quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Em tudo dai graças

O agradecimento é algo maravilhoso, é expressão que manifesta gratidão. Ele deve permear o coração de todos que buscam agradar a Deus. Por sinal, não existe nada melhor do que agradecer depois de ser assistido ou ajudado por Quem realmente tem um coração bondoso (Sl 27.13).

"Em tudo dai graças" foi a exortação do apóstolo Paulo aos irmãos tessalonicenses (1Ts 5.18). Continuando a frase, ele disse: "porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco". Observe que é do agrado de Deus um coração grato. Jesus, antes de ordenar a ressusrreição de Lázaro, agradeceu ao Pai: "Tiraram, pois, a pedra de onde o defunto jazia. E Jesus, levantando os olhos para cima, disse: Pai, graças te dou, por me haveres ouvido".

Mediante o que já foi falado, demos graças pelas alegrias e pelas decepções; pelos ganhos e pelas perdas; pela vida e pela morte etc.: " E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações; e sede agradecidos" (Cl 3.15).

Em Cristo,

João Paulo M. de Souza

terça-feira, 14 de setembro de 2010

O SENHOR é a minha porção...

Se Deus permitir, de tempos em tempos estaremos postando escritos sobre o Salmo 119. Nele, aprenderemos acerca do valor da Palavra e os seus ensinos inestimáveis. Esse Salmo, como toda a Bíblia, é muito maravilhoso e instrutivo. Portanto, meditemos e sejamos edificados em Deus.

“O SENHOR é a minha porção; eu disse que observaria as tuas palavras” (v.57)

Deus é a “porção” inestimável do piedoso cristão. É a verdadeira sabedoria (Rm 11.33; 1 Co 1.24, 30). Nada se assemelha a Ele: “O SENHOR é o meu rochedo, e o meu lugar forte, e o meu libertador; o meu Deus, a minha fortaleza, em quem confio; o meu escudo, a força da minha salvação e o meu alto refúgio” (Sl 18.2). Nele, “estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência” (Cl 2.3).

O termo "Observar", no verso em apreço, quer dizer “guardar” (ARA), ou seja, o salmista não procuraria enganar a si mesmo (Tg 1.22).

No Amado,

João Paulo M. de Souza

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Ele sempre estende a Sua mão


Na caminhada da vida, deparamo-nos com momentos graciosos e encantadores, que nos levam a estarmos leves e sossegados. Por outro lado, muitas vezes passamos por situações dificultosas e calamitosas, porque somos suscetíveis a isso (Jó 1, 2). Mas em meio aos momentos aflitivos, encontramos uma mão amiga e ajudadora, a mão de Jesus Cristo.

Certo dia, após alimentar milagrosamente uma multidão de mais de cinco mil homens, além de mulheres e crianças, o Mestre Jesus, à beira do mar da Galileia, ordenou que os seus discípulos entrassem num barco e passassem adiante, para o outro lado do lago. “E, despedida a multidão, subiu ao monte para orar à parte. E, chegada já à tarde, estava ali só” (Mt 14.23).

Após receberem uma ordem, os discípulos Pedro, João, Tiago e companhia obedeceram à voz do seu Senhor e entraram no barco. Enquanto a embarcação açoitada pelas ferozes ondas seguia o seu caminho, no meio do mar sobreveio-lhes um vento oposto (v.24), de modo que trouxe terrível expectação para os tripulantes. Em meio ao desespero, à quarta vigília da noite, surge um homem caminhando sobre o mar. Que homem seria aquele? Seria um fantasma? Os homens ao vê-lo, ficaram espantados e gritavam com medo. Entrementes, ele bradou: “Tende bom ânimo, sou eu; não temais” (v.27). Aquele homem era Jesus! O mesmo que estendeu Sua “santa mão” para livrar Pedro de morrer afogado no imenso lago (v. 31).

A despeito das intempéries da vida, o nosso Senhor nunca nos esquece (Is 49.15). Ele pergunta-nos: “Sou eu apenas Deus de perto, diz o SENHOR, e não também Deus de longe?” (Jr 23.23). No tempo certo (Ec 3.1), o Todo-Poderoso agirá em nosso favor (Gn 22.10-12; Jo 5.1-9). Ouçamos o que o escritor aos Hebreus admoesta-nos: “Porque necessitais de paciência, para que, depois de haverdes feito a vontade de Deus, possais alcançar a promessa. Porque ainda um poucochinho de tempo, e o que há de vir virá e não tardará” (Hb 10.36, 37).

Seguro por Cristo,

João Paulo M. de Souza









segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Não temas, porque eu sou contigo

Na vida cristã, não existe nada mais eficaz do que esperar no Senhor. O Eterno sempre tem uma maneira de nos ajudar. Ele é especialista em atuar em situações impossíveis. Ele é o Deus Todo-Poderoso (Mt 28.18).

Diz-nos a Palavra de Deus que há um tempo para tudo (Ec 3.1). Se há uma ocasião para todas as coisas acontecerem, logo não precisamos ficar desesperados, apesar de, às vezes, ficarmos ansiosos (Lc 12.26). 

 Antes mesmo da festa da páscoa, Jesus afirmou para Pedro: "O que eu faço não o sabes tu agora, mas tu o saberás depois" (Jo 13.7). Com esta afirmação, o Dono do universo queria dizer: "Eu sei o que estou fazendo agora; porém, no tempo certo, você entenderá tudo". Quantas vezes ficamos preocupados como os discípulos, não é mesmo? Entretanto, lembremo-nos de que o nosso Pai sempre está conosco: "Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça" (Is 41.10).

Em Deus,

João Paulo M. de Souza