá valor, mas Deus não se esquece dele, ainda que seja uma ave desprestigiada pelo ser humano, ou seja, sem préstimo comercial, o nosso Pai os alimenta (Mt 6.26). Se Deus tem solicitudes por seres irracionais e tão pequenos, imaginai por nós, seres criados à Sua imagem e semelhança? (Gn 1.26, 27).

De modo semelhante ao das aves, os lírios do campo também são bem cuidados por Deus. Jesus disse o seguinte sobre eles: “... eles crescem; não trabalham, nem fiam [costuram]. E eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles” (Mt 6.28, 29, grifo nosso). Os lírios do campo são elogiados por Cristo, por causa da sua gritante beleza. Todavia são transitórios e lançados ao fogo (v.30), isto é, servem de combustível para o forno.

As aves e os lírios são símbolos do cuidado de Deus e servem de exemplo para nós outros. As primeiras não semeiam, nem colhem, nem ajuntam alimento algum em um armazém; os segundos são muito lindos, porém são efêmeros. Apesar das limitações deles, o Provedor os auxilia em tudo de que precisam. Será que Deus não pode providenciar o que estás necessitando agora? Claro que sim! “Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com os ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu um Deus além de ti, que trabalhe para aquele que nele espera” (Is 64.4).

No Senhor,

João Paulo M. de Souza

Nenhum comentário: