quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Os meus olhos desfaleceram... mas não me esqueci dos teus estatutos

Os meus olhos desfaleceram, esperando por tua promessa; entretanto, dizia: Quando me consolarás tu? Pois fiquei como odre na fumaça; mas não me esqueci dos teus estatutos” (v.82, 83)

Enquanto esperava pela promessa de Deus, os olhos do salmista desfaleciam”. Esta era uma situação protelatória e difícil de suportar, visto que “a esperança demorada enfraquece o coração” (Pv 13.12). Ou seja, o longo tempo de espera pode desenvolver no indivíduo tristeza e desânimo: “Estou cansado de clamar; secou-se-me a garganta; os meus olhos desfalecem esperando em Deus” (Sl 69.3).

Apesar de não ter a resposta no tempo que esperava, o esperançado deflagra uma pergunta: “Quando me consolarás tu?" É interessante entender que o crente passa por situações desconfortantes aqui, como disse Jesus: “No mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo (Jo 16.33). Às vezes, apenas as lágrimas podem nos servir de mantimento! (Sl 42.3)

O odre quando exposto à fumaça, elemento que servia para suavizar o vinho, ficava enegrecido, enrugado e, praticamente, irreconhecível. Semelhantemente, o salmista estava com sua aparência modificada por causa de sua exposição às provações: “Pois fiquei como odre na fumaça”. Mas, a despeito disso, diz: “Não me esqueci dos teus testemunhos”.

Em Cristo,

João Paulo M. de Souza

Nenhum comentário: