quarta-feira, 21 de julho de 2010

O exemplo de Davi


Após errar com Bate-Seba, Davi acha-se em maus lençóis. Isso porque havia desobedecido ao seu Deus, que exige santidade dos seus filhos (1 Pe 1.16; Ef 5.1). Por isso, resolve derramar-se diante dEle, externando um clamor profundíssimo, onde descobre ao Misericordioso seu estado pecaminoso e pede perdão (Sl 51).

“Apaga as minhas transgressões... apaga todas as minhas iniquidades... porque eu conheço as minhas transgressões" (v.1, 9, 3). Apagar significa “fazer desaparecer” ou “extinguir”. Só Deus pode apagar as nossas culpas e nos redimir dos nossos pecados: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (1 Jo 1.9).

“Lava-me completamente da minha iniquidade... lava-me, e ficarei mais alvo do que a neve” (v.2, 8). Lavar, segundo o Dicionário Houaiss, quer dizer “eliminar as impurezas de (produto, material), submetendo-o a banhos”. Aproveitando esta expressão lexical, podemos aplicá-la em consonância, simbolicamente, ao sangue do Cordeiro, que serve de lavador de pecados, e que dá direito à árvore da vida e à cidade santa (Jo 1.29; Ap 22.14; 21.27).

“Purifica-me do meu pecado... purifica-me com hissopo” (v.2, 7). O salmista encontra-se imundo espiritualmente, então, precisava da pureza do Senhor (v.4). Ele queria livrar-se dos seus terríveis pecados e máculas morais, daí dizer: “Purifica-me”. Depois faz alusão ao “hissopo”, planta utilizada pelos judeus na cerimônia ritual de purificação.

Apaga, lava-me e purifica-me são expressões de arrependimento utilizadas pelo transgressor, Davi. Eis um bom caminho para aqueles que se entregaram ao pecado, e, no momento, querem sair dele: “O que encobre as suas transgressões nunca prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia” (Pv 28.13).

Em Cristo,

João Paulo M. de Souza

Nenhum comentário: