sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Feliz 2011!

Para mim, o ano de 2010 foi de bênçãos, apesar de ter perdido o meu amado pai, José Barbosa, no último dia 10. Entretanto, o Senhor consolou-me (Jo 14.26).

Desejo que, em 2011, nossas vidas sejam repletas de obras de justiça. "Assim resplandeçam a nossa luz diante dos homens, para que vejam as nossas obras e glorifiquem o nosso Pai, que está nos céus" (Mt 5.16). Que continuemos a experimentar "a boa, agradável e perfeita vontade de Deus" (Rm 12.2). E, altamente, a Palavra seja reverenciada em nossas vidas e o Senhor Jesus, glorificado! (Mt 4.4; 21.9)

"A todos... amados de Deus, chamados santos: Graça e paz de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo" (Rm 1.7). Feliz 2011, em nome de Jesus!

João Paulo M. de Souza

Como o apóstolo "Paulo" era chamado depois de sua conversão?


Paulo foi um distinto servo do Senhor, levando a semente da Palavra de Deus a muitos lugares por onde passou. Ele mesmo falou um pouco dele: “... fui constituído pregador, e apóstolo, e doutor dos gentios, na fé e na verdade” (1 Tm 2.7; cf. 2 Tm 1.11). Mas, afinal, depois de sua conversão, ele teve o seu nome mudado?
Na Bíblia, podemos observar alguns personagens que tiveram os seus nomes mudados por Deus (Gn 17.5, 15; 32.28). Entretanto, em relação a “Paulo”, não vemos isso. Observe o que diz Atos 13.9: “Todavia, Saulo, que também se chama Paulo”. Em suma, o apóstolo era chamado tanto de Saulo quanto de Paulo.
Em Jesus,
JPMS

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Os fariseus estão à solta!

No passado, muitos fariseus odiavam Jesus, posto que este ensinava (e continua ensinando) o caminho da humildade aos homens (Lc 9.23). Hoje, parece que o mesmo episódio continua a acontecer no seio evangélico, pois boa parte de nós ainda não aprendeu o salutar exemplo de Cristo (Mt 11.29). Muitos querem prestígio, fama e "tapinha" nas costas! Quando não são exaltados e massageados pelos elogios dos símplices ou maus intencionados (Pv 29.5), ficam tristes, fazem biquinho, como quem não gostou do viram. 

Para o nosso ensino, a parábola que o Humilde dos humildes deixou como exemplo e advertência:

"E disse também esta parábola a uns que confiavam em si mesmos, crendo que eram justos, e desprezavam os outros: Dois homens subiram ao templo, para orar; um, fariseu, e o outro, publicano. O fariseu, estando em pé, orava consigo desta maneira: Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano. Jejuo duas vezes na semana, e dou os dízimos de tudo quanto possuo. O publicano, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador! Digo-vos que este [o publicano] desceu justificado para sua casa, e não aquele (o fariseu); porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado" (Lc 18.9-14).

O Mestre Jesus corrobora: "Assim também vós, quando fizerdes tudo o que vos for mandado, dizei: Somos servos inúteis, porque fizemos somente o que devíamos fazer" (Lc 17.10). Portanto, quando fizermos alguma coisa pra Deus, não desviemos a glória que só deve ser dirigida ao Senhor!

Em Cristo,
João Paulo M. de Souza

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Quem está em Cristo, nova criatura é


Ef 4.22-32:

Que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe pelas concupiscências do engano;

E vos renoveis no espírito da vossa mente;

E vos revistais do novo homem, que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade.

Por isso deixai a mentira, e falai a verdade cada um com o seu próximo; porque somos membros uns dos outros.

Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira.

Não deis lugar ao diabo.

Aquele que furtava, não furte mais; antes trabalhe, fazendo com as mãos o que é bom, para que tenha o que repartir com o que tiver necessidade.

Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem.

E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção.

Toda a amargura, e ira, e cólera, e gritaria, e blasfêmia e toda a malícia sejam tiradas dentre vós,

Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo.

Graça e paz da parte de Deus e da do Senhor Jesus Cristo.

Paulo, apóstolo

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Olha para mim e tem piedade de mim



“Olha para mim e tem piedade de mim, conforme usas com os que amam o teu nome” (v.132)

A oração sábia deve ser elaborada com humildade e reconhecimento da sublimidade e do senhorio de Deus sobre todas as coisas. Com isso em mente, o salmista, necessitado de ajuda imediata, pede que o Senhor olhe para ele e ministre Sua misericórdia: “Olha para mim e tem misericórdia de mim”. Em Lamentações de Jeremias 3.22, diz assim: “As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos; porque as suas misericórdias não têm fim”.

Os que amam o santo nome do Senhor são acobertados por sua bondade e misericórdia (Sl 145.20). Deus jamais se esquece de auxiliar aqueles que lhe amam (Is 64.4). Na verdade, diz o Senhor: “Pode uma mulher esquecer-se tanto do filho que cria, que se não compadeça dele, do filho do seu ventre? Mas, ainda que esta se esquecesse, eu, todavia, me não esquecerei de ti. Eis que, na palma das minhas mãos, te tenho gravado” (Is 49.15, 16).

Em presença de Deus,

JPMS

Feliz Natal!

Deus seja louvado pelo seu muito amor com que nos amou (Ef 2.4),  e conceda a todos, visitantes e amigos deste blog, um final de ano muitíssimo abençoado! Que Cristo, que nasceu em nossos corações, vá crencendo mais e mais! E, para aqueles que ainda não tiveram uma experiência profunda com o Filho de Deus, desejo-lhes o Verdadeiro Natal, ou seja, o genuíno nascimento do Senhor e Salvador em seus corações! (Lc 2.11)

Feliz Natal a todos!

João Paulo M. de Souza

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Pedis e não recebeis, porque pedis mal



A pergunta em questão foi proferida pelo Senhor Jesus ao receber Bartimeu, o cego, que estava assentado junto ao caminho, durante a Sua saída de Jericó: Que queres que te faça? (Mc 10.46). Neste texto, o que me maravilhou foi o fato de o cego, humildemente, pedir apenas o que necessitava ao Senhor: “Mestre, que eu tenha vista” (v.51).

A despeito de Bartimeu ter um final feliz (v.52), muitos crentes, hoje, não alcançam o mesmo fito. Porque isto acontece? Por causa das más petições ou dos pedidos incoerentes: “Pedis e não recebeis, porque pedis mal” (Tg 4.6). Na verdade, o que é pedir mal? Pedir visando o “deleite egoístico” (Tg 4.6).

Imaginemos Jesus perguntando a um “cristão”: “O que você quer que eu lhe faça?”. O "servo" responde: “Deus santo, eu quero somente uma bela casa com piscina, à beira da praia, no lugar mais sofisticado da cidade!” A outro, o Mestre interpela: “Peça-me, que eu te darei qualquer coisa”. Em resposta, o servo diz: “Meu Senhor, eu quero ser rico! Quero ter fama, afora fazenda , carros etc.” Agora, perguntamos: Será que essas petições serão ouvidas por Deus? Segundo a Bíblia, não. Pois a Palavra de Deus afirma: “Mas Buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça” (Mt 6.33; cf. Cl 3.1-3). Quando trocamos as prioridades das coisas passamos a errar!

Em presença de Deus,

João Paulo M. de Souza

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

A infinitude da Palavra


“A toda perfeição vi limite, mas o teu mandamento é amplíssimo” (v.96)

“Todas as coisas têm o seu limite” (NTLH), isto é, apesar de os homens admirarem milhares de coisas que existem ou possam existir, elas são, por natureza, finitas: “A toda perfeição vi limite”. Toda sabedoria e todo conhecimento do homem, por mais profundos, consideráveis e bons que sejam, possuem limitações. “Vaidade de vaidades! – diz o pregador, vaidade de vaidades! É tudo vaidade” (Ec 1.2).

Ao contrário das coisas criadas, o mandamento de Deus é amplíssimo ou ilimitado (ARA)! “O seu mandamento se aplica a tudo” (NTLH). A explicação da Palavra do Senhor traz “luz e da sabedoria às pessoas simples” (v.130, NTLH). Por essa razão, disse o salmista: “Lâmpada para os meus pés é tua palavra e luz, para o meu caminho” (v.105).

Em Deus,
JPMS

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

O amor de muitos se esfriará

O doutor dos gentios, quando falava com Timóteo, previa, pelo Espírio, a situação do mundo vindouro. E parece-nos que esse tempo já chegou! Portanto, cheguemo-nos mais perto de Deus, para que estejamos protegidos sob a sua infinita sombra (Sl 91.1). Infelizmente, o amor  verdadeiro está se esfriando no coração de muitas pessoas! (Mt 24.12)

"Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te" (2 Tm 3.1-5).

No amor de Cristo,

JPMS



quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Orai uns pelos outros

A oração é uma prática imprescindível à vida cristã, pois é através dela que podemos alcançar bênçãos divinas (1 Jo 5.14, 15). Um cristão que não ora por si mesmo e, sobretudo, pelo seu próximo é fraco na fé e inexpressivo na obra de Deus. No entanto, o crente que fala com Deus tem força espiritual e vivacidade para trabalhar no labor do Senhor, bem como interceder pelos outros (Jo 17).

Como estamos em batalha espiritual (Ef 6.10-18), nada melhor do que auxiliar os nossos irmãos, com orações e súplicas – e, claro, sem se esquecer dos inimigos!

“Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões e ações de graças por todos os homens. Quero, pois, que os homens orem em todo o lugar, levantando mãos santas, sem ira nem contenda” (1 Tm 2.1, 8).

Orando em todo tempo com toda oração e súplica no Espírito e vigiando nisso com toda perseverança e súplica por todos os santos” (Ef 6.18).
“Pedro, pois, era guardado na prisão; mas a igreja fazia contínua oração por ele a Deus” (At 12.5).

“Portanto, confessem os seus pecados uns aos outros e façam oração uns pelos outros, para que vocês sejam curados. A oração de uma pessoa obediente a Deus tem muito poder” (Tg 5.16).

“Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem” (Mt 5.44).

“Quando Daniel soube que o rei tinha assinado a ordem, voltou para casa. No andar de cima havia um quarto com janelas que davam para Jerusalém. Daniel abriu as janelas, ajoelhou-se e orou, dando graças ao seu Deus. Ele costumava fazer isso três vezes por dia” (Dn 6.10).

 Em Cristo,

JPMS