quinta-feira, 12 de abril de 2012

Não deixe que roubem o tesouro preciosíssimo que há em você



A “coroa” do texto de Apocalipse 3.11 é a coroa da vida (Ap 2.10), isto é, algo muito importante para qualquer cristão que se preza.  Diante disso, o que podemos apreender com esse texto? O que podemos assimilar a partir dele?

(1) Devemos guardar fielmente o que Deus nos deu: “Guarda o que tens". Segundo o dicionário da língua portuguesa Houaiss, "guardar" significa “vigiar para defender, proteger, preservar; tomar conta, zelar por; conservar em seu poder”. Para exemplificar melhor, leiamos 2 Samuel 23.11,12. Outro modelo está em Mateus 26.41: “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade o espírito está pronto, mas a carne é fraca”. Observe que Jesus enfatiza as expressões "vigiai" e "orai". Você ainda pode conferir outras referências bíblicas corralatas (Hb 10.23; 1 Co 15.58; 1 Pe 5.8, 9).

(2) Podemos perder o que Deus nos deu: “Para que ninguém tome a tua coroa”. O cerne desta frase está bem claro: existem outros seres e fatores que nos podem embaraçar, a ponto de perdermos nossa preciosa salvação. Para que sejamos ainda mais advertidos, vejamos outros exemplos bíblicos de pessoas que perderam o que tinham de valor: Esaú vendeu a sua primogenitura a Jacó (Gn 25.29-34); Saul, ao desobedecer a Deus, perdeu o reinado para Davi (1 Sm 15.11, 23; 16.1, 13); Judas perdeu a salvação, suicidou-se (Mt 27.5).

(3) Jesus vem sem demora, Ele voltará para buscar a sua Igreja: “Eis que venho sem demora”. Uma vez que não sabemos quando Cristo voltará (Mt 24.36), devemos estar apercebidos quanto à sua iminente vinda. Além disso, é preciso que saibamos de que, para o Senhor, mil anos são como um dia, e um dia, como mil anos (2 Pe 3.8). Assim, dois mil anos são dois dias para Deus, ou seja, “sem demora”.

A advertência de Cristo é para não fracassarmos na corrida da vida e, por consequência, perdermos o direito à salvação. Para que essa tragédia espiritual não nos aconteça, carecemos da graça, da misericórdia e do amor de Deus. “Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor” (1 Co 15.58).

Em Deus,

João Paulo M. de Souza

Um comentário:

daniela silva disse...

esse texto fala mui com as passoas, principalmente com os leitores. Por isso e mui bom..... gostei;...!